quarta-feira, dezembro 10, 2008

Mar



Vento, maresia, rosto contraído. Pés gelados, arrepio na pele... grito de energia! Submergir numa espécie de dança dos repuxos saudamos à Rainha do Mar, Mãe Iemanjá! Salve, salve... Mar... Ah... o mar... elemento da natureza; enamorado do senhor Vento que tanto me inspira... e inspira... Não vejo a hora de te encontrar...

Foto: by Simone Möllerke



terça-feira, dezembro 02, 2008

Esta é para tu refletires!


Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca Não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.

Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "is" em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.

Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.

Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.

Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante. Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe. Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples fato de respirar. Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade. ( Matha Madeiros )

quarta-feira, novembro 19, 2008

Eu sou...

Eu não me acho diferente, nem melhor que ninguém. Sou uma mulher que pensa, uma menina que erra. Tenho os pés no chão, mas gosto de voar alto. Sou extremamente frágil, mas forte o suficiente. Posso estar rindo de tudo e num piscar de olhos chorar... tenho várias formas e somente uma face. Porque tudo depende dos valores os quais estão atrás dos olhos que me observam. Não sou nada daquilo que esperam de mim, sou o que cada um merece!!"Não sou nem melhor e nem pior,Sou apenas diferente,Em vez de tentar ser como os outros,Eu tento ser cada vez mais eu,O mundo já está cheio de pessoas iguais!!!Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim,Nem que eu faça a falta que elas fazem,O importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível....Eu sou mulher, me respeito e me valorizo!!!

terça-feira, novembro 11, 2008

Trapalhadas...


Eu não poderia deixar de postar.
Esta foto lembra muito um registro familiar no Natal de 2006.
Pra começo de conversa, é notório a quem convive com a minha família saber que todo mundo tem um dom artístico para a comédia. Uns por desastres; outros por distração e outros por azarados mesmo. O fato é que tudo vira motivo de boas risadas. Comparam-nos com o seriado “A Grande Família”, da emissora Globo.
No dia da ceia natalina, o povo abduzido estava todo emperiquitado. Entre orgias olfativas de perfumes, bolinhas vermelhas, luzinhas, Papai Noel de tudo quanto é tamanho, castanhas, peru assado e a chegada dos parentes, lá estava o meu pai, Dalton Luiz, sentado no seu divã poderoso, quieto e sereno!
Enquanto isto, cada qual com a sua chegada, sua conversa... Enfim, sua risada, botava os assuntos em dia.
No “upa-upa” natalino dos parentes, minha prima Márcia solicitou ao chefe dos "Carvalho Fernandes" que registrasse com sua máquina digital aquele momento festivo! É, DI-GI-TAL, gente!!!... Mas, para o “Daltinho”, meu pai, este produto que bombava naquela época, repleto de tantos megapiexels e o escambau, não era motivo de interesse.
Ele, conhecido pela sua inquietação mental e jeito indiano de enxergar os problemas da vida, pegou a máquina de qualquer jeito e 'mirou' o povo, que estava intacto, com a letra 'x' no verbo, esperando o 'flept" do flash. Era pra dizer: " - Olha o ‘passarinho’!!!" Mas acabaram todos dizendo, em alto e bom som:
" - NÃO! NÃO!!!... VIRA! VIRAAAA! VIRA A MÁQUINAAA!..."

Estarrecido, abduzido... nos olhou e disse:
" - O quê que foi?"

A máquina estava exatamente como esta da foto aí gente, algo que nunca mais esquecerei...

Coisas da minha família!!!... rs rs

Depois dos congestionamentos, um presente!




Não é de agora! Todos sabem, para quem mora na Zona Sul, a dificuldade de retornar pra casa. Foram meses de obras, desvios, paradas, acidentes, cones, luzes e inauguração do Museu Iberê Camargo. Festas fechadas, equipes de reportagens e muita, mas muita tranqueira de carros... Tudo, enfim, diferente. Uma grande obra gera mudanças. E, para nós, terráqueos da zona Sul, a vinda do Barra Shopping Sul está sendo um presente, um acontecimento e uma realização para valorizar ainda mais a região mais arborizada de Porto Alegre.
Para isto, houve muitos transtornos. Eu sou uma que, ao voltar para casa, com o João Vicente, faço vários atalhos. Pegar a av. Icaraí virou uma lenda. Anda e pára; pára e anda. Isto me tirava do sério...
Tumultos à parte, o novo Shopping está prestes a ser inaugurado, segundo as notícias: dia 17 de novembro. Provavelmente com abertura fechada a artistas, personalidades do Sul e convidados.
As vias dão um nó visual para quem dirige. Há tantas ruas criadas, avenidas alargadas e rotas alteradas que dirigir por aqui todos os dias exige um certo cuidado. De semana a semana algo novo aparece. E o mais bacana foi a inclusão de dezenas de coqueiros.
Certa vez, voltava de uma festa com duas amigas. Uma é a Verinha, de Canoas. Doida de atar, não sabia sequer onde estava. Como já era madrugada e passávamos por ali, algo a surpreendeu. Luzes e aqueles coqueiros fizeram a espivitada indagar onde estava. Foi aí que larguei:
“ – Sinta-se em BEVERLY HILLS!”
A risada foi geral.
Passar de dia também tem o seu lado inusitado. São dezenas de grupos masculinos, todos de macacões e capacetes. Operários daqui e de outros Estados circulam, perto do horário de almoço, por todos os arredores. É o novo! É um acontecimento!
O Shopping Barra sul tem 68.378 m² de ABL (Área Bruta Locável), 215 lojas, entre âncoras, mega-lojas, satélites, praças de alimentação, área de lazer e entretenimento, um complexo de cinemas e um inédito centro de eventos multiuso.
Impossível negar!
Porto Alegre – Zona Sul já tem cara nova!

segunda-feira, outubro 27, 2008

Ser feliz



Ser feliz por tão pouco. Ser feliz, pelas atos e fatos mais simples que existem em nossa volta!
Ser criança; é ter o dom de tornar o simples, o objeto ‘sem graça’, em algo tão divertido, mas tão divertido que comove e contagia a todos que estiverem a sua volta! João Vicente é a própria alegria em seus doces 83cm de altura. Um pacote de gente que brinca, pula e desbrava os pequenos objetos que tem por uma casa. Ta certo! Sabemos que numa casa há grandes armadilhas. Sou uma mamãe vigilante. No que eu posso eu rastreio tudo que ele pega e acha. Mas teve um dia que achei muito engraçado. Ele só queria andar pela casa com uma fita crepon engatada no seu tornozelo. Com um pé calçado e outro não, ele andava pelos aposentos faceiro. No entanto, se o ‘seu brinquedinho’ saísse de seu tornozelo ele voltava apreensivo que era para recolocar o objeto nele. E assim foi, por alguns momentos da tarde, brincando com este adereço escolar como se fosse o melhor brinquedo do mundo. É nestas pequenas alegrias que encontramos a melhor terapia de viver a Vida!

O MEU DESEJO É UMA ORDEM: EU SOU FELIZ!





