quinta-feira, maio 27, 2010

Filhos por Kalil Gibran


“Seus filhos não são seus filhos.São os filhos e filhas da vida, desejando a si mesma.Eles vêm através de vocês, mas não de vocês. E embora estejam com vocês, não lhes pertencem.Vocês podem lhes dar amor, mas não seus pensamentos, pois eles têm seus próprios pensamentos.Vocês podem abrigar seus corpos, mas não suas almas, pois suas almas vivem na casa do amanhã, que vocês não podem visitar, nem mesmo em seus sonhos.Vocês podem lutar para ser como eles, mas não procurem torná-los iguais a vocês. Pois a vida não volta para trás, nem espera pelo passado.Vocês são o arco de onde seus filhos são lançados como flechas vivas. O arqueiro vê o alvo no caminho do infinito, e Ele curva vocês com Seu poder, para que suas flechas possam ir longe e rápido. Deixem que o seu curvar-se na mão do arqueiro seja pela alegria: Pois mesmo enquanto ama a flecha que voa, Ele também ama o arco que é firme.”
KALIL GIBRAN


Meu filho tá ficando “grandinho” e já pede coisas que me surpreendem. Saudades que sente, vontades que tem... E eu como mãe já sofro. Por mim ele ficaria sempre na minha redoma, sempre sobre meu olhar. Mas nem tudo é assim... Mas pela felicidade dele mães sempre dão um jeito e forma de que tudo se formalize na paz e na alegria!

quarta-feira, maio 26, 2010

Só 'eles" no volante

Estava estes tempos indo ao trabalho pela Av. Guaíba e pensando em tudo rsrs Tuuudo! Como sou viajona(Meu Deus) rsrs Esta é uma via muito prática e rápida(por enquanto) para se chegar em casa ou ao trabalho. E foi nela que, dirigindo muito cantei e até(porque não) chorei com algum despedida ou com algum problema que achava não ter solução. Estrada sem sinaleiras, com duas lombadas no máximo e praticamente sem congestionamento. Agora anda em obras bem próximo a beira do Guaíba. Vão duplicar; projeto Copa do Mundo algo assim. As vezes calculo o tempo de chegada aos locais utilizando este caminho e nem chega a dez minutos. Muito bom. O verde, o Guaíba somado a tranqüilidade me proporcionam um stress a menos para dirigir. Sim, stress e direção. Ando em estafa com o trânsito de Porto Alegre. Ultimamente me espanto com a índole de alguns motoristas gaúchos. Gente ousada, bravos, metidos que buzinam, e fazem ultrapassagens arriscadíssimas e se tu estás nas normas das Leis de Trânsito ainda se corre o risco de ser xingada. Não resumo somente por mim, mas por relatos que ouço também. Está um caos. Tem cada figura nestas vias de Porto Alegre que poderia dar a sugestão preventiva de incomodação com adesivos na traseira dos carros como darei alguns exemplos aqui:

“Freddy Krueger no volante”;

“Bandido da luz vermelha tocando luz”;

“Fernandinho Beira-Mar abrindo os caminhos”;

“Lili Carabina metendo bala no velocímetro”

" SAMARA chamando na buzina"

ou “Chucky nervoso” !

É...não é mole! Dirigir tem sido uma aventura. Eu que ainda carrego meu filho atrás em sua cadeirinha fico mais apreensiva ainda. Literalmente nas auto-escolas deveria ter uma etapa que se chama ‘respeito ao próximo”.


