quarta-feira, agosto 26, 2009

Ness. Existe? Voltaram as especulações!




Lembram do Monstro do Lago Ness(o Nessie)? Pois as notícias de hoje relatam a recente foto no Google Earth sob o Lago. O registro fotográfico intriga pesquisadores do mundo inteiro. Nela há uma mancha branca no mesmo formato do monstro. Acabou, portanto, reacendendo a lenda que começou com o relado de um santo, São Columbiano, missionário Irlandês que evangelizou a Escócia, em 565 d.C. Ele, que digamos, “oficializou” o aparecimento do réptil nas águas turvas e gélidas do lago. A partir daí são mais de 250 relatos da aparição e mais 30, em terra. As descrições sempre são semelhantes: pele brilhante e avermelhada, calda longa, cabeça chata e olhos arredondados. A ciência o designa como um pleisiossauro, réptil marinho extinto a “zilhões” de anos. Ui...me arrepiei!!!! E o que moveu eu comentar sobre isto, em meu satélite, é que ainda surgem teorias sobre a sua existência. Há também as famosas fraudes, como a foto de R. K. Wilson, em 1934 que publicou uma imagem montada. Foi publicamente confessa, pelo próprio autor em 1994. Então, meus amigos o leque de especulações sobre a sua verdadeira existência até hoje é um mistério. Quem tiver mais curiosidade acessa o Google Earth e coloque estas coordenadas 57°12'52.13"N (latitude) e 4°34'14.16"W (longitude).
E aí? O que acham? Ele existe ou não?

quinta-feira, agosto 20, 2009

Leitura: Martha Medeiros


Cá entre nós: ela é bárbara, não? Pudera eu escrever como ela. Eu tava comentando sobre as loucuras que já cometemos nesta vida. Loucuras por acreditar em amizades, trabalhos e noventa porcento; por amor! O usurpador de nossa sanidade espiritual.

Aí recebi um e-mail de uma amiga minha. Era arquivo pps e falava sobre loucuras. Tá aí o texto que gostaria que lessem. Aos homens que nos compreedessem e, a nós, mulheres um brinde!

VIVEMOS, LITERALMENTE!


Martha Medeiros
Adélia é uma poeta danada de boa. E perspicaz. Como pode uma mulher buscar uma definição exata para si mesma estando em plena meia-idade, depois de já ter trilhado uma longa estrada onde encontrou alegrias e desilusões, e tendo ainda mais estrada pela frente? Se ela tiver coragem de passar por mais alegrias e desilusões - e a gente sabe como as desilusões devastam - terá que ser meio doida. Se preferir se abster de emoções fortes e apaziguar seu coração, então a santidade é a opção. Eu nem preciso dizer o que penso sobre isso, preciso? Mas vamos lá. Pra começo de conversa, não acredito que haja uma única mulher no mundo que seja santa. Os marmanjos devem estar de cabelo em pé: como assim, e a minha mãe??? Nem ela, caríssimos, nem ela. Existe mulher cansada, que é outra coisa. Ela deu tanto azar em suas relações que desanimou. Ela ficou tão sem dinheiro de uns tempos pra cá que deixou de ter vaidade. Ela perdeu tanto a fé em dias melhores que passou a se contentar com dias medíocres. Guardou sua loucura em alguma gaveta e nem lembra mais. Santa mesmo, só Nossa Senhora, mas cá entre nós, não é uma doideira o modo como ela engravidou? (não se escandalize, não me mande e-mails, estou brin-can-do). Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir de vez em quando que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo pro alto e embarcar num navio-pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar uma cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha. Eu só conheço mulher louca.

Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então.

Também é louca.

E fascina a todos.

Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota.

Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra.

quarta-feira, agosto 19, 2009

Feijoada a vista!!!


Está prestes a chegar o agradável encontro musical de amigos. Confraria do Samba com data marcada!Faço aqui a minha divulgação;
Faço aqui o meu carinho por este grupo de amigos;
Gente com tutâno;
Alguns de "pele enrugada; mas peles de rugas de amor"... (Este samba é sábio. quem conhece aplaude);
Galera com espírito de harmonia e paz;
Amigos da "experiência" que não é qualquer moleque que frequenta terreiros sambísticos desta cidade que saiba algo da Vida.
São os mestres da sabedoria;
Professores das cordas e melodias;
Gente de fé,
Gente do sorriso
Do canto e da alegria!
Para mim as melhores rodas de samba tem sido com a Confraria!
Olha, conheço o samba de Porto Alegre desde 1998. Sou afilhada da Itinerante, tive o prazer de conhecer o Mestre Irajá que fundou a banda, porém confesso: minhas deliciosas tardes tem sido com esta turma que tenho o blog deles em meu satélite.
Visitem!
Cheguem neste encontro!
Vale a pena.
Agora, dia 29/8 será a Feijoada da Confraria. Almoço e samba! Tuuudo muito bom! Eu, não costumo chegar para almoços por causa do meu pequeno. Chego depois. E digo: É SHOW DE SAMBA!

