segunda-feira, outubro 27, 2008

Ser feliz



Ser feliz por tão pouco. Ser feliz, pelas atos e fatos mais simples que existem em nossa volta!
Ser criança; é ter o dom de tornar o simples, o objeto ‘sem graça’, em algo tão divertido, mas tão divertido que comove e contagia a todos que estiverem a sua volta! João Vicente é a própria alegria em seus doces 83cm de altura. Um pacote de gente que brinca, pula e desbrava os pequenos objetos que tem por uma casa. Ta certo! Sabemos que numa casa há grandes armadilhas. Sou uma mamãe vigilante. No que eu posso eu rastreio tudo que ele pega e acha. Mas teve um dia que achei muito engraçado. Ele só queria andar pela casa com uma fita crepon engatada no seu tornozelo. Com um pé calçado e outro não, ele andava pelos aposentos faceiro. No entanto, se o ‘seu brinquedinho’ saísse de seu tornozelo ele voltava apreensivo que era para recolocar o objeto nele. E assim foi, por alguns momentos da tarde, brincando com este adereço escolar como se fosse o melhor brinquedo do mundo. É nestas pequenas alegrias que encontramos a melhor terapia de viver a Vida!

O MEU DESEJO É UMA ORDEM: EU SOU FELIZ!





O MEU DESEJO É UMA ORDEM: EU SOU FELIZ!
“ - Amor é pra sentir e não pra entender veio!”,
Frase do Bruno, Sorriso Maroto
Rá, tenho um doce colega, meu grande amigo, irmão da Deusa Afrodite e confidente de muitos perrengues que 2008 já me ofereceu. Somos muito engraçados em tardes de trabalho. Ele não nega ser romântico, não nega viver e não admite perder tempo em sua vida com lágrimas de amor. Ele é um bom vivan! Tem uma princesa em seu coração que ele a elegeu como musa de sua imaginação enquanto varre as tardes jurisprudenciais ouvindo suas músicas românticas. E divide comigo, gente! O mais engraçado é que, quando menos espero, tem uma mensagem para mim: “ – Fabinha, coloca na faixa 9.”; “ – Fabinha, escuta esta. Esta é pra ti” ou “- Fabinha, tem uma que tu vai te abalar. É a tua história”...
E por aí vai. Dois malucos que tiram sarro das próprias desilusões. Ele é muito mais otimista do que eu. Mas me leva a dar boas risadas, mesmo que a música te leve a cortar os pulsos com bolacha-maria.
E chegamos a conclusão: Somos felizes assim! Temos a ciência que a cada experiência de um relacionamento, sentiremos muito mais do que já sentimos. Seremos muito mais do que já fomos! É o ensinamento que por mais profundo que seja a aventura de amar(ou achar que ama) alguém, mais se ilumina a verdade de que o destino não se encontra em algum ponto do futuro. Está no aqui e no agora e que a meta não é chegar a lugar algum e, sim, estar plenamente presente onde nós já estamos! É agir, se coçar, se mexer! A vida é tão linda para não saber perder! Amor não nos faz caímos; amor nos faz crescer!
Pra ti meu amigão!
Qual é a música Markinhos? rsrs

sábado, outubro 18, 2008

Meu blog


EM PRIMEIRO LUGAR! MEU BLOG FOI FEITO EM 2005.
SERIA MUITO CONVENCIMENTO ACHAR QUE FALARIA SÓ DE SENTIMENTOS.

NO MEEEEUUU BLOG EU FALO:
DE VIDA,
DAS MIIIIIINHAS VIAGENS PELO BRASIL,
MINHAS AVENTURAS,
MEU SAMBA,
MINHA PROFISSÃO!
MEU FILHO
E
DE MINHAS INDIGNAÇÕES CLIMÁTICAS, SOCIO-ECONOÔMICAS!