Louros musicais


Gosto tanto de música - mas tanto -que lamento não ter recursos financeiros a ir a todos os shows que estes cantores promovem, aqui, em Porto Alegre.
Ah, seu pudesse rsrs
Iria do Oiapoque ao Chuí musical.
Gosto de tudo!
Julio Iglesias, 95% de MPB - principalmente nas vozes femininas brasileiras(Cássia, Duncan, Calcanhoto, Gal, Betânia, Marisa, Possi’s e Ana Carolina – esta aí eu babo ouvindo); gosto de samba de raiz mesmo como Tereza Cristina e Grupo Semente( a melhor de todas na minha opinião), Jussara Silveira, Rita Ribeiro, Pastouras da Portela, Beth, Alcione, Leci, Diogo Nogueira(aff...)e Mart’nália; me derreto nuns pagodinhos de cortar o pulso com as letras como Sorriso Maroto e Belo, como também curto, pra caramba, rock feminino de estilo: The Cranberries, a muito da ‘loca’ Amy Winehouse, Joss Stone, Jason Mraz, Tracy Chapmann, The Corrs a Nelly Furtado!
Música é música independente das origens.
Gosto de percussão, no geral, a ponto de parar tudo só para vibrar no encanto das batidas. Claro que tem estilos musicais que não curto como funk que já tentei gostar(mas não suporto), rock pesado(não adianta, não entra na mente a gritaria) e estas loucas da mídia como Byonce e Ladi Gaga. O que é isto? Rsrs
E ultimamente, escuto ajoelha do Cd e também DVD Três Meninas do Brasil!
Gente... Olha, um verdadeiro louro musical.
Indico para vocês como esta letra que é interpretada por Tereza Cristina, Jussara Silveira e Rita Ribeiro!
Esta música, do Zé Ramalho, é de marejar ao ouvir:


Mulher Nova Bonita E Carinhosa Faz O Homem Gemer Sem Sentir Dor

A mulher tem na face dois brilhantes
Condutores fiéis do seu destino
Quem não ama o sorriso feminino
Desconhece a poesia de Cervantes
A bravura dos grandes navegantes
Enfrentando a procela em seu furor
Se não fosse a mulher mimosa flor
A história seria mentirosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor
Numa luta de gregos e troianos
Por Helena, a mulher de Menelau
Conta a história de um cavalo de pau
Terminava uma guerra de dez anos
Menelau, o maior dos espartanos
Venceu Páris, o grande sedutor
Humilhando a família de Heitor
Em defesa da honra caprichosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor
Alexandre figura desumana
Fundador da famosa Alexandria
Conquistava na Grécia e destruía
Quase toda a população Tebana
A beleza atrativa de Roxana
Dominava o maior conquistador
E depois de vencê-la, o vencedor
Entregou-se à pagã mais que formosa
Mulher nova bonita e carinhosa
Faz um homem gemer sem sentir dor
Virgulino Ferreira, o Lampião
Bandoleiro das selvas nordestinas
Sem temer a perigo nem ruínas
Foi o rei do cangaço no sertão
Mas um dia sentiu no coração
O feitiço atrativo do amor
A mulata da terra do condor
Dominava uma fera perigosa
Mulher nova, bonita e carinhosa
Faz o homem gemer sem sentir dor

quarta-feira, maio 19, 2010

Crianças e mediunidade




É muito comum ouvirmos falar na capacidade de algumas crianças verem algo além das formas físicas deste mundo. E, baseado nesta crença espírita todas crianças tem a mediunidade até sete ou oito anos. Segundo a religião é porque ainda não estão desligados do mundo espiritual, de onde vieram, e devido a isto mantêm este contato com os seres ‘de lá’. Os amigos imaginários seriam um dos exemplos que pertencem ao mundo infantil. Meu filho, João Vicente por muito tempo falava no Coelho. Sempre temia o coelho. Com o tempo percebi que ele perdeu este ‘medo’. De uns meses para cá ele trocou ‘o amigo’ e passou a falar no “moço”. Sim, moço. Sempre diz: “ – O moço tá ali!”. No começo não dei muito atenção. O que me chamou a atenção foi a insistente idéia de temer ir a tal lugar da casa porque “o moço estava lá”. Então resolvi, hoje, comentar para vocês sobre isto: a mediunidade das crianças segundo o kardecismo. Isto é para quem acredita, já deixo claro. Eu era muito também da teoria de São Tomé; tem que ver para crer. Só que na prática, sendo mãe não tem nada haver. Portanto, falar sobre isto é muito delicada e, pelo que consta no espiritismo estas ‘visões’ com os anos passam e depois a criança deixa de ter esta percepção ‘do além’. Isto se não tiverem um ‘plus’ a mais para a mediunidade. Aí a história é outra.
O que vem acontecendo com o João Vicente tem me despertado a curiosidade. Estes dias cheguei no quarto e o encontrei rodeado de um cobertor que ele mesmo montou a volta dele. Perguntei:
- o que é isto filho?:
- Potetô mamãe?
- Como assim, meu filho? Protetor pra quê?
- O moço
- Que moço João?
- Ali