O MEU DESEJO É UMA ORDEM: EU SOU FELIZ!
“ - Amor é pra sentir e não pra entender veio!”,
Frase do Bruno, Sorriso Maroto
Rá, tenho um doce colega, meu grande amigo, irmão da Deusa Afrodite e confidente de muitos perrengues que 2008 já me ofereceu. Somos muito engraçados em tardes de trabalho. Ele não nega ser romântico, não nega viver e não admite perder tempo em sua vida com lágrimas de amor. Ele é um bom vivan! Tem uma princesa em seu coração que ele a elegeu como musa de sua imaginação enquanto varre as tardes jurisprudenciais ouvindo suas músicas românticas. E divide comigo, gente! O mais engraçado é que, quando menos espero, tem uma mensagem para mim: “ – Fabinha, coloca na faixa 9.”; “ – Fabinha, escuta esta. Esta é pra ti” ou “- Fabinha, tem uma que tu vai te abalar. É a tua história”...
E por aí vai. Dois malucos que tiram sarro das próprias desilusões. Ele é muito mais otimista do que eu. Mas me leva a dar boas risadas, mesmo que a música te leve a cortar os pulsos com bolacha-maria.
E chegamos a conclusão: Somos felizes assim! Temos a ciência que a cada experiência de um relacionamento, sentiremos muito mais do que já sentimos. Seremos muito mais do que já fomos! É o ensinamento que por mais profundo que seja a aventura de amar(ou achar que ama) alguém, mais se ilumina a verdade de que o destino não se encontra em algum ponto do futuro. Está no aqui e no agora e que a meta não é chegar a lugar algum e, sim, estar plenamente presente onde nós já estamos! É agir, se coçar, se mexer! A vida é tão linda para não saber perder! Amor não nos faz caímos; amor nos faz crescer!
Pra ti meu amigão!
Qual é a música Markinhos? rsrs

sábado, outubro 18, 2008

Meu blog


EM PRIMEIRO LUGAR! MEU BLOG FOI FEITO EM 2005.
SERIA MUITO CONVENCIMENTO ACHAR QUE FALARIA SÓ DE SENTIMENTOS.

NO MEEEEUUU BLOG EU FALO:
DE VIDA,
DAS MIIIIIINHAS VIAGENS PELO BRASIL,
MINHAS AVENTURAS,
MEU SAMBA,
MINHA PROFISSÃO!
MEU FILHO
E
DE MINHAS INDIGNAÇÕES CLIMÁTICAS, SOCIO-ECONOÔMICAS!

ACHAR QUE FOI SÓ PARA UMA PESSOA,
É PIADA!
EU MUDEI!
NOSSA, COMO MUDEI!TEM GENTE QUE ME PERGUNTA:
DA ONDE VEM TANTA SERENIDADE?
EU SÓ RESPONDO:
ME ALIMENTO DE VERDADES... E SO ASSIM ME SENTI LIVRE. DE BEM. E TENHO PASSADO ISTO PARA MEUS AMIGOS E FAMÍLIARES!
NÃO SOU MAIS AQUELA QUE CHORAVA PELOS CANTOS.
DEPOIS DE SER MÃE EU VI O QUÃO A VIDA É MAIS COLORIDA!
SE VOU TER UM NOVO AMOR?
CEERTO.
JÁ TEM GENTE NA RETA.
MAS NÃO É O MEU OBJETIVO.
QUEM SABE UMA AVENTURA!
AGORA EU SÓ QUERO PAZ.
TAVA SUGADA DE INSEGURANÇAS, DE NUVENS...NEBLINAS.

EU ESTOU CANSADA DE FAKES ME ALFINETANDO E TORPEDO DE INTERNET. EU ESTOU LIVRE.
SÓ QUERO PAZ, E QUERO QUE MEU FILHO FELIZ! SEM MISTÉRIOS E MENTIRAS. ESTE TIPO DE VIDA AÍ, QUE VI, NÃO LEVA A NADA:
A NÃO SER SOLIDÃO.
DO QUE ADIANTA TER VANTAGEM SE A SOLIDÃO ASSOMBRA?DEUS SABE DE TODAS AS COISAS! E A ELE QUE ME GUIO!
SEMPRE DISSE ISTO!SAIO DE CABEÇA ERGUIDA!CONTINUO QUERENDO O BEM, ATÉ DE QUEM ME ENGANOU E ME FEZ DE PALHAÇA.
NÃO VIM PARA ESTA VIDA PARA SEMEAR O MAL.
DEU!
LIVRE.
EM PAZ!O QUE LAMENTO, É QUE DE MIM NÃO POUPOU EM NADA.
A SORTE QUE TENHO AMIGOS.
ESTES, DISTRIBUIAM SINAIS DO TIPO: 'CAI FORA".
E EU CUSTEI A ENTENDER. VAI VER QUE NÃO ERA A HORA.
MAS A LIÇÃO QUE EU GANHEI DISTO TUDO? *** DE NÃO SER BOA DEMAIS *** E QUANTO A PALAVRA QUE DOEU NA CONSCIÊNCIA?
LEMBRAS?
O DICIONÁRIO AURÉLIO TÁ AÍ PRA DIZER. EU NÃO VOU EXPLICAR.
PORTANTO, NÃO TIRO UMA PALAVRA POIS SOU AVESSA A MENTIRA,
CANSEI DE EGOÍSMOS.
ACHO QUE AGORA POSSO RESPIRAR.
E O MEU FILHO NÃO TEM NADA HAVER COM ISTO.
NÃO TIRO UUUMMMA PALAVRA.
UMA SEQUER DO BLOG.
É MEU.
SABE POR QUÊ?
PORQUE EU FALO A VERDADE.
E PASSADO É PASSADO. NÃO APAGO NADA. É BOM RELER. MAS TAMBÉM SEI QUE É JOGADA, MODO VIRIL DE VIRAR A MESA E MUDAR O ASSUNTO. PRAXE...
EU VIVO DE PRESENTE E DO FUTURO?
ESTE SIM, É PROMISSOR!


EU ME MACHUQUEI, DOEU. MAS ME SURPREENDI QUE MÁGOAS EU NÃO TENHO. QUE LOUCURA. ACHO QUE MEU FILHO SELA ESTA PAZ.
ELE AMA TUDO QUE GUARDA NO CORAÇÃO. E ISTO EU NÃO VOU ALTERAR. MAS DEUS VAI ME AJUDAR.MEU FUTURO NÃO É TRISTE, NÃO ESTAREI SOZINHA, POIS VALORIZO QUEM ME VALORIZA. I
INTÉ A SUGAÇÃO DE ENERGIA DE DOAÇÃO.PAZ... AGORA PAZ... POIS PRA PALHAÇA JÁ FUI. GRAÇAS A DEUS NÃO SOU MAIS.

"Às vezes, é preciso mesmo acordar da rotina do mundo, olhar a volta e enxergar além da vitrine. É difícil conseguir sair do emaranhado dessas expectativas que a gente mesmo e a sociedade nos impõe. Mas quando isso acontece, o peito se enche daquela sensação plena de que você é e tem tudo para ser feliz...e pra mim... esse é o segredo."

terça-feira, outubro 14, 2008

Eco... pra vida toda...



"Nunca lamente uma ilusão perdida, pois não haveria fruto se a flor não caísse."

domingo, outubro 12, 2008

Eu vivi



Tem gente se sentindo magoado sem motivo aparente; já outros..tem todos os motivos para se magoar... E eu nesta peteca de histórias teria zilhões de motivos para me magoar também. E não... quando penso que estou regando uma mágoa dentro de mim; algo me diz que não. Eu vivi gente! Basta! Deu! Pensei, sonhei, ri, chorei, me exaltei e me calei. Coisa boa! Eu soube viver... Já dizia antes: Não me interessa o futuro; cansei de viver já pensando no futuro e, em todas... me dei mal. Eu, há muito tempo vivo o presente MAS SEMPRE, sendo sincera e pedindo sinceridade.
E foi exatamente isto que não consegui garimpar: a sinceridade.
Sei lá porque...
Pois amor não se pede, se conquista; amor não se ordena; se doa....
E a sinceridade veio maquiada de motivos que até hoje me pergunto: " por quê"?
Talvez pela vantagen de ter tudo(pra não dizer todas) ao mesmo tempo, em vários cenários... enfim, em vários momentos.
Talvez por medos... Medos do estress...medos dos seus próprios medos... ou talvez por achar que o incorreto(que nunca lhe foi dolorido) seria, também, indolor para outros...
Errado!
Doeu para muitos personagens.
Eu já tinha passado, já tinha tentado fugir, não preciso nem provar. Amarguei já pressentindo... Eu tinha isto muito bem trabalhado em mim.
E baseado nisto que resolvi viver tudo!
E vivi!
Mas nada foi em vão.
Pena que as pessoas tenham cabeças tão pequenas...
E hoje eu passei o dia das Crianças com uma pessoa muito especial na minha vida... muito. Pegamos sol, passeamos de carro, curtimos muita música e ficamos em um bar vendo e contemplando um lindo dia!
Foi bacana. E é isto que quero sorver!
Sorver o melhor do dia sempre, claro, com meu filho ao lado. E ele tá tão alegre... nossa! Benza Deus.


abaixo uma linda mensagem:


"Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido.Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta."

quarta-feira, outubro 08, 2008

PALAVRAS


"As palavras são como os patifes desde o momento em que as promessas os desonraram. Elas tornaram-se de tal maneira impostoras que me repugna servir-me delas para provar que tenho razão."

