domingo, fevereiro 25, 2007

Nóia I


Ando com a cabeça bem a mil. Penso tanto, mas tanto que não poupo nem dirigindo... Certo dia, dirigindo o Walter passava pela av. Padre Cacique, em direção ao Tribunal. Entre trocas de marchas e sinaleiras fui pensando no lado gravídico do pai, que falta pouco para o bebê nascer enfim, tanta coisa que tentava resumir, como um "lead", meu 2007! Tantas mudanças que, ao passar pela sensor da EPTC, em frente ao Beira-Rio, reduzi e fiz o sinal da cruz!

OOOPAAAA!!!

SINAL DA CRUZ?

Sim(não riam!)... Sei lá o que passou na minha cabeça... De certo o colégio Maria Imaculada(que faz a vizinhança de frente ao Internacional) virou, naquele momento, uma igreja para mim...:-)

Nóia...

Não sei até onde vou parar...

sábado, fevereiro 24, 2007

Caminho(texto adaptado)



Sabe. Não quero alguém que morra de amor por mim, só preciso de alguém que viva feliz por mim, que queira estar junto de mim,me abraçando, NA DOR E NA ALEGRIA. Falo de amigos pois amor eu já tenho do Ale e de minha família. Não exijo que “esses personagens” me amem como eu os amo, quero apenas que me amem, não me importando com que intensidade. Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim, nem que eu faça a falta que elas me fazem. Eu aprendi muito nos últimos anos e, principalmente na gravidez sorver o bom do energia positiva dos que me apoiaram e o ruim da inveja e desrespeito. O importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível, e que esse momento foi e, sempre será, inesquecível. Só quero que meu sentimento seja valorizado e que minha trajetória, também, seja respeitada. Quero sempre poder ter um sorriso estampado, em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre, e que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor(pena que não são todos. Mas os poucos, me bastam!). Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto( a sintonia é algo que mexe até hoje comigo! Como pode?!).Queria ter a certeza de que, apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho!
Para meus amigos, amor e família! Eu nunca vou esquecer a força que recebo de vocês!
Isto me basta! Para o resto da Vida!

Quebra


Houve uma suposta quebra de corrente! Assisto no oculto, no anonimato! Premissa para encerrar de vez minhas dúvidas! Meu instinto não enxerga algo muito bom. A fé em Deus que me move! No silêncio; assisto.

sábado, fevereiro 17, 2007

Metade, Oswaldo Montenegro



















Metade








Oswaldo Montenegro

"Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.
Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que tristeza.Que a mulher que eu amo seja sempre amada, mesmo que distante.Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor. Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.Porque metade de mim é o que eu ouço, mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.Que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada.Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.Que o espelho reflita em meu rosto o doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância.Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei...
Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito. E que o teu silêncio me fale cada vez mais. Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba. E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.Porque metade de mim é a platéia e a outra metade, a canção.
E que minha loucura seja perdoada.Porque metade de mim é amor e a outra metade... também."

Dentro de três meses uma mudança...







Para este carnaval, nada como um sono profundo. Nossa casa, aguarda uma mudança de rotina.

Barthô, o "bulêmico", observa todos os sons da casa(inclusive dos mosquitos); já Mizy, meu gato cinza ciumento, dorme... zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz



terça-feira, fevereiro 13, 2007

Mutação I







Na festa de quinta-feira passada(8/2), vibrei tanto com a presença de meus amigos e, do meu amor, que não me contive. Conversei pacas, levantei-me várias vezes, toquei meu pandeiro freneticamente e, ao final da noite, tia Ana indaga:
“- Já olhou para os teus pés?”
O ‘não’ foi tão rápido que já olhava para os meus pés.
Não acreditava no que via.
Professora Aloprada!
Estava, literalmente, modificada.
Meus pés estavam prontos para ir ao forno de padaria para se transformarem em verdadeiros pães suntuosos!
O peito do pé parecia uma almofada de agulhas e alfinetes!
Ali eu vi que tinha exagerado. Cinco horas da manhã e eu, doida e espivitada, comemorando a reunião de meus amigos. Aliado a isto ...meu útero e os ossos doíam... Voltei para casa caladinha... Sabia que o abuso tinha se consolidado!
Nada como um repouso no dia seguinte!

Luzes! o que faço?


Esta noite(11/2) tive uma sensação estranha. Deitada languidamente em meu sofá; resolvo, por assim, encerrar a noite. Levantar, desligar a tv e, se abraçar no delicioso e imantado travesseiro de meu quarto. O problema surgiu quando, ao ficar em pé, diante da tv, passei a ver(como nos contos de fadas), várias agulhas luminosas. Sim! Agulhas, palitos vibrantes, iluminados... ofuscavam a minha vista! Tudo brilhava sem o meu controle visual de apagar, tirar aquelas imagens de mim. Ali, temi um desmaio sozinha no apartamento. Mantive a calma e, aos poucos, tudo passou. Mudanças... hormônios...reflexos tardios.

domingo, fevereiro 11, 2007

Dói...