E apontou para a ponta de minha cama. Aquilo me fez respirar fundo, pensar muito bem no que falaria. Descartei qualquer espécie de sermão. Sentei numa poltrona que tenho ao lado da minha cama e segurei a sua mãozinha. Comecei explicando que ‘o moço’ poderia ser um amigo(na hora ele negou). Então, fiz o sinal de cruz e comecei a rezar pedindo para Jesus e para seu anjo da guarda que protegessem meu filho que o espírito que estava ali encontrasse a sua luz e descansasse em paz. Faz dias que ele não fala mais no ‘moço’. E todo o dia tenho rezado para que Jesus sempre o abençoe. Ali eu passei a acreditar que realmente ele via algo. Espero que o moço tenha ido embora! Então passei a estudar sobre isto: Crianças e mediunidade. Encontrei depoimentos como de Sônia Zaghetto, Assessora de Comunicação Social da FEB(Federação Espírita Brasileira), segundo o debate nem toda criança enxerga os espíritos. E ressalta que nem sempre a visão de espíritos pelas crianças caracteriza mediunidade. Só o tempo que poderá discernir se este fenômeno é somente passageiro. A a idade para definir isto é perto dos oito anos.
E antes de eu tomar qualquer medida sobre o que o João Vicente viu eu repensei se de fato não foi algum desenho que viu com cenas fortes e se não era para chamar a atenção. Todos, eu descartei até porque a palavra ‘moço’ não pertence ao vocabulário dele. É algo que ele nomeou naquele momento para aquilo que via.
Também proibi na casa que alguém falasse sobre isto para o João Vicente. Vá que ele alimente a idéia fixa do moço e gere traumas? E também procuro passar sempre, muita segurança para ele. Acho que devido a isto faz dias que o tal do ‘moço” não aparece. Portanto, como sempre cito esta frase de Shakespeare “há mais coisas entre o céu e a terra do que supõe vossa vã filosofia”. Eu por muito tempo tinha um jeito meio cética de enxergar a vida, a religião em si. Hoje não pois respeito profundamente o que não consigo ver ou compreender. Agora estou trabalhando mais a espiritualidade com meu filho. Acho que qualquer criança que tenha a espiritualidade no dia-a-dia sente que está num mundo com mais sentido e com uma meta. É como eu li ‘A luz da presença da transcendência, o Universo torna-se um lugar amigo e não ameaçador”.
PS: Não me contive e registrei a cena dele com o cobertor de proteção.

terça-feira, maio 18, 2010

A arte de silenciar


Esta imagem é uma ferramenta que aprendi na marra. Sou muito ansiosa, gente. E sou do verbo. Isto que me consome. Se tem uma coisa que não faço é manter-me no silêncio. Sempre dou um jeito de acenar, de dar um “olá” de perguntar “o porquê”, de questionar, dialogar, enfim, falar. Claro que para tudo sempre existem exceções. E a isto que venho falar. Tem fatos que realmente nos levam ao silêncio pois quando buscamos respostas e elas não surgem basta o silêncio para tudo se aprumar na grande verdade. Estou no silêncio por algumas questões. Uma já me deu a resposta. O silêncio vale mais que mil palavras! Bola pra frente! Esta é a arte de silenciar...

segunda-feira, maio 17, 2010

Será um sinal?