ACHAR QUE FOI SÓ PARA UMA PESSOA,
É PIADA!
EU MUDEI!
NOSSA, COMO MUDEI!TEM GENTE QUE ME PERGUNTA:
DA ONDE VEM TANTA SERENIDADE?
EU SÓ RESPONDO:
ME ALIMENTO DE VERDADES... E SO ASSIM ME SENTI LIVRE. DE BEM. E TENHO PASSADO ISTO PARA MEUS AMIGOS E FAMÍLIARES!
NÃO SOU MAIS AQUELA QUE CHORAVA PELOS CANTOS.
DEPOIS DE SER MÃE EU VI O QUÃO A VIDA É MAIS COLORIDA!
SE VOU TER UM NOVO AMOR?
CEERTO.
JÁ TEM GENTE NA RETA.
MAS NÃO É O MEU OBJETIVO.
QUEM SABE UMA AVENTURA!
AGORA EU SÓ QUERO PAZ.
TAVA SUGADA DE INSEGURANÇAS, DE NUVENS...NEBLINAS.

EU ESTOU CANSADA DE FAKES ME ALFINETANDO E TORPEDO DE INTERNET. EU ESTOU LIVRE.
SÓ QUERO PAZ, E QUERO QUE MEU FILHO FELIZ! SEM MISTÉRIOS E MENTIRAS. ESTE TIPO DE VIDA AÍ, QUE VI, NÃO LEVA A NADA:
A NÃO SER SOLIDÃO.
DO QUE ADIANTA TER VANTAGEM SE A SOLIDÃO ASSOMBRA?DEUS SABE DE TODAS AS COISAS! E A ELE QUE ME GUIO!
SEMPRE DISSE ISTO!SAIO DE CABEÇA ERGUIDA!CONTINUO QUERENDO O BEM, ATÉ DE QUEM ME ENGANOU E ME FEZ DE PALHAÇA.
NÃO VIM PARA ESTA VIDA PARA SEMEAR O MAL.
DEU!
LIVRE.
EM PAZ!O QUE LAMENTO, É QUE DE MIM NÃO POUPOU EM NADA.
A SORTE QUE TENHO AMIGOS.
ESTES, DISTRIBUIAM SINAIS DO TIPO: 'CAI FORA".
E EU CUSTEI A ENTENDER. VAI VER QUE NÃO ERA A HORA.
MAS A LIÇÃO QUE EU GANHEI DISTO TUDO? *** DE NÃO SER BOA DEMAIS *** E QUANTO A PALAVRA QUE DOEU NA CONSCIÊNCIA?
LEMBRAS?
O DICIONÁRIO AURÉLIO TÁ AÍ PRA DIZER. EU NÃO VOU EXPLICAR.
PORTANTO, NÃO TIRO UMA PALAVRA POIS SOU AVESSA A MENTIRA,
CANSEI DE EGOÍSMOS.
ACHO QUE AGORA POSSO RESPIRAR.
E O MEU FILHO NÃO TEM NADA HAVER COM ISTO.
NÃO TIRO UUUMMMA PALAVRA.
UMA SEQUER DO BLOG.
É MEU.
SABE POR QUÊ?
PORQUE EU FALO A VERDADE.
E PASSADO É PASSADO. NÃO APAGO NADA. É BOM RELER. MAS TAMBÉM SEI QUE É JOGADA, MODO VIRIL DE VIRAR A MESA E MUDAR O ASSUNTO. PRAXE...
EU VIVO DE PRESENTE E DO FUTURO?
ESTE SIM, É PROMISSOR!


EU ME MACHUQUEI, DOEU. MAS ME SURPREENDI QUE MÁGOAS EU NÃO TENHO. QUE LOUCURA. ACHO QUE MEU FILHO SELA ESTA PAZ.
ELE AMA TUDO QUE GUARDA NO CORAÇÃO. E ISTO EU NÃO VOU ALTERAR. MAS DEUS VAI ME AJUDAR.MEU FUTURO NÃO É TRISTE, NÃO ESTAREI SOZINHA, POIS VALORIZO QUEM ME VALORIZA. I
INTÉ A SUGAÇÃO DE ENERGIA DE DOAÇÃO.PAZ... AGORA PAZ... POIS PRA PALHAÇA JÁ FUI. GRAÇAS A DEUS NÃO SOU MAIS.