Aqui fica o meu luto e indignação pela morte do menino João Hélio Fernandes. Um João... um Fernandes... Não pode ser mais um 'que se foi'... Conduzido, brutalmente à morte no cruzamento da rua (desculpe...mas me chamou a atenção), na rua João Vicente.
Dói.
Hoje, mais ainda, sentindo que meu filho pulsa em mim, ouvir este nome me sensibiliza mais ainda. Verbalizo todos os dias, desde que eu descobri que teria um menino. Neste crime, o Estado tem que interferir, severamente para estes casos... Buscar embasamento para não haver a exclusão social. É muita diferença. Este cara que dirigiu o carro e, sabia, que o menino estava preso no cinto de segurança, infelizmente não tem coração. Não tem o porquê estar aqui...na Terra. Me revolta... me comove...
Basta! É a palavra que mais pedimos.
Dói... A matéria que eu assisti, no Fantástico, acabou comigo.
Aí podem pensar: "tu não pode ver estas coisas... tu estás grávida...mais sensível"
Não...
Abra o jornal! Ligue a tv para um telejornal... Escute um veículo de radiojornalismo. Só dá isto. Barbárie... Crimes... É de enlouquecer...
Abaixo um trecho desta matéria e fragmento de um anjo demonstrando todo o seu carinho para com a sua mãe:


"O crime ocorreu na noite de quarta (7). Por volta das 21h, a comerciante Rosa Cristina Fernandes Vieites, 41, voltava em seu Corsa Sedan de um culto em um centro espírita, com os filhos João Hélio e Aline, 13. Ao passar pela rua João Vicente, em Oswaldo Cruz, foi abordada por dois homens --que mais tarde, presos, diriam à polícia que portavam um revólver de plástico.
Rosa e Aline saíram rapidamente do carro, mas a mãe não conseguiu retirar o filho de 6 anos, que sofria de hiperatividade e tinha dificuldades motoras e de fala. No banco traseiro e com cinto de segurança, João Hélio tentava sair do carro quando os ladrões arrancaram.
Ficou pendurado no veículo e foi arrastado por um percurso de sete quilômetros, com o carro em alta velocidade e pessoas na rua gritando para pararem"

sábado, fevereiro 10, 2007

Portela no coração de Porto Alegre



Não tem igual!
Ela lembrou da turma de meninos e meninas que foram cantar para a velha-guarda no Fórum Social Mundial, em 2001!!!
Lembrou da turma que cantava alucinada cantos da Portela!
Foi a glória!
Aí largou: "Tá. E quando é que vocês vão lá no Rio?"
Quase surtei!
O João Vicente enlouqueceu! O show foi realizado na quarta-feira(7/2), no Santander Cultural. Aliás, que espaço para a música de qualidade! O chão é toooodoooo de vidro. A acústica é algo surreal. E o melhor! Ar condicionado bombando!!!
Nilze Carvalho no palco com sua banda e tia Surica entra soltando o melhor das Pastoras Portelenses! Não me contive...acabei chorando...
Ela é show de bola!
A Nilze Carvalho botou no sopapo os cavaquinistas! Toca muitooo! Todos da banda, muito simpáticos!
Vai passar na TVE dentro de poucos dias !
Saindo do show, Nega Marta e BB me levaram para conferir uma roda de raiz promovida pelo Sadi, do grupo Nenhum de Nós, em plena Cidade Baixa! Show!
Estava inflada com o coração azul e branco da Portela!
Fui trajada na cor para homenagear esta escola carioca!

Detalhe: olha a minha cara de 'professor aloprado'... To inchando toda rsrs boca, nariz ...olhos... pés... o calor contribui. O mundo das gestantes continha estas características. Mas não tinha noção que transformava mesmo! Que será de mim até os nove meses se eu, ainda, estou no sexto mês!!!
rsrs

Abaixo um plus de quem são estas feras femininas do samba:
" SURICA E NILZE CARVALHO SURICA E NILZE CARVALHO - O show marca a reunião de uma das mais queridas pastoras da Velha Guarda da Portela e uma “chorona” que passou a se dedicar também ao samba de raiz e vem se destacando na nova safra de sambistas cariocas. Aos quatro anos de idade, Surica desfilou pela primeira vez na Ala das Baiana da Portela. Cozinheira afamada, no ano de 2004, ao lado de Tia Doca e Tia Eunice, foi uma das protagonistas do curta-metragem "Batuque na cozinha", de Ana Azevedo. Nilze começou a tocar cavaquinho aos 5 anos de idade, e aos 6 já se apresentava em público, na Rádio Solimões, na extinta TV-Rio e no Fantástico da TV-GLOBO. É uma das maiores revelações da nova geração de cantoras de samba, apresentando-se semanalmente nas casas do circuito cultural da Lapa, como Carioca da Gema", Centro Cultural Carioca e Rio Scenarium. Faz parte do grupo Sururu na Roda, que já tem dois CDs lançados, sendo que no último (Fina Flor/2004), divide a interpretação de "A Rita" com o autor Chico Buarque. "

Festa surpresa!










