quarta-feira, janeiro 31, 2007

Chateia

Sabe que eu enchi de coisas mesquinhas que me contaram... Falo de tudo. Da vida, da minha fase nova, das minhas amizades que não abro mão e que tem muita gente insatisfeita com a realidade. Ai, bisbilhotando o meu orkut vi a presença de 'x' pessoas neste mês de janeiro. Gente que 'babuniou' pra cima de mim. Segundo a tendência dos orkudianos é publicar seus últimos visitantes no próprio mural dos scrapts. Se fizesse isto daria merda(com certeza). Por isto que estou postando. Para, se ler(porque jamais imaginaria que visitava o minha página no orkut) fui amiga, de verdade! Preferi o silêncio do que provocar desavenças. Não quero intrigas. Só quero paz com julgamentos falsos. Gente que nunca teve contato comigo e arrota atrocidades sobre a minha pessoa. Nem sei o porquê de estar escrevendo isto. Vai ver que é por valorizar demais as amizades, mesmo aquelas que já não entro em contato há anos.
Chateia saber de pessoas que se fizeram de "doente para andar de ambulância", de coitadas ... de falidas... sem estímulo de vida e, eu(a trouxa), movi céus e mundos para tornar a vida, um pouco, mais colorida, mais feliz. Reconhecimento pelo esforço? Rá!!! Foi em vão a estas pessoas. Tsunamis das lembranças foi a premissa para 'bossalizar' que, hoje, se é mais feliz do que ontem.
Eu fui muito feliz! Graças a minha saúde(porque, cá entre nós, ter saúde, não tem dinheiro que pague)muito, mas muito satisfeita com todas as fases que desbravei! Em todos os quesitos!!!
E hoje?
MAIS AINDA!
Gerar um ser é algo divino. Realmente, como dizem, uma benção. Ainda mais no meu caso, que estava grávida de um mês e não sabia. Fiz misérias. Até empurrar carro, correr em lombas ..suspender móveis para campeonato de halterofilismo(rsrsr entenderam? as vezes um pouco de exagero, sorve mais na mente)... rsrs eu fiz.... E né que não tive, sequer, um princípio de aborto!?!
MEU FILHO VEM PARA FICAR! PARA ME DAR UMA LIÇÃO DE VIDA!
As sensações ainda anunciam! A de ter 'aquele pedacinho de ti' nos braços é de marejar minha vista enquanto escrevo.
Isto é o maior presente a tudo passei. Nada sério. Mas poderia ser evitado se ouvisse os mais velhos. 'Tava na linha', como disse certa vez uma sensitiva.
Quero paz!
Chega de mentiras e histórias distorcidas sobre a minha pessoa. Estou no auge das minhas férias. Faço o que quiser das minhas letras de moinhos de palavras. Falo. Não criei este blog para florear só poesias. Criei por achar útil a várias coisas, entre elas, falar de meu filho ...dos meus amigos...dos meus carmas...sentimentos... viagens... histórias engraçadas... enfim, advertir fatos e notícias que me assombraram como, por exemplo: o recente post em que falo da "camada de ozônio".
Quem me conhece, sabe...
"Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher. Sou minha mãe e minha filha, minha irmã, minha menina. Mas sou minha, só minha e não de quem quiser. Sou Deus, tua deusa, meu amoooor Baby, baby, baby, baby..."
Nós quatro: Bia, Ianes e eu com João Vicente! Registro de que tudo na Vida tem uma resposta. Um serzinho que, dentro de três meses e alguns dias estará presente nesta turma de mulheres.
Mãos que brindam; mãos que abençoam meu menino João Vicente!

terça-feira, janeiro 30, 2007

Plantem, por favor!