"Às vezes, é preciso mesmo acordar da rotina do mundo, olhar a volta e enxergar além da vitrine. É difícil conseguir sair do emaranhado dessas expectativas que a gente mesmo e a sociedade nos impõe. Mas quando isso acontece, o peito se enche daquela sensação plena de que você é e tem tudo para ser feliz...e pra mim... esse é o segredo."

terça-feira, outubro 14, 2008

Eco... pra vida toda...



"Nunca lamente uma ilusão perdida, pois não haveria fruto se a flor não caísse."

domingo, outubro 12, 2008

Eu vivi



Tem gente se sentindo magoado sem motivo aparente; já outros..tem todos os motivos para se magoar... E eu nesta peteca de histórias teria zilhões de motivos para me magoar também. E não... quando penso que estou regando uma mágoa dentro de mim; algo me diz que não. Eu vivi gente! Basta! Deu! Pensei, sonhei, ri, chorei, me exaltei e me calei. Coisa boa! Eu soube viver... Já dizia antes: Não me interessa o futuro; cansei de viver já pensando no futuro e, em todas... me dei mal. Eu, há muito tempo vivo o presente MAS SEMPRE, sendo sincera e pedindo sinceridade.
E foi exatamente isto que não consegui garimpar: a sinceridade.
Sei lá porque...
Pois amor não se pede, se conquista; amor não se ordena; se doa....
E a sinceridade veio maquiada de motivos que até hoje me pergunto: " por quê"?
Talvez pela vantagen de ter tudo(pra não dizer todas) ao mesmo tempo, em vários cenários... enfim, em vários momentos.
Talvez por medos... Medos do estress...medos dos seus próprios medos... ou talvez por achar que o incorreto(que nunca lhe foi dolorido) seria, também, indolor para outros...
Errado!
Doeu para muitos personagens.
Eu já tinha passado, já tinha tentado fugir, não preciso nem provar. Amarguei já pressentindo... Eu tinha isto muito bem trabalhado em mim.
E baseado nisto que resolvi viver tudo!
E vivi!
Mas nada foi em vão.
Pena que as pessoas tenham cabeças tão pequenas...
E hoje eu passei o dia das Crianças com uma pessoa muito especial na minha vida... muito. Pegamos sol, passeamos de carro, curtimos muita música e ficamos em um bar vendo e contemplando um lindo dia!
Foi bacana. E é isto que quero sorver!
Sorver o melhor do dia sempre, claro, com meu filho ao lado. E ele tá tão alegre... nossa! Benza Deus.


abaixo uma linda mensagem:


"Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido.Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta."

quarta-feira, outubro 08, 2008

PALAVRAS


"As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram. Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão."

A lenda do HIOKU


Gente, isto é uma lenda que minha irmã me enviou depois que soube de tantos enredos! Para ter como lição da real forma de algumas pessoas que gostas de absorver o teu melhor: os mais nobres sentimentos e as mais puras e iluminadas energias... Aqui vai uma lenda...
divido com vocês:
A LENDA DO HIOKU


Segundo uma lenda milenar existiu um espécie de pássaro muito especial no japão que se chamava Hyoku.
Os antigos guardavam sua história como uma verdadeira lição para os homens de qualquer época.
E segundo essa lenda, o Hyoku era um pássaro que nascia apenas com uma asa. Assim, desde o instante do seu nascimento ele buscava encontrar sua outra metade para unir-se a ela, se completando para conseguir sua realização de pássaro: Voar.
Porque enquanto ele não encontrava sua metade, ele não chegava a ser efetivamente um pássaro, apenas meio.
A lenda de Hyoku traz, por isso uma lição profunda para todos nós: A de que um ser só é completo, quando é metade de alguém.
Pena que ao contrário do Hyoku, muitas pessoas ao invés de buscar a metade que as realize, acabam na ilusão do poder, do egoísmo, do egocentrismo reduzindo sua vida ao meio.
Incapazes de se darem a alguém, não conseguem nunca se completar como seres humanos de fato.
Passam pela vida sendo apenas metade de gente.
Pense Nisto.

terça-feira, outubro 07, 2008

Esclarecendo...