A lenda do HIOKU


Gente, isto é uma lenda que minha irmã me enviou depois que soube de tantos enredos! Para ter como lição da real forma de algumas pessoas que gostas de absorver o teu melhor: os mais nobres sentimentos e as mais puras e iluminadas energias... Aqui vai uma lenda...
divido com vocês:
A LENDA DO HIOKU


Segundo uma lenda milenar existiu um espécie de pássaro muito especial no japão que se chamava Hyoku.
Os antigos guardavam sua história como uma verdadeira lição para os homens de qualquer época.
E segundo essa lenda, o Hyoku era um pássaro que nascia apenas com uma asa. Assim, desde o instante do seu nascimento ele buscava encontrar sua outra metade para unir-se a ela, se completando para conseguir sua realização de pássaro: Voar.
Porque enquanto ele não encontrava sua metade, ele não chegava a ser efetivamente um pássaro, apenas meio.
A lenda de Hyoku traz, por isso uma lição profunda para todos nós: A de que um ser só é completo, quando é metade de alguém.
Pena que ao contrário do Hyoku, muitas pessoas ao invés de buscar a metade que as realize, acabam na ilusão do poder, do egoísmo, do egocentrismo reduzindo sua vida ao meio.
Incapazes de se darem a alguém, não conseguem nunca se completar como seres humanos de fato.
Passam pela vida sendo apenas metade de gente.
Pense Nisto.

terça-feira, outubro 07, 2008

Esclarecendo...


Então, vamos esclarecer. Tudo está, hoje, muito claro. Acabou e não volta mais. A questão toda que venho - novamente aqui a dizer – que o meu filho como qualquer aula de ciência e genética tem, sim, os dois laços sanguíneos. E graças ao bom Deus, as duas famílias não misturam problemas pessoais de um casal. Neto é neto, filho é filho. Criança! Santa inocência! Porque envolver eles? São anjos e não tem nada haver. Minha história acabou por sujeiras, mentiras que eu já previa. Cachorro que come ovelha; só matando rsrs Por fim, deixo claro que estou muito bem sozinha. Aliás, optei em ser assim sempre fui assim... Aquarianos tem a tendência a ser assim, sem ser ortodoxa em astrologia, mas...sim. Vi muita frieza no olhar de muitas pessoas, senti o frio e arrepio deste mundo de pedras, revi pessoas sem alma, pessoas egoístas que gostam do escuro, do mundo preto e branco, da amizade escusa, da fome em sempre estar em vantagem; sem sequer valorizar o melhor da vida que é o amor ao próximo...o amor de uma família, por exemplo. Prefiro dividir meu romantismo neste blog. Sofri muito mais quando, um dia, fui casada do que hoje. Por quê? Porque filho fortalece qualquer mulher. Sou fera, sou bicho... sou anjo e sou mulher. Cássia Eller que o diga! - nem tanto feminina, no entanto, uma exímia mãe - falou por mim hoje e sempre! Mãe é mãe! Filho é filho e não retiro nada, mas nada do que já escrevi aqui. Viver de enganos, de desilusões? Quem já não viveu!?! Não conhece amor nem paixão - este samba é bom! Isto é mixo! É pequeno pra tantas formas belas de ver a vida. Levante-se! Bem-vindo ao mundo dos adultos, ao abutre sazonal da magia masculina!
Ultimamente tava botando ‘no caderninho’ tarefa fácil. Dez itens de vantagens e dez itens de desvantagens... nossa o placar foi péssimo. Desvantagens superou meus limites. As palavras vinda da memória e do coração me assustaram.
Eu quero viver em paz! E já achei o caminho! O caminho que não suga a tua alma, que não faz desdém de tua fé, do amor e da solidariedade. Amores? Amor acaba... nasce... renasce...eu revivi, vivi e ponto. Agora quero respirar o melhor da vida! Pois criei muita expectativa. Só eu sei o quanto tentei não repetir esta relação. Eu relutei.... Mas anfã. Aconteceu. E tenho este menino QUE NÃO TEM NADA HAVER COM O MUNDO AFORA.
Chega! Eu quero paz! Eu to olhando para a minha vida. Não quero discórdias...muito menos mágoa... Se eu pudesse conversar... expor... mostrar o meu lado.... Fica assim...
Felicidade está nos ressonar do meu filho enquanto sonha, no upa! Upa! Em mim com abraço e sorriso que dinheiro algum compra. Preenche. Me basta! O resto, Deus sabe...

domingo, outubro 05, 2008

MARTHA MEDEIROS... fale por mim...


DESPEDIDA

Existem duas dores de amor:A primeira é quando a relação termina e a gente,seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva,já que ainda estamos tão embrulhados na dorque não conseguimos ver luz no fim do túnel.A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel.A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços,a dor de virar desimportante para o ser amado.Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida:a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também…Na verdade, ficamos apegados ao amor tanto quanto à pessoa que o gerou. Muitas pessoas reclamam por não conseguir se desprender de alguém.É que, sem se darem conta, não querem se desprender.Aquele amor, mesmo não retribuído, tornou-se um souvenir, lembrança de uma época bonita que foi vivida…Passou a ser um bem de valor inestimável, é uma sensação à qual a gente se apega. Faz parte de nós. Queremos, logicamente, voltar a ser alegres e disponíveis, mas para isso é preciso abrir mão de algo que nos foi caro por muito tempo,que de certa maneira entranhou-se na gente, e que só com muito esforço é possível alforriar.É uma dor mais amena, quase imperceptível. Talvez, por isso, costuma durar mais do que a ‘dor-de-cotovelo’propriamente dita. É uma dor que nos confunde. Parece ser aquela mesma dor primeira, mas já é outra. A pessoa que nos deixou já não nos interessa mais, mas interessa o amor que sentíamos por ela, aquele amor que nos justificava como seres humanos, que nos colocava dentro das estatísticas: “Eu amo, logo existo”.Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância,mas que precisa também sair de dentro da gente… E só então a gente poderá amar, de novo.Martha Medeiros

sexta-feira, outubro 03, 2008

TUCHÊ PARA OS DESAFIOS


Faz mais ou menos um mês que escrevi isto... Conflitos pessoais...de coração... Hoje respiro melhor. A gente se ama... e muito... No entanto, ambos estão em outras diretrizes... Romper, acabar? Até que tentei... e olha que não foi uma nem duas vezes... mas como meu Ale fala 'acho que nunca vamos nos separar"... Moderno, diferente...egoísta ou esquizóide... o que importa é a essência... Fora isto estão os papéis...as posses...meus projetos que quero dar a meu filho... isto é muito importante pra mim... muito... Fica aí um pouco do meu tricô sentimental...