Amor


Na vida temos de provar que amamos! Muitas vezes de uma forma difícil E, para sermos felizes,temos de fechar os olhos para muitas coisa,mas o importante é que se faça única e....
intensamente com AMOR!


terça-feira, agosto 18, 2009

DIVULGUEM! DIVULGUEM!!!

A Casa que acolhe bebês e crianças de 0 a 4 anos - a maioria, vítimas de maus tratos – precisa de nossa ajuda. Eles foram acolhidos num lar provisório para ‘desafogar’ o grande número de abandonados.
Este lar tem ajuda do governo, porém, o “grosso”(e que toda criança adora e necessita) está sempre faltando: Leite, bolachas, frutas, pãezinhos, iogurtes... tudo que alimente e nutre estes pequenos.
E se você tem aquele brinquedo, roupa, artigos de higiene e queira doar, tudo será abençoado e bem-vindo.
A casa já está funcionando e ACEITA QUALQUER TIPO DE DOAÇÃO: TUDO SERÁ BEM-VINDO: MÓVEIS, ROUPAS, ALIMENTOS TUDOOO!

ISAURA MARIA SILVA
- PRESIDENTE SÓ BEBE
Contato : 8453 0900
ou
com Fabiana
fcf@tj.rs.gov.br
Podemos arrecadar e levarmos a este lar.

segunda-feira, agosto 17, 2009

Artesanato - Parte I


As vezes aquele 'entulhinho' tá lá, esquecido, empoeirado na sua casa e do nada, boom! Surge "A" idéia. Foi baseado nestes objetos abduzidos que muitos arquitetos, designers e profissionais do artesanato criam alternativas originais, lindas e econômicas! Aqui vai um dos vários exemplos que zapiei na internet! Pegua aquela Delta que dizia que a China era de um jeito, a Rússia de outro... Junte umas cinco a sete enciclopédias empilhando-as uma a uma. Pinte com sua cor preferida(a que combine com o ambiente que desejas) e cole tudo, anexando, por cima, um vidro quadrado. Pronto! Tá aí a imagem show que achei! Aos poucos vou dividindo com vocês o que vejo por este mundo virtual afora! Adoro decoração, já citei isto a vocês e quando vi isto não resisti e resolvi publicar.
- foto: bybaselelivroscreale -

Parque Guaíba com muita alegria



Olhos contraídos, face avermelhada, roupa aquecida, pés fervendo mas o espírito era de uma leveza colossal. Sábado, sol, 31 C° e nós no Parque Guaíba, bem ao lado do Gigantinho! A última vez que fui a este parque eu tinha 12 anos acredito... E levei meus filhos de coração junto com o João Vicente! Não sabia da quantidade de brinquedos, do cuidado, da originalidade e da organização do parque. Tudo muito bacana e divertido! As crianças amaram!!! João Vicente fez tumulto ao sair da piscina de bolinha – queria porque queira ficar na piscina em tempo indeterminado. Foi um show para sair do brinquedo. Em seguida se rendeu a um vôo de teço-teco com a mana Ana. A noitinha, ainda curtiram um jogo na cancha do condomínio dos avós, inclusive com o João Vicente se metendo a jogar bola com os ‘grandinhos”. Exaustos, todos foram dormir cedo. Domingo tinha mais...
PS: O Parque Guaíba dá para programar aniversários com direito a tudo! Maiores informações pelo site: http://www.parqueguaiba.com.br/quem_somos.htm
E, aqui, os diversos brinquedos: http://www.parqueguaiba.com.br/equipamentos.htm