Há tempos que venho pensando em como desabafar uma preocupação que paira e sobrevoa a mente de toda uma sociedade mundial. A solução dos males do efeito estufa é, lamentavelmente, um dilema.
Domingo, ao assistir um documentário sobre este tema, vi um mapa mundial, onde cientistas mostravam os pontos em que este mal já atingiu.
É de doer...
Ver tudo mudar...
Geleiras evaporadas... mapas sendo modificados como um 'piscar de olhos', corais ficando literalmente albinos, dilacerando os plânctons dos oceanos. O aumento destes mesmos, causando, assim, a invasão de ilhas e cidades.
Nossa... choca, sabe?
O ozônio é produzido pela ação da luz ultravioleta proviniente do Sol sobre o oxigênio. É uma proporção da estratosfera que se situa a mais ou menos a 22km do nível do solo. Esta camada protege a Terra dos efeitos nocivos da radiação solar ultraviolteta.
Maldita radiação que fez aumentar o número de casos com câncer de pele, cataratas e morte homeopática da natureza.
Pensando nisto, muitas ongs preparam verdadeiras estratégias.
A melhor delas é promover a moda do plantio de árvores.
Sim!
É isto que comecei a fazer.
Pegar mudas e plantar.
Nós, por meio do plantio de árvores, podemos, SIM, a ajudar na retirada de CO2 da atmosfera. Pois são justamente elas que acumulam carbono na estrutura enquanto estão crescendo. Quando estas árvores pararem de crescer, a quantidade acumulada permanece fixa na madeira.
O que deve ser feito, também, é a significativa diminuição do crescimento assustador dos clorofluorcarbonos(CFCs). Quem são eles? Gases provinientes de indústrias químicas, sprays e produção de plásticos será mais amenos a diminuir a esta camada de ozônio.

Meu papel será o que fiz hoje: plantei a primeira arvorezinha!

Quem sabe no aniversário do meu filhinho João Vicente(olha eu pensando adiante), não proporcione uma festa bem natural em que todos os convidados ganhem mudas de árvores para plantar. Mas falta muito tempo para o meu amadinho fazer seu primeiro aninho de vida!

Acho que já podemos começar agora.

Plantar árvores.
Criar mini florestas... tudo para salvar esta Terra que derrete e se transforma de forma nociva a assustadora...
Plantem!


****Porque plantar uma árvore?


" As árvores podem promover diversos benefícios nas áreas urbanas, como:regularidade do clima redução da poluição atmosférica melhoria do ciclo hidrológico (melhor regularidade de chuvas) redução da velocidade dos ventos melhoria das condições do solo urbano aumento da diversidade e quantidade da fauna nas cidades, especialmente de pássaros melhoria das condições acústicas, diminuindo a poluição sonora opções de recreação e lazer em parques, praças e jardins valorização dos imóveis embelezamento das cidades as árvores nas cidades são habitat para inúmeras espécies de aves. "

Última do caro colunista

Eu imagino que estejam pensando 'tá. ela não pára de postar o Sant'Ana". Não. É que este tema foi tratado com tanto humor apurado que resolvi colocar aqui. A pauta foi tricotada com tamanha polêmica que o caro colunista da Zero Hora não sossegou e abordar. Vou deixar, pela última vez(espero!), o seu último comentário sobre o casamento. Não sou sequelada. Acho, como tudo na vida, que 'cadum é cadum". O que fica em jogo é a perseverança, amor e respeito sobre o seu dito-projeto de 'alma-gêmea'. Uma sociedade, um amor...fica a critério, na benção de Deus e na cumplicidade de cada casal. Basta ser maduro e forte. Nada é um mar de rosas nesta vida...
Tá aí, gente, Paulo Sant'Ana, de novo, falando sobre o casamento:




29/01/2007


Casamento feliz


Chovem manifestações de reparos à minha tese antimatrimonialista. Eu já esperava, acontece que há centenas de milhares de pessoas que são felizes nos seus casamentos e não poderiam mesmo concordar comigo. Entre os que se realizaram com o casamento que mantêm atualmente está um notável cirurgião especializado em extirpar males e imperfeições do pescoço e seus arredores, entre eles a parótida e as cordas vocais, dr. Nédio Steffen. Ele manda me dizer que discorda amavelmente da minha tese, que é perfeitamente possível ser feliz no casamento, mantendo proximidade bem estreita com o outro cônjuge. E diz que seguiu e segue neste particular os ensinamentos do seu saudoso amigo Dr. Rudolf Lang, um marco da otorrinolaringologia no Rio Grande do Sul. Segundo o dr. Lang, para casar-se, ou melhor, para escolher o companheiro ou companheira que se almeja para toda a vida, deve-se observar os seguintes mandamentos: 1) Ter admiração pela pessoa a ser escolhida. Repito: admiração. 2) A pessoa a ser escolhida tem de manifestar claramente vocação para o companheirismo. 3) A pessoa a ser escolhida terá de ser dotada de bom humor permanente. 4) Tem de ter desejo sexual pela pessoa a ser escolhida. Pele!
***Num ponto, concordo irrestritamente com os cirurgiões Lang e Steffen: o bom humor na pessoa com quem se casa é fundamental. Dá pra dizer que, se um dos dois cônjuges não tiver bom humor, o casamento estará fatalmente arruinado. O companheirismo também é importante: se a mulher não gosta de teatro e o marido adora teatro, a mulher tem de dar um jeito de ir ao teatro, e o casal compensará outro dia se o marido for com a mulher até o Iguatemi ou ao Praia de Belas, ela adora passear no shopping, enquanto ele detesta. Ou seja, há que ser paciente (e afável) em aderir ao gosto do cônjuge.
***Quanto ao último item, o de ter desejo pelo marido ou pela mulher, advertia muito bem o dr. Lang ao dr. Steffen: "Um dia o tesão acaba, Steffen!" E quando o desejo acaba, restarão o companheirismo, a admiração e o bom humor. Nem pensar ausência de tesão e mau humor juntos. Isso não é casamento, é Iraque puro.
***Então concordo plenamente com as regras dos cirurgiões. Mas humilde e cordialmente quero colocar o seguinte: se toda pessoa que está pretendendo se casar for tomar cuidados para que sua noiva ou noivo seja excelente companheira (o), tenha bom humor, admire-o (a), tendo que ser ainda apetitosa (o) sexualmente, acaba não casando. Porque é muito difícil encontrar estas quatro virtudes numa pessoa só (que terá no máximo dois atributos). Além disso essa tábua da lei dos dois cirurgiões desconhece uma coisa: mais da metade dos casamentos se realiza pela primeira impressão que tiveram os cônjuges quando se viram pela primeira ou segunda vez, ainda solteiros. E se a paixão é quase sempre súbita, como ficar depois vetando quem não tem bom humor ou que não demonstra companheirismo? Apaixonam-se e casam-se logo, mais tarde é que vão notar seus defeitos. Mas uma pergunta eu tinha que fazer finalmente aos dois médicos: como manter bom humor se já acabou o tesão?
psantana.colunistas@zerohora.com.br

sábado, janeiro 27, 2007

Rá... deu bafafá na coluna!

E né que repercutiu? O Paulo Sant'Ana escreveu, ontem(26/1), em sua coluna, um parecer muito engraçado sobre casamento. Óbvio que, no jornal de hoje, lá estava ele comentando o bafafá dos leitores. Mais uma vez deu gosto de ler!
Vejam(abaixo tem o post do que ele escreveu ontem... Título é "Meu faro não falha"...onde comento o hilário da tese dele):


Paulo Sant'ana
27/01/2007

Nocaute!