(escrito em 01 de setembro deste ano)

Que todo mundo sabe que sou um livro aberto, não é novidade. O que mudou que continuo assim, porém colocando restrições nesta ingenuidade do sentimento.
Problemas, modo de enxergar a vida, todos nós carregamos. Basta avaliar, dosar as medidas dos sentimentos e das razões. Ô duplinha danada esta, né? A maioria das vezes elas não entram num acordo comum. Paciência.
Aí surge Deus e o Sr.Tempo.
Um designando; outro ensinando.
Trajetórias mudanças bruscas, traumas... enfim, etapas com início-meio e fim todos passamos. Há quatro anos, amarguei isto. E no mesmo ano, aquela surpresa que todos sabem que foi reencontrar meu grande amor. Só que amor, como diz um e-mail lindo que recebi estes tempos “não tem currículos. Se tivesse, os cafajestes estariam na fila de espera”.
E eu criei limites, prazos, momentos para tudo na vida. Inclusive para este enredo com uma história tão maluca. Depois de oito anos... reencontro com o Ale.
Tem momentos na Vida que só amor não preenche. Queremos o bem do próximo, queremos a evolução, o crescimento a maturidade como cidadão... O que não podemos é carregar os problemas... E eu sei que tenho esta tendência. Sou meio esponja. Absorvo os problemas de quem eu gosto. Visto a causa, luto em desbravar os fantasmas. E eu tentei matar a charada. Mas ele não quer... Taurino absoluto, goleador de muitas boladas e bola murcha de muitos pênaltis que já passou em sua trajetória, o Ale, o meu Ale...não quer; não quer rumar um mundo diferente... Acha que consegue, acredita que na vida tudo se dá um jeito. O problema é a ótica deste “se dá um jeito”. Se recolher, se anula, se cala ou empurra com a barriga. De nada disto adianta. Ta na hora de virar. E a isto que luto. Por ele! E confesso que ta difícil...
Eu por exemplo, tive metas na Vida: Estudei, fiz muita festa, paquerei muuuuitooo e, um dia, formei um lar - que logo se desfez e, que logo depois refiz; do meu modo. Hoje me orgulho disto. Tenho culhão que muita gente duvidou. Enfrentei barreiras e confesso que cheguei a achar que estava no meu limite.
Minha gravidez foi um BOOM pra todos. Inclusive pra mim. Mal eu sabia que a gravidez era a cereja do bolo que Deus me reservava! E o Ale, da forma dele, sempre esteve ao meu lado...
Hoje eu quero mais que isto! Tuchê!!!! Vocês me entendem? . No entanto, o meu ‘quero mais’ é por ele, também. Ele tem uma família ma-ra-vi-lho-as; da maior essência e mais rara que muitas famílias não tem: a união e o amor. E o meu filho nesta história? Veio pra somar com esta linda família. Família Ferreira Silva e família Carvalho Fernandes!
“ – Que cruza!”; diz a adorável Dona Sueni.Hoje, posso (e confortar) que aprendi muito com a vinda do João Vicente.
Um dia me falaram: " - Tu vai ver quando o teu filho nascer como vai mudar!".
O plus de tudo isto foi a metamorfose hormonal que mudou em mim:
Realmente sou outra. Até mais chata, mais brava, sem papas na língua. Libertei da trava, perdi a etiqueta. Se esttá errado eu fala na lata. O que, certamente, mexeu na nossa relação.
Mesmo o amando tanto(e amo tanto que chego a me questionar da onde vem tanto amor?). Ele também passou por um turbilhão de fatos, mudanças. Muitas o deixaram perdido. Confusão é uma palavra que cerca meu Ale... meu eterno Peter Pan.
Então, veio a paciência, a perseverança. Sempre aliada ao companheirismo dele e as nossas típicas trovoadas de ciúmes e incompatibilidade de pensamentos da Vida. Chegamos a indagar o fim. E até agora este fim não vem. Pois Deus que nos guia. E a Ele que rezo, sempre.
Aos 36 anos cheguei. Aos 36 anos decidi que tudo que tiver na minha vida vai ser do meu suor. Do meu jeito. Mesmo que eu tenha que voltar pra trás a tantos planos que já, conquistei. Tempo hoje pra mim corre. Quero uma casa própria. E é isto que me atormenta. Pra ter, vou ser obrigada a seguir um plano que não queria. Ta na geladeira o plano... E a vida....

A Mentira

Estes são os dois comentários do Paulo Sant'Ana... Tem gente que me pergunta porque eu não ando escrevendo...até escrevo gente...mas tanta coisa do coração e pessoal...que filtro e não publico nada... Acima aí vocês verão uma de coração... mas agora vou citar esta do meu escritor polêmico... Paulo Sant'Ana... para isto ele tem um dom.... E ando de saco cheio de mentiras... a isto ... além da hipocrisia... deixo mais este belo texto deste gênio jornalista....

"Lendo a entrevista com Aguinaldo Silva, autor de Duas Caras, no Caderno Donna, refleti que todas as pessoas, todas, inclusive eu, mentimos.
Ou melhor, vivemos mentindo.
A mentira é, pois, um componente inafastável das nossas relações.
A maior parte das mentiras que pronunciamos durante o dia, na verdade não pronunciamos: ficam sepultadas no nosso silêncio.
São as coisas que gostaríamos de dizer - ou deveríamos dizer - e consideramos aconselhável não dizer. Por diversos motivos.
Vem-nos a idéia, clara e estuante, mas ela "esbarra no molambo da nossa língua paralítica". Deixamos para dizer outra vez ou resta para sempre soterrada em nossa cabeça.
Quase sempre, essas verdades que sonegamos causariam incômodo irremediável.
Há o silêncio mentiroso em que o maior favorecido dele não somos nós, são as pessoas com quem estamos tratando: se disséssemos o que estamos pensando, iríamos ferir os nossos interlocutores, empurramos com a barriga as nossas verdades, à espera de uma melhor ocasião ou de que desapareça o motivo para a nossa colocação.
Entre todas as mentiras silenciosas, a maior delas é o segredo. Carregamo-lo às vezes durante toda nossa vida como um fardo, as outras pessoas todas do nosso redor ficam privadas daquela verdade que nos queima e envergonha. E cuja não-revelação nos favorece.E finalmente as mentiras sonoras ou gestuais, aquelas que falamos ou gesticulamos. O que é sim, dizemos não; o que é não, dizemos sim.
São, por assim dizer, as mentiras do nosso interesse, por conveniência as pronunciamos, livrando-nos de uma responsabilidade ou de uma incomodação.
Na semana passada, a ministra Dilma Rousseff deu-nos conta brilhantemente de mentiras que ela pronunciou sob tortura, declarando que se não as pronunciasse poria em risco ou eliminaria vidas de seus companheiros de insurgência.
A mentira, portanto, tem também esse dom: se não a pronunciarmos, a verdade nos causará um dano imenso ou leve, é melhor que finquemos pé nela e nos livremos da atrapalhação.
Eu fiquei pensando ontem que a mentira é lícita. Nos 10 mandamentos, não há qualquer menção de que a mentira seja uma infração contra a lei de Deus.
Entre os sete pecados capitais, a ira, a gula, a inveja, a luxúria, o orgulho, a preguiça e a avareza, nem por colateralidade é mencionada a mentira.
Se nesses dois códigos importantes que norteiam a conduta humana não é mencionada a mentira, então é porque ela é consentida.
Só há um caso de punição para a mentira: é quando quem a pronuncia está sob juramento na Justiça: incorre então em falso testemunho.
No entanto, o princípio de que ao réu é permitido mentir, visando a que não se o obrigue a produzir prova contra si, inspirado em um ensinamento de São Tomás de Aquino, inspira que às pessoas comuns não é exigível que falem a verdade quando isso as prejudique.
Deve ser por isso que as pessoas saíram por aí a mentir deslavadamente. Para não prejudicarem a si próprias e para não prejudicar aos outros.
A mentira, portanto, é um truque de comportamento que visa a uma vantagem circunstancial de quem a emite, para quem a verdade traria transtornos.
E também é um recurso de extraordinária valia na vida humana: indiscutivelmente, um mundo em que as relações humanas fossem movidas só pela verdade se caracterizaria por confrontos assustadores. "
*

HIPOCRISIA


SANT'ANA.... É SANT'ANA...tem falado por mim em muitas barbaridades que vejo, pesco e fico sabendo do dia-a-dia de quem eu conheço....