Então, vamos esclarecer. Tudo está, hoje, muito claro. Acabou e não volta mais. A questão toda que venho - novamente aqui a dizer – que o meu filho como qualquer aula de ciência e genética tem, sim, os dois laços sanguíneos. E graças ao bom Deus, as duas famílias não misturam problemas pessoais de um casal. Neto é neto, filho é filho. Criança! Santa inocência! Porque envolver eles? São anjos e não tem nada haver. Minha história acabou por sujeiras, mentiras que eu já previa. Cachorro que come ovelha; só matando rsrs Por fim, deixo claro que estou muito bem sozinha. Aliás, optei em ser assim sempre fui assim... Aquarianos tem a tendência a ser assim, sem ser ortodoxa em astrologia, mas...sim. Vi muita frieza no olhar de muitas pessoas, senti o frio e arrepio deste mundo de pedras, revi pessoas sem alma, pessoas egoístas que gostam do escuro, do mundo preto e branco, da amizade escusa, da fome em sempre estar em vantagem; sem sequer valorizar o melhor da vida que é o amor ao próximo...o amor de uma família, por exemplo. Prefiro dividir meu romantismo neste blog. Sofri muito mais quando, um dia, fui casada do que hoje. Por quê? Porque filho fortalece qualquer mulher. Sou fera, sou bicho... sou anjo e sou mulher. Cássia Eller que o diga! - nem tanto feminina, no entanto, uma exímia mãe - falou por mim hoje e sempre! Mãe é mãe! Filho é filho e não retiro nada, mas nada do que já escrevi aqui. Viver de enganos, de desilusões? Quem já não viveu!?! Não conhece amor nem paixão - este samba é bom! Isto é mixo! É pequeno pra tantas formas belas de ver a vida. Levante-se! Bem-vindo ao mundo dos adultos, ao abutre sazonal da magia masculina!
Ultimamente tava botando ‘no caderninho’ tarefa fácil. Dez itens de vantagens e dez itens de desvantagens... nossa o placar foi péssimo. Desvantagens superou meus limites. As palavras vinda da memória e do coração me assustaram.
Eu quero viver em paz! E já achei o caminho! O caminho que não suga a tua alma, que não faz desdém de tua fé, do amor e da solidariedade. Amores? Amor acaba... nasce... renasce...eu revivi, vivi e ponto. Agora quero respirar o melhor da vida! Pois criei muita expectativa. Só eu sei o quanto tentei não repetir esta relação. Eu relutei.... Mas anfã. Aconteceu. E tenho este menino QUE NÃO TEM NADA HAVER COM O MUNDO AFORA.
Chega! Eu quero paz! Eu to olhando para a minha vida. Não quero discórdias...muito menos mágoa... Se eu pudesse conversar... expor... mostrar o meu lado.... Fica assim...
Felicidade está nos ressonar do meu filho enquanto sonha, no upa! Upa! Em mim com abraço e sorriso que dinheiro algum compra. Preenche. Me basta! O resto, Deus sabe...

domingo, outubro 05, 2008

MARTHA MEDEIROS... fale por mim...


DESPEDIDA

Existem duas dores de amor:A primeira é quando a relação termina e a gente,seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva,já que ainda estamos tão embrulhados na dorque não conseguimos ver luz no fim do túnel.A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,a dor de virar desimportante para o ser amado.Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.É que, sem se darem conta, não querem se desprender.Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida…Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância,mas que precisa também sair de dentro da gente… E só então a gente poderá amar, de novo.Martha Medeiros

sexta-feira, outubro 03, 2008

TUCHÊ PARA OS DESAFIOS


Faz mais ou menos um mês que escrevi isto... Conflitos pessoais...de coração... Hoje respiro melhor. A gente se ama... e muito... No entanto, ambos estão em outras diretrizes... Romper, acabar? Até que tentei... e olha que não foi uma nem duas vezes... mas como meu Ale fala 'acho que nunca vamos nos separar"... Moderno, diferente...egoísta ou esquizóide... o que importa é a essência... Fora isto estão os papéis...as posses...meus projetos que quero dar a meu filho... isto é muito importante pra mim... muito... Fica aí um pouco do meu tricô sentimental...