Até metade da manhã de ontem, 17 pessoas me haviam telefonado sobre a coluna em que comentei que um casal veio me dizer aqui na Redação que seguem meus conselhos filosóficos sobre os casais dormirem e morarem em quartos ou casas separadas. Todos queriam me cumprimentar pela coluna de ontem. Eu fiquei muito agradecido, embora estivesse amuado porque saiu a seguinte afirmação na coluna: " ...só podem manter um casamento aqueles casais sábios que souberem inventar sabem o quê? A promiscuidade". E NÃO ERA ISSO QUE EU QUERIA DIZER. EM VEZ DE "INVENTAR" eu quis dizer "EVITAR". Ficou sem sentido a frase, ou eu fui um asno, escrevendo o que não pensei, ou houve erro de digitação, ou cochilo de revisão, sei lá... O fato é que a coluna de ontem causou sensação, ribombou com estrépito farroupilha em todo o Rio Grande. Que bom conseguir uma coluna que atinja a veia! É um dos momentos mais realizadores de quem escreve. Pra mim, pelo menos. Que vou morrer de tédio e mediocridade no dia em que não mais vibrar com minhas colunas. Morram as colunas fúteis.

***

Vou publicar só o que cabe no espaço abaixo sobre as inúmeras manifestações de leitores a respeito da coluna de ontem. Eis duas ou três opiniões escolhidas: "Bom dia, Sant'Ana, lendo tua coluna de hoje, confesso que fui ao delírio. Te informo também que além de concordar contigo e com o casal, digo-lhes que fui muito mais além de vocês, ou seja: EU TERCEIRIZEI O SEXO. É isso mesmo, depois de quase 30 anos casado, tomei essa decisão. (ass,) Luiz A. Aronna, fax: (51) 3333-8336".

***


"Bom dia, sr. Sant'Ana! Se eu fosse o senhor, registrava logo a patente desse modo de relacionamento entre os casais, pois concordo em gênero, número e grau que não é fácil unir duas pessoas sob o mesmo teto durante anos, com opiniões tão distintas. Também não é fácil dormir sobre e sob os mesmos lençóis. Só agora entendo por que meus avós dormiam em camas separadas e o relacionamento entre eles durou até que a morte os separou. Sou também a favor das férias conjugais, em que ambos saiam para se divertir e fazer o que gostam, separados do cônjuge e dos filhos e dentro da fidelidade. E também a favor de férias só para o casal, sem os filhos, para poderem fazer coisas que com os filhos perto é impossível de se fazer. Aqui em Santa Catarina, a opinião de um senhor que comemorou 60 anos de relacionamento é que antigamente não existia a TV, o e-mail e outras invenções, então os casais tinham mais tempo para conversar, se entendiam melhor porque havia respeito entre eles. O que o senhor acha? Atenciosamente, Henrique S. Wendhausen, Balneário Camboriú, SC". Nota do colunista: tudo bem, concordo com quase tudo que o senhor escreveu. Muito obrigado. Mas o senhor, seu Henrique, está completamente enganado: a televisão e a Internet vieram para unir os casais e não para separá-los. Enquanto um está vendo televisão na sala ou digitando na Internet, não está chateando o outro lá na outra peça da casa.


***



"Caro Paulo Sant'Ana. Pessoalmente achei horrorosa a sua crônica de 26/01/07. Nojenta, abominável, detestável e infeliz. Prova que você não entende nada de casamento de verdade, pois teve que casar várias vezes e mesmo assim continua infeliz e sem entender nada do assunto. Não me considero um perito no assunto, mas tenho o segredo para a felicidade matrimonial: seguir à risca os conselhos e mandamentos que estão na Bíblia. Tenho 20 anos de casado, sempre dormi na mesma cama com minha esposa e somos cada dia mais apaixonados um pelo outro, pois o que determina de fato a felicidade no casamento é a presença de Jesus Cristo entre o marido e a mulher. Você talvez não entenda nada do que estou falando, pois, pelo que sei, você ainda não é um discípulo de Jesus. Mas se um dia você se tornar, e se você conhecer a VERDADE, que é uma pessoa chamada JESUS, você verá que seus ensinamentos e os de seus discípulos que retransmitiram o que dEle ouviram são a base para a felicidade e acerto em todas as áreas da vida, ainda mais no casamento. Um abraço amigo do (ass.) Samuel S. Moraes, Salvador, Bahia". Nota do colunista: é verdade, senhor Samuel, que ando precisando de Cristo. E devo lhe dizer que tenho certeza de que eu ainda me encontrarei com ele. Mas agora vou dar-lhe uma lição que o senhor nunca mais esquecerá, senhor Samuel. O senhor diz que, se eu tivesse Cristo em meu coração e mente, não aconselharia os casais a morar separados ou a não casar.
Pois saiba, senhor Samuel, em que me baseei para escrever todos esses meus conceitos: exatamente em Cristo, que nunca se casou. Tenha humildade e confesse que eu agora o nocauteei.
psantana.colunistas@zerohora.com.br