Então... por ser doloroso citar... quem sabe melhor desabafar? Nada melhor que Paulo Sant'Ana neste texto que fala sobre a hipocrisia. Vejam:



"Uma das características mais freqüentes no comportamento humano é a hipocrisia. Muita gente é exatamente o que não deixa transparecer. É clássico que por trás de quase todo o moralista existe um cafajeste. E não raro o mais modesto homem de um grupo esconde dentro de si um refinado narcisista e megalomaníaco.
Essas pessoas são as mais sofridas. Porque residem nos seus peitos demônios que rugem e que elas mantêm aprisionados e amordaçados, escondidos sob o esmalte do fingimento. Passam a vida inteira sem se darem a conhecer, não deixam escapar uma só frase ou gesto que acusem a sua verdadeira personalidade e vão até o túmulo ocultando a sua legitimidade ideológica.
Na política, essa distorção de conduta é quase que invariável. Já se disse que o político é um ator, nada mais verdadeiro. Há políticos que desempenham durante toda a sua vida um papel completamente desligado de sua idéia e objetivo.
Os mais potencialmente sanguinários fascistas que conheci na política eram notáveis homens de esquerda. Dos seus lábios e do seu currículo só brotavam palavras e pensamentos que exaltavam a democracia, o respeito aos direitos individuais, o protesto veemente contra as práticas totalitárias da direita e da ditadura instalada. Se algum dia viessem a assumir o poder, as noites de seu país ficariam povoadas das prisões, da tortura, dos assassinatos, talvez até do genocídio.
Usavam a liberdade como mero e falso estandarte para suas intenções sinistras de vilipêndio e arrasamento do Estado de Direito. Eram intrinsecamente mais verdugos que seus pretensos ou reais carrascos. Condenavam e lutavam contra o que idealizavam se de súditos se tornassem soberanos. E em muitas ocasiões, na atividade política rotineira, deixavam transparecer, em ímpetos incontroláveis, amostras dessa sua tendência despótica e cruel.
Eram verdadeiramente de esquerda mas falsamente democratas os mais torpes e implacáveis políticos que conheci. Superavam ou se igualavam aos piores exemplares da direita, demonstrando que maldade e arbitrariedade não têm cor nem lado político. Hitler e Stalin podiam divergir visceralmente em torno a conteúdos ideológicos, mas em essência eram duas feras insaciáveis do sangue humano para a realização de suas doentias ambições.
Por trás de uma mulher recatada à luz do dia, pode estar uma incendiada messalina na escuridão da noite e na indevassável intimidade. O marido que nunca trai, esse pode ser o mais promíscuo dos machos nos labirintos de uma cidade. O mais honesto dos profissionais pode estar esperando o momento propício para dar o golpe do século. Um terno libera-se num instante para desvelar-se como um assassino. Um permanentemente leal explode de repente no mais repelente traidor.
Porque é do cerne biológico dos humanos fabricar uma aparência indigna e inversa da substância. Porque fingir e mentir são marcas indeléveis do homem e nunca vão desaparecer do seu caráter. Porque o homem é o único animal que pensa, tendo a faculdade de camuflar esse privilégio. Os outros animais não pensam, daí que todos seus gestos são sinceros.
É muito importante o que o homem faz, mas eu daria um doce para saber o que ele pensa. E entre o que faz e pensa quase sempre tropeça num abismo.
*Texto publicado em 02/03/1997, em Zero Hora"

segunda-feira, setembro 08, 2008

LEGUME HUMANO

Isto que mais me irrita. Tem uma palavra que entra nas nossas vidas sem nunca nos deixar. As agendas deveriam ter o adesivo “estou gripado”!
É difícil evitar; quase impossível curar de vez.
Pois, até hoje a ciência não descobriu uma vacina que combata os zilhões de vírus da gripe. Esta é uma praguinha que derruba a gente, deixando a sensação de dor no corpo, rosto enxertado de secreções, e visual dos mais escrachados. Não tem maquiagem que camufle.
Também, o que é a temperatura aqui no Sul? Segunda-feira retrasada um calor indiano; na mesma semana, a queda es-pe-ta-cu-lar de mais de 15 graus! Haja "corpo fechado" pra isto!!!
Me sinto naqueles sistemas caseiros de congelamentos de legumes. Conhecem? É da seguinte forma: Ferve a água deixando os legumes no bafo. A outra etapa é o "coringa" da dica caseira... Chama-se: TRATAMENTO DE CHOQUE! Despeja os legumes numa vasilha de gelo, espere alguns minutos; seque e.... CONGELA NO FREEZER!
Me sinto EXATAMENTE UM LEGÍTIMO LEGUME HUMANO, com direito a data de fabricação e validade...
E os vírus, de platéia, batendo palma para invadir as vias aéreas e correntes sanguíneas... é um playcenter pra eles....
E o meu filho nesta história? Pobre João Vicente... não sabe, mas já se habituou a se gripar algumas vezes por ano....

'HUMPF' para os e-mails

Não tem coisa mais chata do que abrir aqueles e-mails "PPS" e ter aquela música ensurdecedora "Come on, everybody!" e aqueles 'gritantes' instrumentos de sopros com as mensagens de sapinhos, piadas machistas, etc.

Ai... como é que ainda circulam entre os e-mails?

"Caiu" no meu, "morreu"!

"Buraco negro" p/ eles! Lixeira!!!...

sábado, agosto 02, 2008

Gandhi


Para todos...


"Se eu pudesse
Se eu pudesse deixar algum presente a você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida.A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo afora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. Daria a capacidade de escolher novos rumos, novos caminhos. Deixaria, se pudesse, o respeito àquilo que é indispensável: Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. Além da ação o cultivo à amizade.
E, quando tudo mais faltasse, um segredo: O de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída. (Gandhi) "

Um texto lindo...

Um texto lindo que li e deixo aqui para sempre refletir

"
Não entregue a direção de sua vida a ninguém
"Tome a tua vida em tuas mãos,E não entregue a direção dela a ninguém. Por mais que te amem, por mais que desejem o teu bem, só você é capaz de saber o que realmente sente, E aquilo que você passa de impressão para os outros, Nem sempre corresponde ao que vai na sua alma. Quantas vezes você já sorriuPara disfarçar uma lágrima teimosa? Quantas vezes quis gritar e sufocou o pranto? Quantas vezes quis sair correndo de algum lugar e ficou por educação, respeito ou medo? Quantas vezes tudo o que você desejou era apenas um abraço. Um consolo, uma palavra amiga e só recebeu ingratidão? Quantos passos foram necessários para chegarAté onde você chegou? Criticar é fácil, mas usar o seu sapato ninguém quer, vestir as suas dores ninguém quer, Saber dos seus problemas, só se for por curiosidade, Por isso, não entregue a sua vida nas mãos de ninguém, nada de acreditar que sem essa ou aquela pessoa, você não vai viver¿Vai viver sim, o mundo continua girando e, se você deixar, pode te trazer algo muito melhor. Pegue a direção da sua vida e aponte para onde a placa diz "caminho do sol¿, bem na curva da felicidade, que te espera sem pressa, para viver com amor e intensidade, a paz, a harmonia e a felicidade".




quinta-feira, maio 29, 2008

Sítio, festa no feriado





























Exatamente dois dias antes de completar um ano e um mesinho de vida do meu amado João Vicente, não teve melhor momento do que comemorar no sítio da sua outra dindinha Janaína. Uma bela feijoada com direito a samba de primeira e um astral que harmoniza qualquer ser humano estressado. Era uma paz só! Até o papis cantou! Foi uma farra! Abaixo as fotinhos da feijoada...do soninho no sítio... do samba com os amigos... Quinta-feira linda de feriado! Sol, vento gos-to-so e muita união e paz num lugar presenteado pela natureza!







terça-feira, maio 27, 2008

Mais uma do Nietzsche... vou ficar sem butiás nos meus bolsos, hêim!!!


Lendo esta frase de NIETZSCHE mostra de modo "filosofal e profundo" as muitas atrocidades que se ouve e vê no nosso dia-a-dia!
A mente humana é um universo inenarrável de atitudes que vão muito além do racional....
Compartilhem comigo...
"Quem combate monstruosidades deve cuidar para que não se torne também um monstro. Se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você".
Friedrich Nietzsche (1844-1900), em Para Além do Bem e do Mal (1886).

Outono e as lembranças...