sexta-feira, agosto 14, 2009

Nemo no prato


Hoje, nem é tanto embora até há pouco tempo atrás fazer o João Vicente comer um arrozinho com feijão ou uma massinha - que fosse - era um absurdo. E inexplicavelmente tudo ultimamente tem se desenvolvido numa rapidez incrível! Comer tem sido uma maravilha e falar também. Ele que só dizia palavras hoje forma frases. Não tem como se derreter. Adora dizer: " - O GATO COMEU MAMÃE"
Responde isto a tudo que pergunto para ele. Tipo: onde está o bico dele; onde está o sapatinho e casaco. Qualquer coisa: " o gato comeu"! Que danado! E para a minha alegria seu filme predileto, ultimamente, tem sido o "Procurando o Nemo". Tem adorações pelos seus desenhos do Discovery Kids como Backiardigans, por exemplo. E, para arrebatar, fica intacto quando inicia o Lazzy Tow. Quer pular que nem o personagem. Voar, saltar, girar...ai seguuura! É outro que citarei aqui no blog. E hoje, vi esta imagem no UOL, de um pai que criou este sanduíche para incentivar o filho a comer. Gente, vejam que graça! É o Nemooo! Eu já vi zerentas vezes este filme porque o João Vicente a-maaaaa ver e rever. Será que consigo fazer um sanduba bem bacana igual para o meu filho? Vou tentar hoje mesmo!

quinta-feira, agosto 13, 2009

Encantada


Sou encantada por originalidade! Então, divido com meus amigos esta dica de decoração de um lar. Vejam que graça!

“O cão não ladra por valentia, mas sim por medo”

Provérbio Chinês

Enxergar





Tem fatos que fazem a gente perder a visão de que algo mudou ou mesmo acabou. Eu me questionava com uma colega(hoje mesmo) até onde se vai a doação de um relacionamento, até onde vai os limites na criação de um filho e até mesmo, no cultivar uma amizade. Amizades fazem parte de nossas vidas... Umas partem por causas diversas outras permanecem por pura valorização do que é ser amigo. É dar e receber.... E os sinais são nossos grandes aliados. Só não enxerga quem não quer. E acho que eu não quis enxergar. Talvez seja isto. Entrou o meu momento de não enfrentar barreiras, afinal; janelas devem estar abertas para o novo e não lacradas. De um tempo para cá percebi isto com alguns fatos. Te apruma Fabiana! Tá evidente! Só você que não enxergou...

terça-feira, agosto 11, 2009

Camelo pra chuchu!


Sempre ouvi em rodas de samba, ao final de uma música, algum integrante do grupo falar: “ - A banda não é camelooooo!”
O protesto é justamente para saciar a sede da bebida mais dourada confrarias sambísticas que fazem “A” alegria de muitos “bebuns”. E por falar em camelos deparo-me com esta notícia doida: Austrália quer dizimar com mais de 650 mil camelos e dromedários! Os animais procriaram feito “fermento Royal” pelos vales e campos deste país. Uma das alternativas é usar, inclusive, helicópteros para a matança.... Pobres animais... Precisava ser uma cientista na biologia para entender tamanha anomalia no ecossistema da natureza. O que acarretou para o surgimento de tantos camelos e dromedários? Santa loucura! O mundo realmente tá virado do avesso. Ainda acredito que as entidades de defesa destes animais estarão a postos para mostrar e agir com alternativas sensatas. Já pensou carroças com camelos, aqui, em Porto Alegre? Tá. Não é piada. Mas sei lá, escrevo aqui, para dar um jeitinho alegre em solucionar algo que me impressionou hoje nos sites de notícias. Distribuam estes animais em zoológicos do mundo todo. Está aí umas das alternativas em solucionar esta mega população que anda competindo alimento com vacas e bois. É uma das soluções, não acham???? Já os australianos querem matar e vender a carne... arghhhh!!! Alternativas existem e dinheiro também!!! A Austrália pode muito bem, pedir ajuda destes países como os que participam da ALCA(Área de Livre Comércio das Américas). Que não falta é “dindin” para desembolsar soluções como estas, da super população de camelos e dromedários.
Quer saber mais desta notícia? Leia a íntegra:
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1261958-5602,00-AUSTRALIA+PLANEJA+MASSACRE+DE+ATE+MIL+CAMELOS+E+DROMEDARIOS.html

Não é brincadeira...