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Foto



Não consegui anexar esta foto no post "Pixote, meu menino João Vicente".

É vero... tentei de tudo e a foto não anexava neste textot. Porém, num novo post criado, o blog aceitou.

Tá aí um dos momentos gostosos de confraria com os amigos. Nesta foto o registro da guerreira Cris me entregando um lindo conjuntinho para o bebê!

Só tive emoções abençoadas destes anjos amigos! Sentiram a quantidade de cerveja na mesa? Pois é rsrs a turma manda bem na bebida dourada!

E eu tava só na aguinha, ok? Segundo o meu doutor: "São só nove meses!!!

To doutrinada! Basta. Também não sei se volto a tomar a cerveja... To tão bem assim,,,

Me intriga...



Ainda vou falar sobre outro tema: o Orkut e sua faca de dois gumes!
O que eu encontrei de personagens do meu passado como amigos, colegas de colégio, ex-vizinhos, primos dos primos entre outros, foi surreal. No entanto, a espionagem, produto certo para este tipo de site, tem me intrigado. Porque ainda me olham, se não pertecem aos meus amigos? Eu até chego e pergunto: 'e ae?" para ver se surte algo...mas não. Então fica aqui a pergunta: pra que me espionar? Tenho que sair logo do orkut... me angustia isto. Quer ser meu amigo? Fala! Eu não mordo viu? Odeio gente bocó, com rabo entre as pernas. Pau mandado é pra doer rsrssrs Genioso como o meu amadinho também é complicado(olha eu desviando o assunto).
Bem, resumindo!´É compensador ter os amigos(aqueles distantes), mesmo que virtualmente, perto 'de ti'. Ainda planejo se saio ou não saio do orkut. Tantas coisas próximas a chegada do meu bebê... Falta pouco. Três meses e meio para tê-lo em meus braços! Hoje nasceu o da minha prima Ale! Até o final de abril´, início de maio será o meu sonhado bebê! Ui... Enquanto isto, se quiserem saber se dormi bem, se estou bem com o meu amor, me pergunte!

Meu faro não falha

Eu tive que rir e resolvi postar! Coluna do Sant'Ana( de novo!)
Meu faro não falha...


Paulo Sant'ana
26/01/2007



Fantástico! Nunca visto!