O outono é o aperitivo do inverno. Faz tu matar a saudade do verão; como lembra - bem lembrado- a rigidez do inverno. Outono é nostalgia. É a labuta do corre-corre para sobreviver. O ano sempre vôa e olhamos os retratos; e lembramos do outono! E fica aquela sensação gostosa das folhas embaladas pelo vento; desmaiadas no chão. Outono do solzinho gostoso ; outono do manto gelado da lua.
É a hora de baixar as roupas de peso; as roupas felpudas. Obra da natureza... E por falar em natureza... no início do mês de maio marcou com um ciclone na região de Porto Alegre. Onde moro, fiquei mais de 24 horas sem luz e parcialmente sem água. Era, literalmente, o quadro da dor! O outono não só deixou as folhas no chão; como também, árvores centenárias, postes empalhados do tempo e muita, mas muita sujeira!
Foi o marco desta estação em 2008. E neste clima meio cinzento e meio colorido surge o lado bom: O de namorar. Namorar e namorar... Comer pipoca, ver um dvd predileto, fazer beijinho-esquimó com meu filho... brincar de abraço de upa-upa! Trocar olhares de quem mexeu comigo há oito anos atrás!
Volúpia....
Apenas isto...

Tudo junto


Fim de semana em família! Aliás, amo cada vez mais estar perto de crianças. E o melhor! Estas crianças são os irmãos do meu filho João Vicente! Meus filhos, meus bonecos, meus travessos tudo junto com a Mana-mór: Dada! É encantador! Vídeo-game, bolo de chocolate, lasanha da vó, sopinha também, da vovó Su! Coisa boooa! Não sei o que me espera o amanhã, mas aprendi a viver o presente! Aprendi que Felicida é estado de espírito! Felicidade é sorver o melhor das pequenas coisas...das pequenas atitudes!

Um adeus a Mizy...



Todos sabem: tive dois grandes amores felinos: Mizy e Barthô. A história é grande, e quem me conhece sabe o quanto eu sofri logo durante a minha gravidez que não teria outra alternativa a não ser dar os meus gatos. Teve gente que me criticou. Por opção, moro sozinha com meu filho. Se ficasse com Mizy e Barthô seria mais um desafio ter que monitorar os movimentos deles junto ao meu bebê. Era comum, por exemplo, meus amigos me ligarem e perguntarem: "- Fabi, teu telefone tá cortado? pois eu ligo para a tua casa e dá desligado!?!" Não! Não estava cortado. Sempre que chegava em casa dava de cara com um 'motim felino'. Os telefones derrubados, panelas no chão...travesseiros, almofadas...enfim, uma bagunça...
Então.... logo que o João Vicente nasceu, em abril de 2007, fui obrigada a doá-los. Custei. Mas achei lares adequados para ambos. Mizy ficou com a mamãe felina Rosane e Barthô com a mamãe de muitos animais, Elaine que trabalhava em meu condomínio. Faz algum tempo que soube que Barthô mora em Cidreira. Torci o nariz. Mas espero que esteja bem. Já o Mizy... soube, semana passada, de sua subida ao lado de São Francisco....
Mizy faleceu vítima de tumôr cerebral.
Doeu e muito saber da notícia.
Mizy era um gato-cão.
Companheiro, escrachado, guloso e mega carinhoso. Deixou um rastro de boas lembranças tanto para mim, como para a sua querida e protetora mãe, Rosane.
Foi internado várias vezes. Os veterinários tentaram o possível e o impossível. Só que o quadro era mais sério.
Vai Mizy amado! Tu foi um marco em minha vida! Nunca, nunca vou te esquecer....Abaixo, um pouco do que é um gato na vida do ser humano:
"
Arthur da Távola
"Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso...nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece.
O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis.
Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu.
Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado?
Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo?
Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula.
Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso.
"Falso", porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser.
O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio e espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer.
Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.
Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.
Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência.
Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.
O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta.
Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele não está ali. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.
O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber.
Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas.
O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!
Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo ( quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.
O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo.
Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio.Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.
Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.
O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem."


sexta-feira, maio 16, 2008

A vida ensina...


Plante o seu jardim e decore a sua alma, não espere que alguém lhe traga flores!

Um aninho e muitos ensinamentos...




Custei. E veio. Chegou a hora de relatar, comemorar e vibrar a chegada de um aninho do meu filho lindo, João Vicente. A tradição confirma o verbo: “passou voando! ... Já!?!?”
Exato!
Já.
Já me mostra atitudes tão lindas que posso dizer que ele é especial. Primeiramente nasceu num dia abençoado. Tem a proteção de São Jorge. E o mais interessante é que o meu pingo, é literalmente sorridente. Sorri pra ascensorista, pro frentista, pro moço que está atrás de mim numa fila qualquer. Sorri, inclusive, para os motoristas que aguardam, como eu, numa sinaleira, nas vias da cidade. Na creche, entre funcionárias e pais de crianças, todos, sem exceção alguma relatam:
“ - É o bebê sorriso!”
Eu já estava flertada por ele desde o meu ventre. Porém, o João Vicente conquistou e desempedrou os sorrisos mais enrugados à sua volta. É impossível não retribuir-lhe um sorriso!
E este serzinho de luz explora, em tudo, os sons com o seu corpo. Na água, no banho, não dispensa várias ‘raquetadas’ com as mãozinhas para curtir o ‘barulhinho aquático’ fazendo quem está a sua volta um verdadeiro pinto molhado.
Experimenta batidas na cabeça(sim! Perguntei ao pediatra se era normal)... É um dublê craniano! Meu Deus... tudo é na cabeça! Rsrs
Rolando, engatinhando e agora, andando. Parece um bonequinho andando. Ergue as mãozinhas pra cima e dispara nos passinhos.
Tem uma pressa....
Descobriu que mandar beijinhos e dizer adeus agrada a todos que o rodeia. Portanto, a-do-ra beijar e acenar!
Fascinado por bola, ama carregar uma para vibrar seus gritinhos de “- Gooolll !!!”
E a cada dia sempre uma surpresa! Estes dias, logo que o papai foi trabalhar, meu pingo, deitado na cama comigo, ‘chamou-me’ para "namorar".
Mãe e filho, cedinho da manhã.
Beijinhos, sorrisos, risadas e, do nada, meu anjo me pega pelos cabelos e puxa com aquelas mãozinhas miniaturas para dar mais e mais beijos. Selinhos abençoados de mãe e filho.
E lembro, que durante a minha gravidez só me falavam:
“ – Deu pra ti, deu para o teu sono.... “
Gente, meu pitoco dorme di-re-to, feito um anjo e, quando acorda, na madrugada, nem chorar; chora. Estica os bracinhos e aponta para a mamadeira. Pronto! Mamou; retorna abençoadamente ao soninho. É demais.
O que mudou, em mim, foi uma mavilhosa rotina que inclui um certo malabarismo; para quem tinha uma vida desregada. Indescritível. Sempre pensei, também, em ter uma família enorme. E o tempo e destino definiram algo melhor. Adotei, de coração, dois irmãozinhos do João Vicente, como meus filhos. Ana e Vitor Rodrigo. Não sei explicar de onde vem tanto amor por eles. E confesso, amoooo ver minha cama colorida destes anjos de Deus, rindo, pulando, zoando na cama comigo. Eu, meu filho e seus irmãos... num só coração! Coração de mãe tem sempre um lugar pra mais um. Não é o que os antigos dizem? Acho que tive uma amostra grátis do que a belíssima e inigualável Angelina Jolie tem por sua família! O maior tesouro que o Homem pode ter é sorver e doar amor! Amor puro....
Ontem lia uma entrevista da, também, mamãe faceira e atriz, Danielle Winitis. Vou dividir a alegria desta estrela global, que definiu, em poucas palavras, a descoberta de ser mãe:
"A vida inteira você ouve que filho é a melhor coisa do mundo. Mas não tem idéia até ter o seu. Depois, pede: 'Deus, me deixa passar por isso de novo'. Como consegui ficar mais de 30 anos sem essa pessoa?"

Deste relato se tem a base parca e singela do que é o esplendor de ser mãe!
Completa, realizada!
Nos próximos posts prometo relatar um pouco do sucesso do aniversário do João Vicente

quinta-feira, maio 15, 2008

Dia das Mães - Homenagem da mana...