Não é brincadeira!
A coisa está seríssima.
Já circula, pela internet um e-mail na qual está anexado a conversa, por msn, de profissionais da saúde relatando a maquiagem que os hospitais estão ocultando sobre o número de mortes pelo H1N1!
Olha, é de dar um nó nas idéias. Lembro do ovo e do café. Volte e meia saiam matérias que o ovo fazia bem para a saúde, já em outros tempos o ovo, fazia o mal aumentando colesteral entre outros danos. O café era a mesma coisa.
entra esta Gripe Suína.
Primeiro era assustadora. O mundo inteiro contabilizando mortes sistemáticas em todos os países. Depois, chega ao Brasil os primeiros casos. Gente que veio do México...gente que veio da Argentina. Ai que loucura! E todo mundo grudado nos jornais e veículos de comunicação em geral buscando conhecimento deste vírus. Do nada, especialistas fazendo a "suave" diferença da Gripe Comum para o a Gripe Suína(A). Matérias e mais matérias esclarecendo, acalmando a mente sedenta por informações sensatas da polulação que a gripe comum matava mais, por ano, do que a gripe A.
Então, passamos por esta confusão de informações abrandando que a gripe A não era um Bicho de Sete Cabeças.... Mas eu acho que tá sendo um Bicho de Sete Charadas... Meu Deus...
Até aqui, no meu trabalho, foi liberado todas as gestantes. Só retornarão ao final de agosto. Uma medida merecedora de elogios por parte da administração deste órgão. Todas as empresas deveriam poupar estas mulheres.
Uma mulher grávida é digna de respeito e atenção redobrada. São sensíveis física e espiritualmente. Digamos que são iluminadas! E são mesmo na minha opinião. Carregam o mais lindo que a natureza e Deus pode nos ensinar.
Dar a vida!
E por respeitar a vida que o Poder Judiciário, local do qual eu trabalho, está preservando a saúde destas fururas ou já veterana mamães!
É isto aí! Enquanto a ciência não busca uma trava e a imprensa uma notícia com informações sensatas, verdadeiras e oficiais o jeito é se prevenir.

Abaixo o ato do presidente do TJRGS:



sexta-feira, agosto 07, 2009

A gente aprende...



"Obrigado, Deus, por me amar o suficiente
e permitir que me aconteça somente aquilo com que eu consigo lidar,
quando acontece...
Obrigado por quem eu me tornarei através de tudo que me acontece".
(fonte : somos todos um)


"É preciso aprender mais sobre o amor.
E principalmente vivê-lo mais,
antes de poder agir em nome dele."

quarta-feira, agosto 05, 2009

Férias forçadas da creche


Férias forçadas da creche! Esta foi a sentença da família para que o meu pequeno João Vicente ficasse longe de surtos e boatos de Gripe A, ainda mais recém curado de uma pneumonia que me tirou o tapete das estruturas emocionais... A creche(www.cejus.com.br/cejuquinha) que fica anexado ao prédio do Foro Central foi vítima de falatórios que departamentos, funcionária X e Z mais uma ascensoristas(inclusive esta morreu) contrairam o vírus da Gripe Suína. Então, como ele passou por uma pneumonia - e isto foi grave.... deram férias forçadas para o meu pequeno príncipe! E claro, que isto teve dose de festa! O guri a-do-ra ficar com o primo Mateus, com a vó dele e o povo todo da casa! É obediente, come direitinho, ajuda a vovó e, ainda por cima, é um artista. Prova disto são estas caras cômicas que ele faz quando a gente pede para registrar o momento. João Vicente é uma parada! Tá em casa, meu bichinho, se preservando deste mundo em mutação...

terça-feira, agosto 04, 2009

O texto mais lindo que já li de David Coimbra


O título que ele, David Coimbra fez é: Nasceu o Bernardo

Por conta disto ele ganhou o Prêmio ARI de Jornalismo. LEIAM! É LINDO, LINDO E LINDO. É A VOZ MASCULINA MOSTRANDO O LADO DA INDAGAÇÃO PATERNA!
É O ESTALO DE COMO E O PORQUÊ SER UM PAI!
VALE A PENA LER:


Nasceu o Bernardo


Você está tranqüilão no seu trabalho, são 22h15min de sexta-feira, você já está pensando nos chopes que hão de vir, está pensando naquelas iscas de lombinho de porco, numa noite aprazível com os amigos na Calçada da Fama, quando toca o telefone e a voz de mulher grita do outro lado da linha:— Rompeu a bolsa!
WOLFREMBAER!!!, é o que você berra, enquanto joga o telefone para cima e sai correndo, atropelando a mulher da limpeza.
Foi o que aconteceu comigo na sexta, dia 17. Atirei o telefone para cima, dei o grito de wolfrembaer, que é o que a gente deve gritar em momentos que tais, e voei para fora da Redação, passando por cima da Dona Filistéia. Em um minuto estava dentro do carro, zunindo pelas ruas do Menino Deus, entrando na contramão, espalhando azulzinho para tudo que é lado. Em dois minutos, bufava na sala de casa. A Marcinha:— Já?
Eu:— BAMO!
Nem carecia tanta pressa, como constatei em seguida. A coisa foi demorada. Quase cinco horas de tentativa de parto normal, contrações e lenta dilatação e eu ali, assistindo, pensando no que todos me dizem: que o nascimento do primeiro filho da gente é a maior emoção do mundo. Mas não sentia emoção nenhuma. O que sentia é que o pai é um inútil nessa situação. A mulher forcejando, os médicos trabalhando e o pai... olhando. Pensei em buscar cafezinho para alguém ou contar alguma piada, mas ninguém queria café e não havia clima para piada, nem para a piada da borracha. Então tentei me encaixar em um canto em que não atrapalhasse. Fiquei ali, quietinho, respirando.
Eles resolveram fazer cesariana. Foi tudo muito rápido. Em cinco minutos, lá estava eu, atrás de um lençol verde, ouvindo o ruído do bisturi cortando a carne, tzif!, tzif! Cristo!
Mais alguns minutos e:— Aí vem ele! Aí vem ele!
Veio! Só que em silêncio. Não teve aquela coisa de ele ser posto chorando no peito da mãe, a mãe chorando também, aquela cena que a gente vê nos filmes. Levaram-no para outra sala. Fui atrás, filosofando: ué? E lá, naquela sala, envelheci uns cinco anos em cinco minutos. Porque foi esse o tempo que ele levou para respirar: cinco minutos! Que me pareceram meia hora. É normal, disse-me a médica, mas, pô, como é que eu ia saber disso???
Cinco minutos inteiros... E o gurizinho imóvel e azul.
Por toda essa aflição, não senti, na hora do parto, a tal maior emoção. Senti só alívio. Também não senti nenhuma emoção especial nas horas seguintes. Todo mundo indo ver o nenê, o nenê olhando para aquela azáfama com uns olhões arregalados, a pediatra advertindo:— Ele está agitado. Vai ser uma noite dura.
Eu com medo, muito medo, e assinando alguns cheques. Descobri ser essa a função do pai nesses primeiros dias de vida da criança. Na verdade, duas funções: assinatura de cheques e serviço de encomendas.
— Busca lá um algodão quadradinho e um alquinho?— Me traz um bauru?— Aproveita e compra umas revistas.
Eu obedecia. À noite, as piores previsões da médica se cumpriram. O nenê chorava e chorava. Quando não chorava, gritava. Quando não gritava, berrava. Quando não berrava, uivava. Mas o pior era quando urrava. Compreendi que a Natureza é sábia: os nenês têm essa voz estridente para que os pais os ouçam de qualquer lugar em que estejam. E os pais os ouvem, como os ouvem.
O que fazer para acalmá-lo? Nenês de um dia de vida são como torcedores de futebol ou crentes religiosos: não são suscetíveis a argumentos racionais. Nada o convencia a parar. Nem as atenciosas enfermeiras do Mãe de Deus, que são realmente atenciosas. E horas e horas de choro, e eu pensando naquela história da emoção, a grande emoção de ter um filho. Que falácia! Que mentira! Me enganaram!
Às cinco e meia da madrugada, a mãe dele começou a chorar também. Um chorava ali, outro chorava aqui, eu tentando manter a calma, mas já certo de que me haviam engrupido: não existia a tal maior emoção do mundo. Só existia dor.
Então, às cinco e quarenta e cinco, quando tudo parecia perdido, eu o tomei nos braços. Comecei a embalá-lo. E lembrei de uma música do Dorival Caymmi que o Roberto Carlos gravou nos anos 70 e que a Adriana Calcanhoto cantou na abertura do Pan. Uma música que dizia com precisão exatamente o que estava acontecendo. E eu a cantei para o meu menino:

"É tão tarde, a manhã já vem

Todos dormem, a noite também

Só eu velo por você, meu bemDorme, anjo, o boi pega neném

Lá no céu deixam de cantar

Os anjinhos foram se deitar

Mamãezinha precisa descansar

Dorme, anjinho, papai vai lhe ninar:

Boi, boi, boi, boi da cara preta

Pega esse menino que tem medo de careta".


E ele começou a piscar os olhinhos e começou a se acalmar e me olhando sempre e sempre adormeceu nos meus braços, e nos meus braços dormiu por quatro horas e nessas quatro horas fiquei olhando para ele, tão pequeninho, tão frágil, tão sereno, e aí, aí sim, aí eu senti, senti, senti, senti, cara, aquela emoção.


"...Sou como você me vê... Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania, Depende de quando e como você me vê passar..."
(Clarice Lispector)