domingo, setembro 23, 2007

Encontro comovente







Se não for pra bater cabeça, no palco, para mestre Monarco, vai fazer pra quem então, hêim!?! E foi para isto que atravessei lagos e lagoinhas da Porto Alegre inundada por uma típica chuva de setembro. Quinta-feira de feriado e eu na poça d'água! Mas o motivo era nobre, era iluminado! Em plena av. Padre Cacique, mestre Monarco traçava seus passos cadenciados de muitas histórias do samba!
Na arena, minha amiga de fé, irmã camarada, portelense enferma, Janaína!
Aprendi a amar a Portela devido a ela. Isto ocorreu em meados de 1993. De lá para cá, sempre acompanhei a Portela nos carnavais cariocas. E quando a velha-guarda azul e branco chega no território gaúcho, não penso duas vezes em estar presente! Portela é tudo para mim. Queria levar o João Vicente. Mas a chuva impediu(acho que o som também. Ele anda avesso a sons mega altos. e, convenhamos...em quadras de samba é ensurdecedor).
Então, me programei garantindo a paz do meu pituco com a babá Tatatáta em casa.
Cheguei ao show e só pensava em assistir, ouvir, contemplar Monarco.
Público tímido, pública parco... pois a chuva afastou muita gente.
No entanto, as pastoras de fé, estavam lá!
Lágrimas, emoção, fotos, conversa...tudo foi realizado por nós, em especial Janaína que trajava orgulhosamente a camiseta azul e branco da Portela. Monarco abre o show e fica perplexo que a turma era afinada nas composições dele. O olhar terno para Janaína, marcou o show. Monarco não esquecerá. Janaína não enfartará mais depois disto. A emoção foi forte. Eu me contive... depois de ser mãe ando com uma neurose da 'quebra do cordão umbilical". Difícil se desligar do meu filho. Olhava o relógio para ver se tava tudo bem.
A essência foi esta: reverenciar, BATER CABEÇA PARA O MESTRE DOS MESTRES!
Conversei com Monarco, mostrei fotos do João Vicente no meu celular e este falou: "- João Vicente, que nome bonito. Mas este tempo não dá para um menino tão pequenino. Faz frio aqui, não?"

É meu filho JV... Monarco te conheceu apenas por fotos, mas relembrou a turma sem noção do Fórum Social Mundial, de 2001, que cantou fervorosamente, pós-show, atrás do palco onde, um a um, da nata portelense, desceu para nos dar a benção! Monarco estava lá!
Projeto Unimúsica da UFRGS. Galera de fé, também, estava lá!
Santander, Tia Surica!
ihhhh Nunca perderei nada da Portela aqui, no Sul!...

Agora... poderia ter ido no Paulinho da Viola, ano passado, no Sesi... mas por motivos gravídicos, da época, não fui!
Oportunidades, não me faltarão!
Como disse o mestre Monarco:
“Eu devo prestar homenagem a Ismael, conhecido na roda de samba, como grande bacharel”.
De Ismael a Bacharel, MONARCO, VALEU PELA SUA LUZ!

terça-feira, setembro 18, 2007

JV e a musicalidade















Como todos sabem passei a gravidez inteira frequentando rodas de amigos do samba e tocando meu pandeiro. João Vicente era uma sementia e eu já vibrava com minhas batidas de platinelas. Nunca deixei de interagir meu filho com a música. Quando nasceu foi outra etapa. Ouvir, não em zunidos ensurdecedores nem tão pouco sons tão baixinhos. Mostrei ao meu filho a música. Setenta porcento dela; samba. Estou iniciando desde cedo a musicalidade na vida de meu filho.
E acho que ele já se interage! Com 12 dias de vida levei ele numa roda fechada de amigos! Foi super legal. E a última foi este fim de semana! Quando chegava perto dos músicos ele se enlouquecia no colo! Parecia um colibri baby querendo zarpar vôo!
Acredito que as crianças são tidas como possuidoras de invulgares capacidades para perceber e responder à s componentes básicos da música. Então fui atrás de sites que falavam disto. O que achei foi muito interessante.
A música está presente nas nossas vidas, muito antes de falar. Segundo, uma matéria que li, os mais recentes estudos a este propósito, alega que tudo começa muito antes do nascimento, ou seja, o útero será a primeira sala de concertos. Como justificativa o fato reforça o princípio anterior, uma vez que diz que os batimentos bruscos do bebé no útero da mãe, são respostas fiéis a estímulos musicais. São perfeitamente apreendidas pelos bebés, também, compensando algumas distorções sonoras para manter a percepção da sua estrutura, o útero.
Outro efeito abençoado da utilização da música (canções de embalar cantadas pela própria mãe) durante a gravidez conclui que logo após o nascimento, o bebé produz movimentos de reconhecimento daquelas canções, uma vez que se a mãe parar a meio de uma dessas canções ou mude inesperadamente para uma outra que a acriança desconheça, ela pára ou move-se em jeito de resposta ao sucedido.
Existem muitas e muitas teorias. A prova é que faz um bem enorme trabalhar com a musicalidade na gestação. Eu fiz isto. Os estudos afirmam:
Os bebês se identificam, logo após ao nascimento com aquilo que foi ouvido em seu desenvolvimento. A prova que a música já era familiar e já estava de alguma forma assimilado na sua base de dados auditivos.
Os gestos do João Vicente quando escuta samba comigo são comoventes. A música pára e ele abre os bracinhos, pedala as pernas e menciona voar. Sim, parece que abre os braços para voar, gente! Um fofo. Aliado a isto começa a falar-cantar uma espécie de vogais sonoras! Como se estivesse acompanhando a música.
Nesta foto assistiu atentamente o dvd 40 Anos de Samba, de Beth Carvalho e convidados no Teatro Municipal do Rio de Janeiro!
Eu adorei; já o João Vicente... rá! Pediu passagem aérea para a capital carioca de samba!

