terça-feira, dezembro 29, 2009

Basta querer, e Glória Maria assinou embaixo!


Navegava por sites e blogs quando deparei com esta entrevista de Glória Maria para a revista Isto É Gente. O relato desta jornalista sobre a adoção de duas meninas é linda. Não sei se por ser mãe, se por imaginar que exista realmente coisas "que entre o céu e a Terra nossa filosofia nunca alcançará” ou sei lá, se é pelo inexplicável mesmo. Confesso, as palavras dela me levaram as lágrimas. Eu digo e repito: Basta querer para ser mãe! E Glória provou que é uma super mãezona! A mais completa! É a mãe de alma e coração! É a mãe que assume falhas e medos, mas acima de tudo: é uma mãezona das mais protetoras e guerreiras! Urra se puder pelas filhas. Abaixo(vou deixar o link da reportagem) trechos da Glória Maria que fala do suor e da persistência em provar que vale a pena esperar a fila de uma adoção:


O processo de adoção:

“Passei um Réveillon maravilhoso em Punta del Leste e quando cheguei resolvi fazer um trabalho social com crianças abandonadas. Vim para o festival de verão da Bahia e vi muitas crianças abandonadas nas ruas. Fui ao juizado de menores, pedi uma relação de abrigos, expliquei que tinha a intenção de fazer esse trabalho. Fui ao primeiro, segundo, terceiro e num deles eu encontrei a Maria. Quando vi aquela menina alguma coisa no meu coração se movimentou, comecei a olhar mais para ela e quis saber a história dela. Quando estava conversando com a assistente social, a Maria entrou no colo de uma mãe social. Eu a chamei e ela pulou no meu colo. Eu entendi que alguma coisa na minha vida tinha mudado ali, naquele momento. Não tive dúvidas de que aquela menina era minha.... Quando resolvi fazer o levantamento da história da Maria, para saber se ela estava livre para adoção, eu descobri que a outra, que eu também era apaixonada, era irmã dela. Então, comecei a fazer todo o trabalho de adoção direcionado para as duas, me habilitei, fiz tudo o que manda a lei, de uma maneira exaustiva, complicada, mas correta.”

Sobre o processo de adoção:

“... Comigo foi muito mais rigoroso porque eu sou uma pessoa pública, eles fizeram tudo com muito cuidado e demorou porque todos os prazos foram cumpridos. Mas adotar é uma coisa simples, se você tiver todos os pré-requisitos, se a criança estiver livre para a adoção, é um processo rápido. No caso das minhas não existia um documento dizendo que elas podiam ser adotadas, eu tive que fazer o termo de destituição paterna e cumprir toda a burocracia da lei, para tê-las para adoção, mas em geral é tudo muito simples. Eu dei sorte de conseguir as minhas filhas porque eu acho que elas já estavam ali para mim. É o presente mais lindo que Deus me deu. Eu moro no Rio, vi crianças prontas para adoção no mundo inteiro e nunca pensei, nunca me comovi com essa coisa de adotar, sempre me comoveu a história do abandono, mas A nunca pensei em adoção e a Maria e a Laura abriram uma porta no meu coração.”

A verdadeira mãe:

“Eu vou procurar o acompanhamento de uma psicóloga para atender a gente. Preciso disso até para o processo de contar para elas que são adotadas. Pelo meu coração eu não iria revelar nunca porque elas são minhas, da minha alma, do meu coração e acho até que do meu útero em outra vida, não tenho dúvida nenhuma disso. Mas acho que elas têm o direito de conhecer a historinha delas.”