Eu iria escrever um registro minucioso sobre esta noite linda! As fotos dizem tudo! Amigos músicos do samba(oitenta porcento são rsrs) e as pastoras do canto promoveram, com suas presenças iluminadas uma grande confraternização para comemorar o meu aniversário que foi dia 4/2, num domingo! Mesmo dia do glorioso Zeca Pagodinho! rsrs Este ano, mais quietinha, não via motivos em comemorar. Optei em ficar com meus pais e irmãos num domingo em casa. Veio a semana e percebia que minhas ferrenhas amigas de tricotadas virtuais não me mandavam mais e-mails como antes. Eu enviava e recebia uma 'cesta básica' de conversas. A boba, aqui, nada estranhou. Foi aí que veio a proposta de reunirmos num happy hour religioso, entre as pastoras, numa quinta-feira, embora já tivesse meio que marcado o encontro com o meu amor. Nada como juntar tudo, né? Chegou o dia, coicidentemente, o da minha consulta médica onde meu amado doutor advertiu de minha glicose num exame que excedeu o limite permitido para gestantes. Tava borocoxô, tendo que cortar doces e tal, támbém, tendo que fazer o famoso exame da 'curva glicêmica'(um procedimento em que ficarei quatro horas no laboratório ingerindo de uma em uma hora doces e melados sucos. Blarg!!!). Tudo bem.... Avante mãe!

Partindo desta notícia, voltando da consulta desta quinta-feira(8/2), resolvi pegar o carro para me encontrar com as meninas e depois meu amor. Fui advertida. "não dá", "já foi"... "te pego aí". Estas foram alguns dos embasamentos verbais de BB. Aceitei, então, não ir de carro. Enrola daqui; enrola dali e vem a desculpa de pegarmos um pandeiro no Centro Cultural Odomodê.

Fui.

Ao chegar lá...vários carros. Na hora pensei: "deve ser janta de alguma comunidade".

E né que não era? A festa era para mim!!!!

Só eu sei o quanto eu tremia de felicidade. Exagerei na festa...voltei as cinco da manhã! Cheia de inchaços nos pés e dores no corpo! Mas feliz! A essência de meus amigos do samba, estavam todas, ali, presentes! Isto não tem preço!

Fica, aqui, o muito obrigada pela Festa Surpresa de Aniversário! Não encontro as palavras exatas, os sentimentos adequados! Meu coração era o próprio Trem Bala! Até agora não caiu a ficha! Para mim, a amizade só fortalece o meu amor em verbalizar a vida! Mais uma vez, obrigada por tudo! Fabi

domingo, fevereiro 04, 2007

Declaro



Olhos verdes cor do mar... pele morena de arrepiar! Te amo! Muito!

Declaro ao mundo que você se tornou tão importante para mim, como o ar, a água e como a vida.

Declaro a todos os meus inimigos que esqueci das guerra só assinarei qualquer tratado de paz mas não há tratado que me faça esquecer o que sinto por você!

Declaro ao passado que por mais que eu tenha sentido algo semelhante, esse sentimento sempre pertencerá ao presente enquanto durar.

Declaro a minha nação que o defenderei contra qualquer inimigo mas, se o inimigo for você,eu me renderei, sem resistência.

Declaro que tudo que declarei é tão verdadeiro como o sol que nasce a todas as manhãs.

Declaro aqui tudo que sinto. E tudo que sinto é que Amo Você!!!

Os seres especiais! Meus guardiões!







"O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige. Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano, mas se comporta como um lorde inglês. Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem.Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro!"

As portuguesas



A força portuguesa! Duas mulheres que deram o sangue para ver sua prole com vida! Minha vó carioca, Iolanda que eu amo muito e minha guerreira mãe Vera! Somos três de gênios fortíssimos! Três guerreiras! Amo vocês!

sábado, fevereiro 03, 2007

Encaixou







Dia bom...Nada como as férias. O papis do João é fora do normal. Um cara alegre, palhaço e espontâneo...
Nunca ri tanto com ele como neste dia... Também pudera. São cada cenas cômicas que acontecem com nossos encontros que escreveria um livro. Ele é magia pura. Maroto, com personalidade forte e o melhor: um coração enorme para quem o rodeia e, também, de um humor inglês apurado de deixar a turma rindo a toa. Quinta foi assim. Passamos o dia na casa de um casal amigo nosso. Churrasquinho...carne de ovelha... petiscos. A noite chega e a despedida acena para a confraria.

Com muita ceva e, para mim, muita água brindamos o melhor da natureza. Festejamos com estes dois elementos da natureza que movem a serenidade da minha alma: a água e o vento!
Forno Alegre zarpeando fogo na capital e nós, duas crianças celebrando a vida com o melhor do relaxamento! João Vicente adorou! Sem sombra de dúvidas o mundo é um moinho. Quando é para ser; será! Encaixou.