Homenagem da mana Patti, pelo Dia das Mães!
Era p/ homenagear nossa mãezinha e nossa cunhada Ivana, mas parece que só o meu vídeo vingou... De qualquer forma, sintam-se, mãezinha e Ivanits, bem como todas as mamães do mundo, homenageadas!
De fato, ser mãe é se desdobrar, multiplicar, potencializar... enfim, fazer tudo pelos filhos e família!
Vale a pena conferir... Eis o link:

http://www.jibjab.com/sendables/share_view/4GIAMA5bOGj15j2wtQI6236x

domingo, março 30, 2008

Reencontro com amigos do samba




Reencontrei os amigos do samba! depois a esticada foi em casa com o papai Ale que trouxe o tio-avô Deco para jantarmos! Jana e Xexéu junto com a dinda Táta tavam tudo junto! E tudo bebum! Menos mamãe e JV! hoje só recebi ligações! " - Bah to mal...to mal!"
Isto que dá beber! he he he

Arte dos arteiros...




Ultimamente tenho passado por cada situação que o João Vicente me prepara. Uns o susto foi mais sério: Caiu da cama duas vezes. E o pior: não foi dormindo. Simplesmente ajeitava os preparativos do banho. Sustos, conselhos, palavras de avisos que muitos tombos ele cairá foram os que mais ouvi. E, em todos, tive que manter "a classe". Não tenho nervos de aço gente... Algumas aventuras do João Vicente consigo segurar as lágrimas; já em outros não. E foram tantos tombos que já estou phd no assunto. O guri adora testar a cabeça. Mas já se aventura a tantas descobertas que deixa a mamãe e o papai faceiros. É de uma personalidade fortíssima: Touro com ascendente em Sagitário; Lua em Leão. Tem em sua agendinha na creche já duas advertências. Uma, na disputa pelo brinquedo, mordeu o colega. Eu repreendi e ele tem entendido que morder machuca. Já o papai acha que o guri é Galo que é do sangue. Ai, ai... Arteiro, ladino em nada tirou o seu apelido na creche: JV o bebê sorriso! E é mesmo. Só sorriso. E quando chega em casa? Só quer saber de explorar cada detalhe da casa. Puxa fio de telefone, modem de internet, abre portas dos móveis da cozinha, empurra pufs...bate nos sofás...ihhh são tantos lugares. E a mãe sempre de olho. Senão cuidar a casa pode ficar assim... imaginem?

domingo, março 09, 2008

Meu anjinho, tá crescendoooo!




"Do céu desceu um anjinho para a Terra visitar,gostou tanto da bagunça que resolveu ficar!"




E veio pra dar muita risada mesmo! A correria tá grande! Mas compensa tuuudo! O sorriso, o beijo na boca que ele adora dar, ver ele assobiando!
Sim!
O JOÃO VICENTE ASSOBIA!


Bater palmas! tudo! E o melhor! TO COMPLETA!


sexta-feira, fevereiro 22, 2008

Presentão virtual no blog da Fernanda!




Com muita alegria, e lisonjeada pela divulgação, leio, de surpresa, o blog da Fernanda Zaffari no site da Zero Hora (http://www.zh.com.br/).


Semana passada, lia no blog da Fernanda sobre a beleza de ser mãe! O post “As Letícias” falava sobre a futura mamãe Letícia Wierzchowski, grávida do segundo filho, e sobre a fotógrafa Letícia Remião, que registrou este momento “Yummy Mummies” da escritora.


Aliás, este foi o tema do Caderno Donna, da ZH da semana passada.


Baseada nisto, mandei um comentário sobre a beleza e a bênção de ser mãe! Enviei o meu relato sobre o nascimento do João Vicente, que postei no mês de dezembro com o título “Que venha 2008”!
Fui surpreendida - e confesso que fiquei muito, mas muito feliz -, quando vi a divulgação do meu blog no Blog da Fernanda. Abaixo o comentário do BLOG DA FERNANDA!
Obrigada pelo presentão virtual!

"
Quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008
Mamãe coruja
Mamãe coruja com o João Vicente Foto: Arquivo Pessoal
A coluna de estréia sobre as Yummy Mummies, semana passada, no caderno Donna ZH, gerou muitos comentários de pais, mães, grávidas e até vovôs.
Um desses comentários, divido aqui com vocês. A Fabiana de Carvalho Fernandes, mãe do João Vicente, tem um blog e escreveu um texto sobre o nascimento dele.
Tá na rede:
www.sateliteabduzido.blogspot.com "
A pedido, para facilitar, estou anexando o texto que deu origem ao comentário da Fernanda Zaffari em seu blog. Eis o texto postado em dezembro passado:
Que venha 2008!

Quando caminhava em passos desajeitados, com tantos caninhos de soro e assemelhados para aquela sala fria e iluminada, meus pensamentos pareciam que trabalhavam, de certa forma, com interferências e pausas seguidas de flashs.
Eram as imagens que corriam estranhamente em meus olhos.
De forma gradual, travada do verbo devido à emoção, colhia as informações ditadas a mim por um grupo de homens e mulheres trajados da cor azul. Um a um se apresentava a mim explicando as suas funções e me abrandando com palavras de conforto e força. Estava frente à frente com aqueles seres de toucas, luvas, máscaras, e sentindo, ao mesmo tempo, o gélido ambiente.
Algo especial estava para mudar a minha vida.
Não ensaiei... Porém, me conduzia de forma enigmática à maca, movendo meu corpo, orientada e hipnotizada pelas vozes dos que me rodeavam.
Refletores, aparelhos de tudo que é tipo, e um “buffet” de instrumentos cirúrgicos.
Era a hora!!! Era o grande dia de conhecer o MEU FILHO JOÃO VICENTE!
Perdi a noção do tempo, o raciocínio de contabilizar os minutos, que corriam num relógio bem próximo de mim.
Uma das mulheres mascaradas, num certo momento, falou: “- Vou ajudar o Norberto! O João Vicente tá chegando. Tá encolhidinho feito uma conchinha de mar, mas tá chegando, MÃEZINHA!”
Minhas pálpebras apenas concordaram os rituais de todas aquelas informações.
Me sentia tranqüila, meio sonolenta, talvez devido à medicação e à anestesia.
Minutos depois, mais uma notícia: “ – E ele é pequeno, Fabiana!”
Absorvida a frase, meus olhos percorriam no imaginário o que tinha ouvido: “... e ele é pequeno!!!”...
Em seguida, naquele silêncio, o primeiro som. Era o primeiro choro que ouvia de meu filho.
Engraçado, eu sabia que não estava numa praia, em plena virada de ano. No entanto, o Reveillon-2007 iniciava naquela sala iluminada... naquela noite.
A sensação de fogos de artifício, luzes, respirar o ar mais puro, e ter a certeza de que a presença de Deus estava ali, do meu lado, era algo surreal.
A emoção é, sinceramente, indescritível.
Veio a tão sonhada apresentação de meu filho. Já de rosto virado para o lado direito, ansiava em vê-lo!
Chegou nos braços de minha prima Gisele, com 45cm e 2285kg. Um pacotinho de Deus, nascido às 20h49min do dia 23 de Abril de 2007. Dia de São Jorge, seu eterno protetor e guerreiro.
Seus olhos já eram serenos e de uma observação ímpar em desbravar seu novo mundo.
Foram segundos que ficamos estaqueados, nos olhando, que duram (e durarão) até hoje, na memória de meu coração.
Foi a presença espiritual e carnal, o elo de Deus, o carma de mais um vida, o fruto de um verdadeiro amor!
Enfim, tudo isto e muito mais se resumia naquele momento. Olhar para aqueles olhinhos de jabuticaba abertos, atentos e angelicais.
Mãe e filho!!! Quer melhor presente para mim em 2007?
Depois de tantas pedras em meu caminho, encontrei o melhor da vida! Me despeço de 2007 colhendo e sorvendo o mais especial deste dia, que marcou a minha vida para sempre.
Hoje sei que o caminho foi designado, que aventuras inúmeras terei no trilhar de meu filho. Só peço a Deus a bênção e a proteção.
Agradeço a todos amigos, colegas de trabalho, vizinhos e até aqueles estranhos que, sorrateiramente, me deram a força e a fé, em gestos, palavras e sinais.
À minha família, que abraçou, sem pestanejar, minhas derrotas, inseguranças e angústias.
Nas empreitadas que trilhei, a todos estes que convivem e conviveram comigo, o carinho e alegria que me deram nos momentos que mais precisei, e que alegraram mais ainda este ano poderoso que foi 2007.
Que venha 2008 PARA TODOS NÓS, ABENÇOADO POR DEUS!
Com carinho, Fabiana e João Vicente!

sábado, fevereiro 09, 2008

S ALADA MISTA DAS LEMBRANÇAS LAGUNENSES...