A definição de uma nova Glória, como mãe:

“Estou muito mais tolerante e muito mais calma, não é uma calma de ser agitada porque isso eu sou, é meu. Eu adquiri uma calma interior, eu não tenho mais nenhuma inquietude dentro de mim, é muito engraçado. Tudo em mim flui de maneira natural, eu não tenho ansiedade nenhuma, nenhuma. Aprendi a esperar, eu não conseguia esperar, eu ia fazendo tudo. Eu adquiri uma calma interior que eu não tinha. Tudo em mim é em função delas. Eu sou uma mãezona, uma leoa.”Mais detalhes: http://www.terra.com.br/istoegente/edicoes/537/artigo158956-1.htm

Luar


Há dois dias tenho perdido o sono. Quatro, cinco da manhã meu despertador biológico dá boas vindas ao meu olhar. É com ele que fico petrificada olhando os raios do luar. Ali... ali... tudo corre, navega....muda...

Esta frase de Diogo Nogueira fala um pouco desta minha inquietude noturna...


“Ah, se eu contasse pra Lua
Tudo que eu trago no peito
Tudo que ainda magoa
Dor que me pega de jeito...”

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Três urradas felina com direito a muito amor sob um cenário azul e branco!


Faltando alguns dias para acabar 2009 resolvi buscar e ler algo que fale do promissor 2010 que se aproxima. O que li, ouvi e vi foi exatamente isto: Três urradas felina com direito a muito amor sob um cenário azul e branco! 2010 terá estes símbolos: O ano do Tigre, o ano do planeta Vênus, o ano de Iemanjá e Oxalá e com a numerologia da casa 3!
No horóscopo Chinês promete um 2010 com direito a estrondo e um choramingo. Ou seja, nada será feito numa escala pequena, ou tímida. Assim se define o Ano do Tigre!!!
Tipo assim: “Tudo, bom e mau, pode e será levado aos extremos. As fortunas podem ser feitas e perdidas. Se você tiver uma possibilidade poderá agarrá-la mas nunca esqueça que tem grandes obstáculos pela frente. Será uma época de testar a sua diplomacia. Como o tigre, nós tenderemos a agir sem pensar e a terminar lamentando-nos pela pressa que tivemos.(é o velho ditado de ‘quem tem pressa; come cru”). O Ano do Tigre, segundo os chineses será um ano forte e vigoroso.

E na Umbanda? Quem já não pulou, ou mesmo assistiu, pessoas pularem as sete ondas numa praia movimentada em pleno revellion? Todos, correto? Correto. Todo mundo já presenciou este ritual ‘saramalenco das águas”. As oferendas à Iemanjá já virou tradição nas águas do litoral brasileiro. Pra apimentar, para florear mais ainda, 2010 será o ano dela! Sim, dela mesmo! O ano de Iemanjá, a dona dos mares e das águas salgadas da fartura e dos pensamentos traz para este promissor ano muita fartura, romantismo e fertilidade! Iemanjá governará 2010 junto com o orixá, pai de todos, Oxalá e pai Ode abrilhantando assim, mais ainda, com beleza, perfeição, evolução , amor e progresso. Este será, conforme os umbandistas, o ano de 2010!
E, na astrologia li que será um ano do Planeta Vênus. Os destaques serão as realizações de nossos desejos e tudo aquilo que condiz prazer e satisfação(Nossa, minha mente voou longe com esta profunda revelação). As palavras chaves, no mundo dos astros, serão: Recomeço, transformação e busca da identidade e valores. Será um ano de PAZ, de tratados e de solidariedade.
Na Numerologia será o número 3, número este que representa a força da expressão, da criatividade e da inspiração beneficiando trabalhos e estudos! Eitcha! E dá-lhe 3 na mega-sena que acumulou rsrs
São tantas notícias boas que estou num otimismo!!! Sabem por quê? Porque lembrei das revelações, para 2009, ano de Ogum, que li em sites e revistas. Nunca esquecerei este dizer: “O Ano de Ogum(2009) será um ano suado. Tudo que for conquistado terá um esforço, uma perseverança por trás. Nada será de mão beijada”. E né que foi assim mesmo? Pelo menos para mim foi. Então, espero que estes filósofos das religiões e misticismo em geral, cheguem ao comum acordo que 2010 será um ano de paz! Que palavra gostosa de falar, ouvir e escrever...PAZ! Assim eu desejo a todos um Feliz 2010 com muitas conquistas e realizações!
E se quiserem saber mais em forma de calendários, datas festivas entre neste site: http://pt.wikipedia.org/wiki/2010
Ou então revelações surpreendentes entre neste: http://www.constelar.com.br/constelar/122_agosto08/estadosunidos2.php