sábado, setembro 15, 2007

Fragmentos sambísticos de inverno
















Faz um tempo. Foi no aniversário da nossa amada Porta-voz do samba; a inigualável Anete!
Já na semana que antecedia o aniversário soube, pela previsão do tempo que a semana seria de frio, muito frio. Que na quinta-feira, as temperaturas subiriam e que, no sábado(justamente no sábado), cairia uma chuva baixando, por assim, a temperatura. Queda total. Frio de gelar.
Passei toda a minha licença maternidade enjaulada no apartamento pois com o inverno intenso, seria crueldade expor meu pequeno a temperaturas tão baixas. Era brincar com o perigo. Era sujeitar meu pimpolho a uma bronquiolite. Então evitei.
A exceção, programada, era ir no aniversário da Nete. Como já havia visto a previsão do tempo, me preparei psicologicamente para levá-lo. Conversei com as gurias organizadoras da festa para amparar meu pequeno num mini-improvisado-hotel! Tudo preparado e sábado amanheceu com a calculada chuva.
Cheguei, junto com a babá Tatatáta e de cara um batalhão já abriu os portões, carregaram aparatos maternais e tralhas trazidas para a festa.
E o samba começou regado de cerveja(que eu não bebo mais) e muito churrasco. E, como promessa, a vinda ilustre do compadre de Zeca Pagodinho, Luiz Carlos da Vila!
Ele e a esposa estavam estarrecidos com o frio. Pudera, né? Cariocas legítimos, enraizados com os caldeirões solísticos do Rio de Janeiro. Porém, nada impediu para que eles não se divertissem! Verdadeiros hinos sambísticos foram cantados por Luiz Carlos da Vila, grande parte, de sua autoria.
Para não ficam em vão, retiraram meu pequeno de seu QG do inverno e o levaram para a garagem onde estavam os convidados. Tímido, inexperiente, diante de um ser tão pequenino, Luiz Carlos da Vila pegou João Vicente no colo e disse: “- esse é o nosso João Vicente!”
Foi a forma de abençoar, sambísticamente, nosso pimpolho!
Quando crescer, João Vicente saberá que, no mundo do samba, participou de grandes compositores da música popular brasileira!
Agora, com tempo, e só agora mesmo, a mamãe aqui, conseguiu registrar, no blog, este grande encontro!
Aos amigos do samba meu eterno carinho! JV! Tu é o amor da minha vida!

domingo, setembro 09, 2007

Presença ilustre de primos







Estou contente! Depois de muito tempo reencontrei meus amados primos. Vindos de Floripa, a ilha maravilhosa, o casal "Salin e Sarah", cujo nome no cartório constam como:
Ana Cristina e Karin vieram descansar, em Porto Alegre, neste feriadão!

E qual era " A BOA" do sábado?


INTER X FLAMENGO

Rá! Justamente no fim de semana que meu timão, o Internacional jogava contra o rubro-negro. Não foi surpresa, saber, que no mundo dos catarinas, o time que mais se torce é o do Grêmio. Uma Blasfêmia para Os Fernandes!
Além de passear pela Porto Alegre, vieram, também, conhecer seu mais novo priminho!
E como meu pimpolho João Vicente os recebeu?
TRAJADO COM O UNIFORME DO INTER!
Ao fazer o registro fotográfico, o "Salin" do Karin tapa, por total, os logotipos do maior time do Rio Grande do Sul!
Era a estréia do João Vicente vestido de colorado!
Grande estreia!
Nosso timão goleoouuuu o Flamengo!
Uhuuuu
Mas fica aí o registro desta dupla de psicólogos que vieram alegrar nossa família.