Hoje acordei com um aperto no coração. Era um sonho muito do louco, meio sem pé nem cabeça, sabe? E neste enredo estava uma amiga que não a vejo há muito tempo. Não porque moramos distantes, ou porque um dia deixamos de nos falar, simplesmente porque aquela amizade doce, colorida com cheiro de bergamota em bate-papos na calçada de casa acabaram(ou deram um tempo... tudo é muito confuso pra mim). Até regamos por muitos anos os nossos laços afetivos mas algo aconteceu para que isto mudasse. Vida adulta? Talvez...sempre tive meus tics de adolescente. Lembro que sempre ríamos que o mundo podia acabar mas a nossa amizade sempre sobrevivia a tudo e todos.
Só que de um tempo para cá eu percebi que tudo havia mudado; que aquela fé em manter a fidelidade de ligações, e-mails e encontros se foi por questões matrimoniais dela e eu por questões maternais minhas. Parece que o tempo não cedeu tempo para nós ou algo pior aconteceu. E isto que eu temo. Bem vindo ao mundo dos adultos! Ah, isto eu sei...
A vida nos impõe regras, horários e compromissos. Não podia romper assim. Mas eu sou da premissa, mesmo sendo amizade, que devemos deixar nossos entes queridos voaram. Voarem pra longe, mesmo que não voltem. Liberdade é tudo. Então, homeopaticamente passei a não ligar mais, não mandar e-mails... não procurar ter contatos até para ver se isto geraria um impacto. E só eu sei como isto me dói.
E não rsrs
Findou mesmo. Não tive mais sinais! Que loucura!
O que não impede que eu tenha um mega carinho por ela. Mato a saudade nos sonhos ou em fotos! Amizade é importante. Fora isto ou melhor, aliado a isto, surgem novos personagens, outros amigos, velhos(também) amigos que deixaram uma sementinha de amor em nossos corações. É destes que troco idéias, que compartilho momentos bacanérrimos e vivo em paz amenizando esta ausência. Só nada impede, no entanto, a saudade que sinto desta minha amiga que hoje, surgiu em meus sonhos. Será algum sinal?

Lembrança de um parabéns na escolinha!

Está aqui.
Prometido.
Falei que colocaria fotinhos da festinha que fiz para o meu filhão na escolinha dele.
Foi exatamente no dia oficial do seu aniversario: 23 de abril. Juntei duas turmas de maternal. Bolo, salgadinhos, balões, confete de chocolate que adoravelmente eles chamam de ‘bolinha colorida’, sanduíches e muito suco! Não fizeram feio! Mandaram ver. E o João Vicente estava radiante com a presença dos seus amiguinhos. Dá gosto de ver o sorriso de nossos filhos!

sexta-feira, maio 14, 2010

O meu blog


Acho que a palavra 'perseguição' é forte. No entanto, mais uma vez deixo claro: o que escrevo aqui pode ser ou real ou fictício.
Lembro do cronista Paulo Sant’Ana que certa vez, em sua coluna diária do jornal Zero Hora, confessando que roubou três, dos seis cigarros deixados no caixão do poeta Mário Quintana. Passaram-se semanas e Sant”Ana se viu obrigado a dar satisfações aos seus sedentos leitores sobra a veracidade do fato. Já que uma Casa Espírita havia dito que Quintana reivindicava seus três cigarros surrupiados por Paulo. Por aí ficou, colunas e colunas com o cronista se divertindo e o melhor, deixou a incógnita se aquilo foi mesmo verdade ou não. Nunca disse realmente a verdade. Roubou ou não os cigarros no velório do poeta rsrs ? Até hoje ninguém sabe !!! Eu sou fã de carteirinha deste jornalista.
Bom, voltando ao assunto, o que escrevo aqui no blog não condiz somente a mim gente, vejo a experiência, as dúvidas, as sensações de amigos que passaram por alguma momento de devaneio dos sentimentos.
Falo sempre na palavra Amor pois sou, como digo aí na minha apresentação, uma incansável romântica.
Sonho como os contos de fadas mesmo.
É o meu direito aqui falar de amor, de lembranças, de fatos meus e de vocês também - caso permitam(claro. sempre peço a permissão para minhas amigas. tenho inúmeros casos aqui).
Isto aqui é um Satélite Abduzido!
Não tem destino.
Se olhar, ‘folhear este blog’ vou reler tantas passagens da minha vida, tantas provações, comemorações, datas marcantes que concluo que vale a pena sim, registrar.
Mesmo que seja uma bobagem.
É o meu divã virtual.
Sabe, gente, ao contrário do que alguns pensam, eu este mês tive uma surpresa de receber uma notícia de uma pessoa muito especial que conheci em 1994!
Foi maravilhoso reencontrá-lo.
Conversamos e achei bacana sermos sinceros um com o outro.
Isto que vale!
A vida é uma caixinha mágica!
E eu to aqui para esclarecer que o palco da vida existem muitas passagens, muitos atos; muitos fatos.
Não se resume apenas num capítulo ou num único personagem! Eu to viva e agradeço sempre a Deus por me permitir viver mais e mais. Claro que a gente sempre sonha um pouquinho mais alto.
O sonho é meu, tá?
Não há o que porquê haver preocupações pois ciclos da minha vida eu já fechei há muito tempo.
stou bem e adorando estar, neste momento, assim... eu, meu filho e Deus.
Se sonho em constituir uma família?
Ô se sonho...
Só que agora to realmente em outra batida... só esperando o toc-toc da porta rsrs brincadeirinhas a parte eu deixo isto para o sr. Destino.
Meu coração tá em paz, aberto, sereno e relaxado!
Meu blog diz respeito a mim, a vida, a ficção e ao mundo imaginário de minhas palavras! Espero que entendam...