Fantástico! Espetacular! Incrível! Estou saindo ontem da redação aqui do jornal e encontro, chegando à minha procura, o casal Iolanda e Pedro Silveira, ambos ao redor de 35 anos de idade e residentes em Porto Alegre, ansiosos para me contar a sua aventura. Disseram-me que seguiram à risca os conselhos que dou há anos nesta coluna para que os casais vivam separados se quiserem para sempre viverem juntos. Aquela conversa minha de que os casais têm de dormir primeiro em camas separadas, depois em quartos separados, chegando ao ideal depois de viver em casas separadas.
* * *Eles me disseram que me obedeceram rigorosamente. Tanto que se casaram quatro anos atrás e, no dia do casamento, embarcaram em lua-de-mel: ela embarcou para Salvador, ele para o Rio de Janeiro. Inédito! Espetacular! Fantástico! Um casal vem me dizer que começou a seguir meus preceitos no dia do casamento. Suas luas-de-mel, viveram em separado! Finda a lua-de-mel de uma semana, é verdade que vieram para Porto Alegre para morar na mesma casa. No primeiro ano de casamento, dormiram no mesmo quarto, mas em camas separadas. E dali em diante, nos últimos três anos, passaram a dormir em quartos separados. Já têm um filhinho de dois anos, o nenê dorme uma noite com o pai num quarto, na outra junto com a mãe no outro quarto.
* * *Inédito! Espetacular. Fantástico. Os dois gostam de camarão e churrasco. É só o que comem quando vão a um restaurante. Sabem o que fazem aos domingos, quando vão almoçar fora? Ele pega o filhinho num domingo, no domingo seguinte é dia de ela almoçar com o garoto. Só que eu tenho de contar para meus leitores o mais surpreendente nessa história que me contaram aqui no jornal: a cada domingo que almoçam, fazem-no em restaurantes diferentes. Num domingo ela vai na churrascaria ao meio-dia, ele vai para o restaurante do camarão. No domingo seguinte se revezam, ele almoça na churrascaria, ela no restaurante do camarão. Mas não é estupendo? Nada de almoçarem juntos no domingo, quando almoçam fora.
* * *E quando decidem que vão visitar amigos na terça-feira à noite, um vai visitar uma família de amigos, outro vai visitar outra família. Ela vai no carro que eles têm, ele vai de táxi. E por aí vão as várias formas mágicas e maravilhosas que encontraram para estarem na maior parte do tempo separados, com a finalidade, como sempre escrevi e eles acataram, de manterem seu casamento até o fim dos dias, até a morte de um deles. Para sempre só podem manter um casamento aqueles casais sábios que souberem inventar sabem o quê? A promiscuidade. Isto! O que os casais devem fazer para se manter juntos e felizes para sempre é viverem a maior parte de sua vida conjugal separados. Essa genialidade eu bolei um dia quando percebi que o destruidor dos meus casamentos foi a proximidade. Se algum dia o destino me reservasse a oportunidade feliz de me casar pela quarta vez, eu me casaria pela Internet, com uma mulher da Tailândia. E ela nunca viria aqui no Brasil me conhecer, nem eu iria, Deus me livre, à Tailândia para conhecê-la. Ou seja, nós nunca nos encontraríamos. A lua-de-mel e a vida conjugal seriam vividas inteiramente pela Internet. O ápice da minha teoria de que a melhor maneira de separar duas pessoas é juntá-las é que aconselho, com algum exagero mas convicto, que o casamento mais feliz é aquele em que o marido e a mulher nunca se conheceram e jamais vão se avistar.
psantana.colunistas@zerohora.com.br

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Pixote, meu menino João Vicente

(a princípio, as fotos não entraram...deixa com o tempo, passando a teimosia do blog eu consiga inserir)

Existe um mp3 com uma música linda, cantada por Zeca Pagodinho.

Esta música foi a homenagem que recebi de um lorde do samba. Nosso adorável Edu!

Ocorreu neste último domingo, 7/1.

Surpresa tão linda que não pude segurar as lágrimas!!!

O Edu cantou esta música falando mais ou menos assim:

"Agora quero homenagear uma grande amiga minha que espera um lindo menino de nome João Vicente!

Fabinha, esta música é para ti e para o teu filho!

João Vicente, seja bem-vindo!"

Chorava!

Foi esta a minha reação. Sei que sou uma manteiga derretida. Mas a surpresa me pegou de um jeito que fiquei sem e como reagir. Garanto, o carinho dos amigos não tem preço.

O amável Edu adaptou esta música incluindo o nome "João Vicente", em toda ela!

As fotos registram um momento de alegria em que ganhava um conjuntinho para o meu bebê da amiga adorável Cris!

Ser de luz que desponta...

A letra tá aqui abaixo...

Pixote,

Zeca

João Vicente.......é a paz, ternura, o doce sabor

É a planta.......criança é o fruto de uma dor

Não há contratempo, nem chuva, nem vento

João Vicente

É um ser de luz que desponta

E eterniza a lembrança pra vida

Quisera eu ser um jurado

Pra condenar o mal com o amor

Fazer de todo curumim,

a flor mais bela do jardim

Canção gostosa pra ninar, e com sorriso despertar

Esse pingo de gente,

meu pixote João Vicente!