(escrito em 01 de setembro deste ano)

Que todo mundo sabe que sou um livro aberto, não é novidade. O que mudou que continuo assim, porém colocando restrições nesta ingenuidade do sentimento.
Problemas, modo de enxergar a vida, todos nós carregamos. Basta avaliar, dosar as medidas dos sentimentos e das razões. Ô duplinha danada esta, né? A maioria das vezes elas não entram num acordo comum. Paciência.
Aí surge Deus e o Sr.Tempo.
Um designando; outro ensinando.
Trajetórias mudanças bruscas, traumas... enfim, etapas com início-meio e fim todos passamos. Há quatro anos, amarguei isto. E no mesmo ano, aquela surpresa que todos sabem que foi reencontrar meu grande amor. Só que amor, como diz um e-mail lindo que recebi estes tempos “não tem currículos. Se tivesse, os cafajestes estariam na fila de espera”.
E eu criei limites, prazos, momentos para tudo na vida. Inclusive para este enredo com uma história tão maluca. Depois de oito anos... reencontro com o Ale.
Tem momentos na Vida que só amor não preenche. Queremos o bem do próximo, queremos a evolução, o crescimento a maturidade como cidadão... O que não podemos é carregar os problemas... E eu sei que tenho esta tendência. Sou meio esponja. Absorvo os problemas de quem eu gosto. Visto a causa, luto em desbravar os fantasmas. E eu tentei matar a charada. Mas ele não quer... Taurino absoluto, goleador de muitas boladas e bola murcha de muitos pênaltis que já passou em sua trajetória, o Ale, o meu Ale...não quer; não quer rumar um mundo diferente... Acha que consegue, acredita que na vida tudo se dá um jeito. O problema é a ótica deste “se dá um jeito”. Se recolher, se anula, se cala ou empurra com a barriga. De nada disto adianta. Ta na hora de virar. E a isto que luto. Por ele! E confesso que ta difícil...
Eu por exemplo, tive metas na Vida: Estudei, fiz muita festa, paquerei muuuuitooo e, um dia, formei um lar - que logo se desfez e, que logo depois refiz; do meu modo. Hoje me orgulho disto. Tenho culhão que muita gente duvidou. Enfrentei barreiras e confesso que cheguei a achar que estava no meu limite.
Minha gravidez foi um BOOM pra todos. Inclusive pra mim. Mal eu sabia que a gravidez era a cereja do bolo que Deus me reservava! E o Ale, da forma dele, sempre esteve ao meu lado...
Hoje eu quero mais que isto! Tuchê!!!! Vocês me entendem? . No entanto, o meu ‘quero mais’ é por ele, também. Ele tem uma família ma-ra-vi-lho-as; da maior essência e mais rara que muitas famílias não tem: a união e o amor. E o meu filho nesta história? Veio pra somar com esta linda família. Família Ferreira Silva e família Carvalho Fernandes!
“ – Que cruza!”; diz a adorável Dona Sueni.Hoje, posso (e confortar) que aprendi muito com a vinda do João Vicente.
Um dia me falaram: " - Tu vai ver quando o teu filho nascer como vai mudar!".
O plus de tudo isto foi a metamorfose hormonal que mudou em mim:
Realmente sou outra. Até mais chata, mais brava, sem papas na língua. Libertei da trava, perdi a etiqueta. Se esttá errado eu fala na lata. O que, certamente, mexeu na nossa relação.
Mesmo o amando tanto(e amo tanto que chego a me questionar da onde vem tanto amor?). Ele também passou por um turbilhão de fatos, mudanças. Muitas o deixaram perdido. Confusão é uma palavra que cerca meu Ale... meu eterno Peter Pan.
Então, veio a paciência, a perseverança. Sempre aliada ao companheirismo dele e as nossas típicas trovoadas de ciúmes e incompatibilidade de pensamentos da Vida. Chegamos a indagar o fim. E até agora este fim não vem. Pois Deus que nos guia. E a Ele que rezo, sempre.
Aos 36 anos cheguei. Aos 36 anos decidi que tudo que tiver na minha vida vai ser do meu suor. Do meu jeito. Mesmo que eu tenha que voltar pra trás a tantos planos que já, conquistei. Tempo hoje pra mim corre. Quero uma casa própria. E é isto que me atormenta. Pra ter, vou ser obrigada a seguir um plano que não queria. Ta na geladeira o plano... E a vida....