quinta-feira, maio 13, 2010

Enosados


Coisas que eu sei – advinho - sem este alguém sequer te me confessado. Há fatos que são óbvios numa situação que vivi este mês. Existem pessoas e pessoas; gregos e troianos. Cabeça e sentimentos pensantes(sim! Os sentimentos também confabulam). Homens e mulheres procuram ludibriar com palavras, frases vagas, sem posição alguma justamente com medo de se expor ou com medo de realmente falar a verdade. Até porque a sinceridade dói em algumas situações.
Muitas vezes, doer não é para aquele que verbaliza e, sim, para aquele que está sedento a ouvir uma resposta do porquê de tantas indagações. O passado realmente é uma caixa de surpresas. E quem espera ouvir a resposta exata, correta para afogar, de vez, todas as dúvidas que adormeceram enterradas com a história que findou uma nova fagulha, vem, do nada, uma nova fagulha. É lançada uma nova dúvida.
Destino, amor? O quê será? Se soubesse....Estaria comemorando... E não sei... Como me dói isto. Como confunde!
Eu esperei pela resposta e esta não me foi dita. Infelizmente. Talvez porque a verdade dói? Viver já é uma aventura, amar mais ainda! Não há ser humano que não tenha se machucado quando ousou em amar.
Há seres que entrelaçam dedos, que estalam ossos, que melindram em frases homeopaticamente pausadas ou olham para horizontes buscando uma fuga. A psicologia explica o dito pelo não dito. Mistérios de um divã virtual que deixo aqui exposto.
Fica a pergunta:
Porque certos destinos são tão enosados? Somos nós a agulha para alinhavar o que ‘achamos’ por correto ou somos insistentes aprendizes que persistem em fatos sem respostas. Nossa, fui profunda hoje. Mas tenho tanta dúvida sobre isto! Porque não formaliza com o arroz com feijão do tipo: “ - Seguinte, eu te quero e pronto!
Mulheres que são complexa e que são profundas! Mas como não ir a fundo para tanto mistério?
Chama Nossa Senhora Desatadora então!
Socorro.
Destinos são tão complicados; tão ‘enosados’!
Juro. Não sei o que falar! Porque este passado sobressalta do nada?
Eu sou de carne e osso, eu sou uma mulherona que adora ser menina que se embala num balanço. Eu sou Joana Dar'C mas também sou conto de fada. Eu acredito no simples. Somente isto...no simples. Será que fui clara?

terça-feira, maio 04, 2010

Zen nada

Se eu pudesse abrandar o sofrimento de alguém... eu falaria. Mas o tempo é mestre e sabedor que tudo se apruma na sua forma. Deixo claro que nunca estive tão bem como agora. Se houver alguma tristeza em mim será devido a balança... Ando pesada demais. Já fui a busca de um profissional ortomolecular. Exames foram dados e sinto-me que a corrida começou agora. Agora, de coração, posso garantir que tá fechadinho. Meu passado é passado. Aliás, passado pra mim, me muitos fatos que vivi na vida eu enterro todos os vestígios. Fotografias é um exemplo. Não guardo nada... tudo é incinerado. E dá certo. Agora, memória a gente não apaga...aprende a não lembrar. E o meu passado eu só aceno hoje. Não quero mais nada. Estou amando esta minha conquista de ficar zen. rsrs "ZEN NADA"... Portanto, muita calma nesta hora. O que lido hoje são fatos que giram em torno do meu filho e, nada mais. Assim deixo aqui, o texto mais encaixado com o que já vivi. Fala muito por mim e deixo aqui:

"Sei que o tempo passa… o tempo passou... e afinal nem tudo fica na mesma – eu não fiquei – sim , eu mudei... não me tornei melhor, mas decerto também não me terei tornado pior... apenas diferente, apenas um presente talhado pelo passado...Tentei ensinar amor... aprendi o desprezo, a solidão; procurei seguir a paixão... encontrei o afastamento, a raiva; ouvi o coração... e o que foram melodias cantadas ao vento, tornaram-me silvos agudos, dolorosos de furacão...Caí, levantei-me... voltei a cair, voltei a erguer-me cair e erguer-me novamente... em cada uma nova dor... sempre mais dor... em cada vez que me ergui uma lição... e em cada lição a perda de um fragmento da minha essência...Hoje porém já não caio... não sem por as mãos a frente, não mais nos mesmos caminhos por onde andei em ilusão psicótica... esses abandonei-os... ou terão sido eles que se afastaram de mim...Fantasmas de outrora tornaram-se convivência em pacífica simbiose – eu não os afasto, eles não me assustam... e o passado?... desse aprendi a desembaraçar-me mesmo quando ele salta dos cantos do silêncio e me tenta agarrar... não preciso fugir... não fujo...Mudei de trilhos... mudei de passadas... e apenas lamento que as marcas que deixei nos caminhos abandonados, se cubram de poeira até que não mais se notem... talvez nunca lá as tenha deixado... não sei... nunca sabemos que marcas ficam sem olharmos para o caminho percorrido e eu não gosto de olhar para trás!...Tudo o que fui é agora apenas uma recordação e o que sou talvez ainda não exista por completo... ainda assim, arrisco continuar... arrisco aprender...Sei que o tempo passa… o tempo passou... e afinal nem tudo fica na mesma – hoje... olho para o sol poente, adormecido sob a manta escarlate do fogo que me consumiu a alma... das lágrimas de sangue que nunca me deixei verter... e sorrio... um sorriso vago, introspectivo... sobrevivi... sobrevivo sempre... afinal sou mesmo isso – um sobrevivente... é tudo uma questão de recomeço..." Anônimo

segunda-feira, maio 03, 2010

Aniversário dos primos!

















Férias findadas. Doze dias estrategicamente escolhidos, para abril, com a finalidade de realizar o aniversário do meu pequeno João Vicente. Três aninhos de muita travessura! Só nós mamães, que “peitam” se esmerar em fazer festinhas para seus filhos. Fiz seiscentos docinhos gente! Virei uma doceira de mão cheia! Nunca havia feito tanta quantidade! No entanto, na véspera do aniversário estava um trapo humano. Cansada, de olheiras, braços doloridos e dores nas costas mas com a eterna sensação(gostosa por sinal!) de dever cumprido e sonho realizado. Em nada me fazia esmorecer pelos dias que antecediam o aniversário. Isto que, na sexta(23/4) eu fiz uma big festinha na escolinha dele também! Foram dias de festa! Num próximo post mostro as fotos da festinha na creche!
E, dois dias depois chegou o dia 25 de abril, domingo, chuvoso, dia de Grenal e lá estava eu, cedo da manhã, no salão enchendo balões na companhia de amigos e colegas de minha cunhada que também montava o cenário da sua pequena que completava um aninho. Dois aniversários de primos; dois cenários. Tudo muito planejado e minuciosamente com cuidados para que tudo desse certo.


E deu.
O Pequeno Príncipe do João Vicente e o cenário As Princesas da priminha dele, Shayene!







Deixo aqui meu registro no blog para meus amigos blogueiros! Este papo é de mamãe mesmo que adoro divagar falando de cada momento de nossos filhos. Tá vindo o Dia das Mães mas posso dizer que dia das mães é todo o dia... Somos anjos que não pestanejamos um esforço sequer para abrandar cada lágrima de nossas sementes e vibrar com cada sorriso! Meu filho é tudo para mim. E devido a isto que posto volte e meia fatos, datas e qualquer coisas que lembre ele ou fale nele. Hoje fica aqui a lembrança do aniversário. Ele nasceu dia 23 de abril de 2007(dia de São Jorge, seu eterno protetor) e a prima Shay, dia 24 de abril de 2009. E nada mais gostoso que comemorarem juntos, não acham?
Dia 25 de abril de 2010 foi um marco na vida destes dois pequenos primos.
Beijo a todos e boa semana!




PS: A cara de brabinho na foto é que ele queria porque queria(como bons taurinos) ficar sem colo pra soprar a velinha. Aquele toco de gente dando pitaco. Depois cedeu ao meu upa-upa de colo e soprou a velinha dos três anos!