Sentimento no ar

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Não esquecendo...

Tudo na vida tem a sua hora certa para falar e, partindo deste princípio, que venho aqui, homenagear algumas amigas.
Eu posso até me esquecer(e provavelmente esquecerei) das amizades que quero agradecer, porém vou tentar lembrar de todas...
A lista é grande.
Fica aqui minha homenagem e agradecimento a estas pessoas especiais por todos os relatos, conselhos, palavras ditas e abençoadas em abrandar meu coração tão imantado pelo momento novo.
O momento de ser mãe, de ver um futuro diferente, de saber encarar as mudanças de valores e absorver, de modo suave, as típicas mudanças temperamentais e sentimentais de uma gestante. Quem vê pensa que possa ser exagero.
Mas não é. Sentimos exatamente o que um bebê faz: Sono, fome e choro.
Choro do nada, fome sadia e um sono santificado.
2007 chegou.
Quinto mês de gestação e espero um menino!
Para a minha surpresa! Que fato engraçado o dia da ecografia morfológica que mostrou, de cara, o pintinho dele! Estou já na metade do caminho. E a minha ansiedade me consome! Quero ver logo o seu rostinho!
Depois disto, rárárá para o mundo!
Ra rárárá para outros quesitos de felicidade!
Estou realizada.
Mas Deus tem sido tão bom comigo que a maternidade é apenas uma de suas bênçãos.
To muito bem comigo mesma e com o meu coração!
Final de abril, início de maio terei nos meus braços, finalmente, a história viva de que nem tudo na vida morre, apenas intercala. O futuro, mostrou de que algo tinha de ser revelado, desvendado...enfim, anunciado.
Será a história viva correndo pelos corredores de minha casa de que um dia, o amor existiu de fato.
Gracias, sou realista! Um pouco cética que nem tudo é mar de rosas.
Não acredito mais em eternidade, e sim, em momentos.
Momentos, forte, verdadeiros e continuam acesos com o pai do meu filho.
E como relutei em sair desta relação...
Anfã...
Quero, aqui, agradecer a minha irmã Patrícia, Cris Bairros, Verinha(espevitada Verinha da Base Aérea de Canoas), Bia, Sônias(Pires e Dutra), Giza, Janaína Diehl e Jana Seibel, Priscila e Anete. Temo em ter esquecido de mais algumas...Mas pelo que me lembre....são estas...
Agradeço pelo colo, pelas palavras, sempre positivas e exatas para aliviar o quão forte poderia e posso ser!
Meu agradecimento por tudo, mas por tudo mesmo, que necessitei ouvir.
Foram pessoas que mostraram que a maternidade não é um bicho de sete cabeças, que não é “confete” dizer que mãe é abençoada.
Que ser mãe também não quer dizer que se vive num mar de rosas; mãe, padece no paraíso! Será, pro resto da vida, uma eterna doação, uma eterna devoção com um detalhe:
Sem traição, sem abandono.
Serão horas de sono perdidas(insônia de vida e não de dívida ou desamor). Tudo compensado pelo simples fato de carregar, nos braços, um pouco de si...um pedaço da tua Vida.
Porque falo disto?
Falo e agradeço para estes anjos da amizade elucidarem meus transtornos de informações tão distorcidas e mal interpretadas por terceiros.
Pessoas legais, mas com obesidade de preocupação e desinformação sobre maternidade.
Faria um livro de tudo que já ouvi de advertência rsrsr
Corajosa? Nossas mães também foram corajosas!
E sempre fui...
Nunca tive medo de peitar a vida!
E olha que já passei poucas e boas...
Beijei a lona e joguei a toalha!
So-bre-vi-vi!
To mais forte do que nunca!
Após ganhar meu bebê, dizem que vou virar leôa!
Rá! Me aguardem!
Não vivo num mar de rosas, mas sou feliz no meu universo de valores.

Um macho!!!