A Mentira

Estes são os dois comentários do Paulo Sant'Ana... Tem gente que me pergunta porque eu não ando escrevendo...até escrevo gente...mas tanta coisa do coração e pessoal...que filtro e não publico nada... Acima aí vocês verão uma de coração... mas agora vou citar esta do meu escritor polêmico... Paulo Sant'Ana... para isto ele tem um dom.... E ando de saco cheio de mentiras... a isto ... além da hipocrisia... deixo mais este belo texto deste gênio jornalista....

"Lendo a entrevista com Aguinaldo Silva, autor de Duas Caras, no Caderno Donna, refleti que todas as pessoas, todas, inclusive eu, mentimos.
Ou melhor, vivemos mentindo.
A mentira é, pois, um componente inafastável das nossas relações.
A maior parte das mentiras que pronunciamos durante o dia, na verdade não pronunciamos: ficam sepultadas no nosso silêncio.
São as coisas que gostaríamos de dizer - ou deveríamos dizer - e consideramos aconselhável não dizer. Por diversos motivos.
Vem-nos a idéia, clara e estuante, mas ela "esbarra no molambo da nossa língua paralítica". Deixamos para dizer outra vez ou resta para sempre soterrada em nossa cabeça.
Quase sempre, essas verdades que sonegamos causariam incômodo irremediável.
Há o silêncio mentiroso em que o maior favorecido dele não somos nós, são as pessoas com quem estamos tratando: se disséssemos o que estamos pensando, iríamos ferir os nossos interlocutores, empurramos com a barriga as nossas verdades, à espera de uma melhor ocasião ou de que desapareça o motivo para a nossa colocação.
Entre todas as mentiras silenciosas, a maior delas é o segredo. Carregamo-lo às vezes durante toda nossa vida como um fardo, as outras pessoas todas do nosso redor ficam privadas daquela verdade que nos queima e envergonha. E cuja não-revelação nos favorece.E finalmente as mentiras sonoras ou gestuais, aquelas que falamos ou gesticulamos. O que é sim, dizemos não; o que é não, dizemos sim.
São, por assim dizer, as mentiras do nosso interesse, por conveniência as pronunciamos, livrando-nos de uma responsabilidade ou de uma incomodação.
Na semana passada, a ministra Dilma Rousseff deu-nos conta brilhantemente de mentiras que ela pronunciou sob tortura, declarando que se não as pronunciasse poria em risco ou eliminaria vidas de seus companheiros de insurgência.
A mentira, portanto, tem também esse dom: se não a pronunciarmos, a verdade nos causará um dano imenso ou leve, é melhor que finquemos pé nela e nos livremos da atrapalhação.
Eu fiquei pensando ontem que a mentira é lícita. Nos 10 mandamentos, não há qualquer menção de que a mentira seja uma infração contra a lei de Deus.
Entre os sete pecados capitais, a ira, a gula, a inveja, a luxúria, o orgulho, a preguiça e a avareza, nem por colateralidade é mencionada a mentira.
Se nesses dois códigos importantes que norteiam a conduta humana não é mencionada a mentira, então é porque ela é consentida.
Só há um caso de punição para a mentira: é quando quem a pronuncia está sob juramento na Justiça: incorre então em falso testemunho.
No entanto, o princípio de que ao réu é permitido mentir, visando a que não se o obrigue a produzir prova contra si, inspirado em um ensinamento de São Tomás de Aquino, inspira que às pessoas comuns não é exigível que falem a verdade quando isso as prejudique.
Deve ser por isso que as pessoas saíram por aí a mentir deslavadamente. Para não prejudicarem a si próprias e para não prejudicar aos outros.
A mentira, portanto, é um truque de comportamento que visa a uma vantagem circunstancial de quem a emite, para quem a verdade traria transtornos.
E também é um recurso de extraordinária valia na vida humana: indiscutivelmente, um mundo em que as relações humanas fossem movidas só pela verdade se caracterizaria por confrontos assustadores. "
*