A lástima(sadia, óbviamente) foi a de que, Karim, tentou sabatinar com suas teorias 'freudilentas" para converter meu filho a ser gremista (vejam a prova e o exato registro, da foto, em que João Vicente, se desespera gritando: "- Nãoooo! Eu sou INTEEEEEERRRRRRRR!)
Foi obrigado a reverenciar a potencialidade do nosso gigante Beira-Rio com a saída da torcida colorada vitoooriiiooosaaa!
Aqui o que vinga é o mar vermelhooo!
Karin e Ana Cristina!
Amamos a presença de vocês!
Voltem sempre!
E nos esperam para 2008 na ilha santificada catarinense!
Vou amar ver meu filho brincar na praia!
Amo vocês.
Da prima e do primo, Fabiana e João Vicente!

PS: Desta vez, foi a presença ilustre de meus primos, Ana e Karin! Espero que meus outros primos também venha para a capital dos pampas!
Iremos adorar!


quarta-feira, setembro 05, 2007

Quatro meses de vida!







Não tem explicação! Sei que sou suspeita falar. Mas a medida que crescem-e como crescem- me encanta mais! Ele tá um fofo! Não quer mais ficar recostado; já se inclina para frente. Os gargarejos sonoros; já apresentam gritinhos alegres e aquela fragilidade toda de banho, com olhos assustados; hoje é motivo de festas e pedaladas na água! Impossível não se apaixonar!



São quatro meses de vida! Um anjo que caiu do céu!



domingo, setembro 02, 2007

Dupla dinâmica



As mudanças climáticas deixaram a turminha, lá de casa abalada. Enquanto eu trabalhava no TJ, Tatatáta e o pequeno pimpolho e lindo JV falavam a língua dos espirros, tosses e corizas... Eitcha Gripe! Xo Gripe! Graças a Deus estão bem melhor esta dupla dinâmica!

Sirizão e sirizonas




Aí! A onda pegou geral. A dança do sirí virou brincadeira até entre os amigos do samba! Ou mesmo, para zoar, sadiamente, de alguém... O negócio é flexionar os joelhos e sair dançando igual a este engraçado crustáceo!
Não adianta. O Programa do Pânico já me fez rir muitas madrugadas enquanto eu amamentava o JV na cama. Os caras são muuuito engraçados. O Vesgo e o Sílvio. Show!


Até o mais lindo, dos lindos artitas globais( que na minha opinião é a perfeição masculina), dançou em plena copacabana.


Em homenagem ao sirizão, gostosão do Marcelo Antony, que eu e minha comadre murcilhona, Bia dançamos certa vez, por motivos muito nossos(ahahahaha), em pleno samba!


É bom rir, é bom brincar!
Agora a campanha do programa é Dança Galvão...duvido!


As pessoas mudam...


Ontem, eu Ale, Táta e João Vicente em casa. Falávamos de tudo(mas de tudo mesmo: futebol, amor, internet... carros...filhos) quando Tata me pergunta:

"- Fabi, vamos sair?"

Eu na hora disse não. E suspirei:

" - Não tenho vontade de sair com este tempo. Aliás, nunca fui tão caseira na minha vida...'

De cara, Ale largou:

"- COMO É QUE É, FA-BI-A-NAAA!?!"

é... a surpresa é até do Exaustino...

Nunca fui tão caseira na minha vida....

Não tem gente que surpreende? O Zeca Pagodinho, nesta foto, surpreendeu a todos bebendo água. Eu também tenho as minha mudanças. é bom curtir meu lindo ninho em família hi hi hi

Eu e nóis




Fiz um texto enorme e faltou luz no bairro. Preciso dizer que perdi uma linda declaração que fiz a meu filho? Não, né?
Que pena...
Comentei tantas coisas... do seu crescimento, das suas duas gripes em quatro meses de vida, da semelhança absurda que ele está comigo e com o pai. As famílias puxam para o seu lado. É uma sovinha abençoada. Semelhante comigo; ora com o pai...as vezes com o tio... ihhhh irmão... O que importa que ele tem muita garra. É um guerreirinho, esperto e risonho! Ri tanto que uma vizinha minha largou: "- O João Vicente é capaz de sorrir até de fratura exposta!"
É... pequeno e brincalhão! Um pacotinho de Deus que, hoje, mudou por total a minha vida. E quanta importância esdrúxula eu dei em quesitos lamentáveis do meu destino. Hoje, por mais incomodação e fofoquinha que tenha sobre a minha vida particular(ei! é a minha vida!!!)e, principalmente pelos indigestos palpites que tive na minha gravidez(aliás, vou fazer um livro: p


Porque incomodam tanto as grávidas?) que, só de olhar o sorriso do João Vicente, ou mesmo, observar o seu soninho, que fico marejada de felicidade. Não tem preço, não tem explicação! Eu, meu filho e o papai temos uma vida muito legal, para quem torceu contra! Fiquei tão insegura que até cartomante procurei...


PARA DEUS NADA É IMPOSSÍVEL.


É baseado nisto que me agarro. É fundamentado que na vida, nada é para sempre que vivo o MEU AGORA! E to tão bem...