Desvios, buracos, sinalizações sinistras e um clima não muito apropriado para viagens . O temporal era assustador. Saímos rumo a Laguna/SC numa sexta-feira ensolarada de Porto Alegre, para depararmos com estradas em obras, vias paradas devido aos acidentes e, de brinde, uma chuva. Graças a Deus nada nos aconteceu. Confesso, tenho trauma da BR101. Chegamos à tão esperada cidade natal de meu pai já a noitinha. Fazia tempo que não ia na minha cidade de coração. Toda a minha infância e adolescência eu curti lá.

São tantas histórias...

É como se fosse uma salada mista de imagens, momentos que a saudade me fez lembrar. Tem lugares que lembro dos cheiros, do vento enfim, de muitos personagens. Foi assim que senti logo que entrei na cidade. Passei por cada casa e lembrava de quem ali, morava. Um por um; casa por casa(óbvio que não todas). Relembrei meus nove anos, 13, 17... 22 anos ihhhhhhhhh tantos momentos!

Todos especiais!!!!!

A maioria de minhas amigas estão, hoje, casadas. Muitas, residindo em outras cidades e até, em outros países.

Ficaram, portanto, as lembranças.

E quantas lembranças...

Tudo era motivo de olhar, parar com o que se estava fazendo para apenas curtir os cinco sentidos!

Sim!

Lá , meus cinco sentidos foram reativados para lembrar décadas vividas naquela cidade. Como por exemplo, tem sabores que não tem aqui(o modo que temperam as carnes, peixes, arroz e até a farofa); os cheiros(ah...o cheiro da maresia , o vento melado embalado pelo mar) , a ‘queima-roupa’ sonora de ouvir músicas, sons que só existem na memória de minha adolescência.

Eu viajei literalmente.
Dormir na casa da famosa tia Betinha, também, me fez lembrar tantos momentos. Na infância, eu e meus primos chegávamos a brigar em quem tomava banho primeiro depois de subir o morro. Era a famosa volta da praia com buraco no estômago! A areia molhada no ralo do banheiro, as confidências femininas das primas nestes mesmos, eram hilárias.

E na hora de dormir? O quarto escuro, os vários colchões e o buchicho de quem insistia ser amigo da insônia. As primas tinha sempre histórias para contar...

Agora, nesta minha última visita à casa da tia, senti - não me chamem de louca nem de parapsicóloga- o cheiro dos talcos de minha centenária e falecida avó Almerinda Bittencourt! A legítima Anita Garibaldi da família!

Acreditam?

Pois é... que loucura isto! O sentido Olfato foi ativado de minhas lembranças Foi muito gostoso ficar lá tendo, ainda, esta mesma sensação. Só faltaram as primas nos quartos.

Ouvi os sinos da igreja seguido da batucada das escolas de samba .

Caramba!!!

Até isto!!!???!!! Até isto eu fiz: desfilei na Escola de Samba Democrata em 1988. Foi divino! Não nego o sangue sambista nas veias!

Nossa ! Tudo me vem na memória...

Se eu contar tudo que passou em minha cabeça ao rever esta cidade, daria um livro . Sério! Lembranças muito bem guardadas na minha memória e no meu coração! Épocas boas que não voltam mais!
E lá vem mais imagens: O clássico de chegar na esquina do morro para pedir carona! Ahahah Quem já não fez! ?! Coisa de cidade do interior hi hi hi
Já ns noites de confete e serpentina não faltavam as típicas brigas. E brigas de clubes; nos salões... Era um corre-corre! Surgiam os primos e amigos trajados de chinocas e bêbados. Todos recalcados em não serem mulheres

– Aliás, questão masculina e tópico para se discutir mais tarde: - Porque os homens adoram se vestir de mulher?
Reviver isto ficou mais evidente pois senti vontade de contar para a minha amiga. Eu relatava os lugares que passei, os esconderijos, os momentos de cada pedacinho daquelas ruas onde protagonizei amores de praia. Andar por elas, fez-me reviver os tempos de carnavais , os invernos fantasmagóricos...

Aliás, naquele tempo, o carnaval era diferente! Não era este meio "paraguaio -baiano " que toca nos quatro costados. Não que esteja desmerecendo . Mas falo das saudosas marchinhas carnavalescas, dos clubes, onde todos dançavam em círculo, pelo salão, deixando vesgo até o moço e a moça mais bonita da noite!

E o lança - perfume!?! Atire a primeira pedra quem nunca experimentou! Elicóptero? Não? BUMMM! Os “tetos” que davam na galera chegavam a ser cômicos.

Os clubes Blonden e Congresso são um marco de meus carnavais. Lá eu passei os melhores de minha vida. Entrava de sócia do clube com a carteirinha de minha prima Luciana. Somos parecidas até hoje, sabiam? Era fácil enganar. A carteirinha era jogada, na rua ao lado, pela janela.

E eu me divertia.

Também, não vou desmerecer os famosos trios elétricos, que viraram febre, na a praia do Mar Grosso!

Tudo era bom.

Ai meus sais...

Deu vontade de relembrar mais.

Mas fica por aqui mesmo... é muita coisa, realmente daria um livro!

E ainda mostrei, pela primeira vez, esta terra açoriana para o meu filho, João Vicente! Ele amou!!!
Terra boa...

terça-feira, fevereiro 05, 2008

36 anos








Meus 36 anos foram comemorados junto a minha linda família! Todos fomos para uma churrascaria e, a tarde, esperei a visita de quem lembrasse de mim! A surpresa foi grande pois tive a visita dinossáurica da Lica(mamãe novamente, gravidinha de 5 meses) e sua família, da Márcia amiga de minha irmã(e minha também heheheh) que deu uma linda medalhinha de ouro com as iniciais do João Vicente - JV! Ianes, Deizi e Alexandre, primas, e tios. Fora as ligações e scrapts do orkut! Agradeço a todos! Eu passei o carnaval de plantão. Plantão em ver o meu filho se recuperar de uma gripe que ameaçou desabrochar uma bronquite! Graças a Deus ele está bem. Ganhei o carnaval como tempo dedicado integralmente para ver meu filho bem. Sim, porque hoje, se o meu filho estiver mal eu fico literalmente vulnerável. Fico triste e angustiada. Ele só tá é muito manhoso. Por estar gripadinho pediu por demais o meu colo, meus afagos. Não me deu folga! Mas esta é a minha missão que mais me dá sentindo em viver! Ver a alegria e as estripulias do meu JV! Papai e família ligaram, também, da praia, para saber se ele tava bem! Ufa! Quanta correria! Amanhã volta tudo ao normal! E a corrida do dia-a-dia; é a labuta em sobreviver como cidadã! Credo! rsrs

Aqui, um registro destes seres especiais!

sábado, fevereiro 02, 2008

Moinhos de ventos e tempos...


"Às vezes, é preciso mesmo acordar da rotina do mundo, olhar a volta e enxergar além da vitrine. É difícil conseguir sair do emaranhado dessas expectativas que a gente mesmo e a sociedade nos impõe. Mas quando isso acontece, o peito se enche daquela sensação plena de que você é e tem tudo para ser feliz...e pra mim... esse é o segredo."

Vento veloz, destino louco!