terça-feira, abril 20, 2010

ALIVIADA!


Somos aquilo que escolhemos ser. Parece piegas a frase, no entanto, se pensarmos bem, quantas mancadas já experimentamos na vida? Quantos erros, quantos devaneios? Nossa... muitos... Muitos por teimosia ou mesmo por sentimentos. Eu hoje posso comemorar com meus amigos blogueiros que sou uma mulher aliviada! Sim! Aliviada! Pois a estratégia que usei para ter meus caminhos futuros mais tranqüilos foi de um profissionalismo nato. E saber que fui-era tão bobinha. Hoje aprendi a malandragem da vida que tanto me tapeou na cara com as birras que todo mundo era legal, que ninguém queria o mal de ninguém, que não existiam oportunistas ou pessoas interesseiras.
Ledo engano!
Devido a isto eu passei por uma escola de aprendizado na qual me fez não engolir mais coisas negativas, mentiras absurdas e tubulações da minha paz.
O meu plano deu certo!
Hoje me sinto aliviadaaaa!
Ou melhor! Rsrs Fiz terrorismo! Agora, torço por algo que me foi dito no início do ano!
Profecia?
Talvez...
Pois o que me disseram, algumas coisas ditas já aconteceram!
Espetacular!
O futuro somos nós que escolhermos. E eu escolhi o certo. Se escolhesse o errado estaria vivenciando um filme de terrorismo em doses homeopáticas. Um mundo ludibriado de palavras sem alma! Agora chega!
Diga não!
E o não eu disse(só que da minha forma)!
E ainda teve um anjo meu que me falou:
"GOSTO DE MULHERES DECIDIDAS!"
E pelo jeito estava duvidando de mim...
A minha paz eu não abro mão. DE JEITO NENHUM!
Meu final de semana foi maravilhoso e esta semana preparo o aniversário do meu filho João Vicente que tanto planejei para que desse certo! Graças a Deus tudo pronto!

segunda-feira, abril 12, 2010

Depende de nós


A despreocupação depende de seu maior ou menor grau de fé. Quando nos sentimos seguros, relaxamos e disto resulta uma despreocupação em relação ao porvir. Devemos procurar não alimentar nossas preocupações. Devemos ter sempre Deus por companheiro, pois assim não haverá obstáculos.
Marici Bross

sexta-feira, abril 09, 2010

Peripécias do João Vicente - Parte II

Correrias para o aniversário do João Vicente e mais atribulações do trabalho fizeram eu dar um ‘time’ no blog. E no que trabalhava, dirigia, assistia ou lia pensava: “ - Bah, este é para o blog!”
Vamos aos poucos. Tanta vontade de contar tudo, dividir minhas tristezas, minhas alegrias enfim, confabular meu beabá no satélite mesmo! Hoje, estou aqui para contar mais algumas Peripécias do João Vicente! Mãe é sempre mãe! A gente morre de paixão por nossos filhos, pagamos micos com as birras deles, nos apaixonamos mais ainda(se é que existe mais algum espaço para tanto amor) com um simples e recheado ‘te amo’ deles e, também, nos comovemos e nos atrapalhamos com as charada dos inusitados ensinamentos. A calma e a perseverança são parceiros natos para o sucesso. Só quem na prática, nem sempre isto acontece rsrs Eu já pequei gente... E hoje VIM CONFESSAR! Como é difícil e-du-car!!! Eu tenho passado poucas e boas com o João Vicente. Aqui, vou dividir suas descobertas com o mundo, o reflexo de suas atitudes perante a que ensinei e a que errei também. Por aí, galera! Vim alertar! Temos que cuidar, sempre, de nossas atitudes e a tudo que dissemos à volta deles. Nossos filhos são Boeing supersônicos! Vamos aos erros e acertos das Peripécias do João Vicente:

Acertos I:

Regue, muito(muito mesmo) amor e atenção! Filhos precisam muito disto(aliás, quem não gosta de um carinho). De nada adianta dinheiro, objetos de consumo se não houver aquele afagos gostosos do upa-upa, o momento mamãe com filho para ler histórias, assistir filmes, brincar de “Pilates do amor maternal” na cama(sim! Monta em cima, pula na mãe, nossos filhos são nossos rolos compressores de carinho)! É disto que faço com meu filho João Vicente. E, estes tempos, no momento ‘banho” aconteceu algo inusitado!
Estávamos eu e meu filho tomando banho. Sempre faço questão de dar o banho, brincando com o shampoozinho da hora, dos brinquedos no Box do banheiro e até cadeira a pedido dele porque se sente ‘cansado’ na hora do banho. Dias destes, num chuveirada senti que o João Vicente fazia carinho em mim. Era na perna. Aí olhei rapidamente para trás e falei:

- Carinho na mãe filho?
- Não mamãe, to dando banho.
- Ãh? Banho
- Sim. Banho mamãe!


Simplesmente ele, querido resolveu retribuir os banhos ensaboando a própria mamãe dele! Rsrs

Acerto II:

Incansável em intermináveis insônias desde que passei a ter meu filho no colo. Não hesito sequer uma madrugada para cobri-lo. Ele se mexe muito dormindo. No que eu posso eu to lá, toda a madrugada acordando e no ‘piloto automático’ cobrindo ele. Sempre agasalhando, sempre conferindo se tá quentinho demais, se tá com muito calor. Sou um termômetro humano ambulante do meu filho. A cena linda foi agora na Páscoa. Ganhou um ovo do tio Diego e da tia Ivana do Ben 10(um dos seus super heróis favoritos). Lá pelas tantas, com o boneco que surgiu de dentro do ovo João Vicente começa a aparecer, do nada, com travesseiros e mantas na sala. Quando passei a realmente, observar e investigar o porquê daquele travesseiro na sala vi a cena comovente. Era ele colocando seu ‘bonequinho” em cima do travesseiro e cobrindo com uma mantinha. Eu disse:

- Quê tá fazendo meu filho?
- o “Cala” (diga-se “O Cara) mamãe! O Cala não passá fio!

É... meu filho estava cobrindo o bonequinho dele para não passar frio. Isto que nem três tem ainda! Cobrindo, fazendo dormir... Um amor!

Erros:

Sempre me disseram isto: “Cuida bem o que você fala! Nossos filhos são nossos ecos”! E né que pequei. Estes tempos ele repetiu o que ouviu pela sala(não lembro se foi em jogo de futebol), mas alguém gritou da sala: “ Filho da puta!”
Ah, pra quê... João Vicente na mesma hora repetiu. Foi um custo tirar aquele toco de gente, rindo da minha cara, falando ‘filho da puta”. Sei que o convenci em xingar de outro jeito. Errado? Talvez. Mas foi a forma de cessar!
Dias destes, eu dando banho nele. No que termino, me visto, correndo para ir trabalhar e ele, do nada, me joga uma ‘mangueirada’ de água antes que eu desligasse o chuveiro. Já arrumada, maquiada em bom tom alto falei(no supetão; mas falei):

- Filho da putaaaa!
E ele rindo, mas rindo mesmo de mim largou:

- NÃO É FILHO DA PUTA; É FILHO DA MÃAAAAAAAAEEEEE!

Com as sobrancelhas bem erguidas, com aquele sorrisão largo dando gargalhadas de mim. Fui obrigada a rir junto! Aliás, sou uma negação! Estou sempre rindo com as respostas dele rsrs Que vergonha gente rsrs eu confessei! rsrs