HIPOCRISIA


SANT'ANA.... É SANT'ANA...tem falado por mim em muitas barbaridades que vejo, pesco e fico sabendo do dia-a-dia de quem eu conheço....

Então... por ser doloroso citar... quem sabe melhor desabafar? Nada melhor que Paulo Sant'Ana neste texto que fala sobre a hipocrisia. Vejam:



"Uma das características mais freqüentes no comportamento humano é a hipocrisia. Muita gente é exatamente o que não deixa transparecer. É clássico que por trás de quase todo o moralista existe um cafajeste. E não raro o mais modesto homem de um grupo esconde dentro de si um refinado narcisista e megalomaníaco.
Essas pessoas são as mais sofridas. Porque residem nos seus peitos demônios que rugem e que elas mantêm aprisionados e amordaçados, escondidos sob o esmalte do fingimento. Passam a vida inteira sem se darem a conhecer, não deixam escapar uma só frase ou gesto que acusem a sua verdadeira personalidade e vão até o túmulo ocultando a sua legitimidade ideológica.
Na política, essa distorção de conduta é quase que invariável. Já se disse que o político é um ator, nada mais verdadeiro. Há políticos que desempenham durante toda a sua vida um papel completamente desligado de sua idéia e objetivo.
Os mais potencialmente sanguinários fascistas que conheci na política eram notáveis homens de esquerda. Dos seus lábios e do seu currículo só brotavam palavras e pensamentos que exaltavam a democracia, o respeito aos direitos individuais, o protesto veemente contra as práticas totalitárias da direita e da ditadura instalada. Se algum dia viessem a assumir o poder, as noites de seu país ficariam povoadas das prisões, da tortura, dos assassinatos, talvez até do genocídio.
Usavam a liberdade como mero e falso estandarte para suas intenções sinistras de vilipêndio e arrasamento do Estado de Direito. Eram intrinsecamente mais verdugos que seus pretensos ou reais carrascos. Condenavam e lutavam contra o que idealizavam se de súditos se tornassem soberanos. E em muitas ocasiões, na atividade política rotineira, deixavam transparecer, em ímpetos incontroláveis, amostras dessa sua tendência despótica e cruel.
Eram verdadeiramente de esquerda mas falsamente democratas os mais torpes e implacáveis políticos que conheci. Superavam ou se igualavam aos piores exemplares da direita, demonstrando que maldade e arbitrariedade não têm cor nem lado político. Hitler e Stalin podiam divergir visceralmente em torno a conteúdos ideológicos, mas em essência eram duas feras insaciáveis do sangue humano para a realização de suas doentias ambições.
Por trás de uma mulher recatada à luz do dia, pode estar uma incendiada messalina na escuridão da noite e na indevassável intimidade. O marido que nunca trai, esse pode ser o mais promíscuo dos machos nos labirintos de uma cidade. O mais honesto dos profissionais pode estar esperando o momento propício para dar o golpe do século. Um terno libera-se num instante para desvelar-se como um assassino. Um permanentemente leal explode de repente no mais repelente traidor.
Porque é do cerne biológico dos humanos fabricar uma aparência indigna e inversa da substância. Porque fingir e mentir são marcas indeléveis do homem e nunca vão desaparecer do seu caráter. Porque o homem é o único animal que pensa, tendo a faculdade de camuflar esse privilégio. Os outros animais não pensam, daí que todos seus gestos são sinceros.
É muito importante o que o homem faz, mas eu daria um doce para saber o que ele pensa. E entre o que faz e pensa quase sempre tropeça num abismo.
*Texto publicado em 02/03/1997, em Zero Hora"