15 de dezembro de 2006
Fui, as 10 da manhã, fazer tão esperada ecografia morfológica.
Acompanhada da mãe, Mateus(meu sobrinho) e Patrícia, minha irmã. Todos entrariam na sala, comigo, para ver o bebê e conferir este exame que vasculha todos os órgãos Assina cheque daqui, preenche ali...e eu aguardando.
Chamaram: "Sra. Fabiana de Carvalho Fernandes!"
Levantei-me e a patrolada veio, rapidamente, atrás de mim. Quase rindo, perguntei se podiam entrar comigo e a enfermeira logo concedeu.
Deita. Se ajeita. Todo mundo falando ao mesmo tempo, sala geladinha e apertada. Uma tevê e o computador de telas.
Entra a médica:
- Bom dia! Vamos ver este neném?
- Ahãn! (uma verdadeira sinfonia sonora digna do comercial da cerveja polar)
Se ajeitaram de um lado a outro e a médica sentou-se diante do computador.
Gelzinho na barriga e o aparelho já acionado passando sobre o meu ventre.
Quando, já examinando o vai-vem do aparelho detector, ela logo exclama:
- Gente! Mas que guri exibido! Já mostrando o ticão de cara! Olha aí! As perninhas bem abertas!
Todos riam na sala, vibravam. Riam de mim pois a mãe colocava a cara no fogo que era menina! E né que é um macho!!!
Vai ser taurino igual ao pai!
É um menino galera!
Agora que a Sofia foi protelada e o João Vicente veio, primeiro, para conferir este mundo mágico do planeta Terra!

Produção





Estou derretendo. Leio cada informação sobre gravidez! Uma que, além do aumento de peso, a mulher gestante abtém em maior quantidade, um grau elevado de progesterona o que acarreta uma camada a mais de calor! Haja menopausa precoce!
O bom é que, também, eleva-se a produção de melanina! Por isto que tanta gente me pergunta:
“- Nossa meninaaa! Tu ta preta! Ta tomando sol há quantos dias?”
Hi hi hi
Male, male tomo sol... e fiquei já assim! Hi hi hi

Gira, girou





Conheci, através do papai amado, o novo dvd do Zeca Pagodinho! Gafieira! Pra variar o dvd é bárbaro e o Zeca muito engraçado! Nasci no mesmo dia que ele! Eu curto pra caramba o jeito despojado e solidário dele!
Músicas boas, making off engraçadíssimos, músicas antigas, mas com roupagens novas.
No entanto, teve uma que me encantei. A letra fala da realidade da vida. A chamo, carinhosamente, de “reza”!
É uma reza; uma lição de vida! Pra variar o samba sempre com letras bonitas! Conta muito de mim, de gente que já passou ou passará por isto! Se puderem ouvir, ela é bela!
Quando a gira, girou

Composição: Serginho Meriti / Claudinho Guimarães
O céu de repente anuviouE o vento agitou as ondas do marE o que o temporal levouFoi tudo que deu pra guardarSó Deus sabe o quanto se labutouCustou mas depois veio a bonançaE agora é hora de agradecerPois quando tudo se perdeuE a sorte desapareceuAbaixo de Deus só ficou vocêQuando a gira girou, ninguém suportouSó você ficou, não me abandonouQuando o vento parou e a água baixouEu tive a certeza do seu amorQuando tudo parece que estar perdidoÉ nessa hora que você vêQuem é parceiro, quem é bom amigoQuem tá contigo quem é de correrA sua mão me tirou do abismoO seu axé evitou o meu fimMe ensinou o que é companheirismoE também a gostar de quem gosta de mimQuando a gira girou, ninguém suportou...Na hora que a gente menos esperaNo fim do túnel aparece uma luzA luz de uma amizade sinceraPara ajudar carregar nossa cruzFoi Deus quem pôs você no meu caminhoNa hora certa pra me socorrerEu não teria chegado sozinhoA lugar nenhum se não fosse vocêQuando a gira girou, ninguém suportou...