Assim espero! Sabemos que qualquer ano que venha é um ano de luta, de vitórias e de decepções. Sabemos que nesta escala terrena da qual vivemos, nada é fácil. O que não custa nada é pensar positivo! É assim que faço votos a todos: pensem positivo! 2010 será Dez!

terça-feira, dezembro 22, 2009

Só pode!


Tem uma agência, que prefiro não citar o nome, muito menos a sigla que, quando eu entro sinto um clima tão estranho. Aliás, é muito mais que estranhoa; é sadiamente dizendo: sinistro embora eu os conheça há alguns anos. Os funcionários da plebe, por exemplo, são também esquizóides - isto que já estagiaram vários naquela arena. Mas todos, sem exceção alguma agem num clima que me faz ter a sensação de que algo está sendo omitido ou sei lá, escondido. Ressalto para um detalhe: São extremamente educados! Nos tratam com muita praticidade. Isto! Práticos e rápidos! Porém, eles se olham o tempo todo e aquilo me intriga... Não pode ser coisa da minha cabeça!?! Não pode!
Eles se falam em códigos, não existe muito barulho, sabe? Mas os códigos, a ambiente quase vazio deixa uma sensação de suspense. Até o público que ali frequenta parece que recebe algum 'axé' na porta que acabam entrando no clima também. Cada olhar... Tudo um silêncio sinistro. Engraçado! São tão silenciosos que as vezes me perco no comportamento e "me pego" sussurrando com o funcionário. O chefe(a) mór é mais estranho(a) ainda! Tem uma pose de "Sinhosinho Malta" personagem do Lima Duarte que interpretou na novela Roque Santeiro! Só faltam as inúmeras pulseiras e o chicote. E tem um lado que é óbvio em muitos estabelecimentos públicos ou do comportamento humano(entre nós, lamentável): é entrar alguém, que provavelmente tem chip com centenas de cifras ou status que o tratamento é mais aberto, tem mais sorriso ou abrem-se mais as portas. Basta 'ter" se é que me entendem... Para mim uma aberração da conduta de cidadão. Fazer o quê. Esta é a vida! E aquela agência... Todos são estranhos. Acredito eu que são et's. Sim! Só pode! Eles são muito esquizitos!

Vontades...

Vontade de acordar num lugar destes, em que os sons permitidos sejam, somente, os quatro elementos da natureza. Vontade de abrir meus olhos e não lembrar de código de barras; de sinais de alertas. Que estas barras sejam esta imagem. Vontade de me desligar do mundo, vontade de não dar satisfação a nada... vontade de nada! Ficaria por horas neste cenário conversando somente com Deus. É disto que preciso. Alguns chamam de férias. Eu chamo de paz. Vontades....

Que venha do céu




As vezes tenho vontade de me desligar totalmente das notícias do mundo. Ficar offline, apagão, fora da área de cobertura enfim, abduzida mesmo de tudo! É uma enxurrada de notícias lamentáveis que leio e ouço quando me prendo a estes veículos de comunicação. Sim, já havia me queixado, por aqui, sobre o teor dos notíciárioas. Principalmente aquelas notícias que retratam as crianças como as vítimas. O caso do menino de dois anos que teve dezenas de agulhas introduzidas no seu frágil corpinho me deixou estarrecida. A confissão daquele escroto humano, daquele imbecíl e demente padrasto me fez ir as lágrimas vendo a sua confissão: matar a criança aos poucos para atingir a companheira. Tudo isto me enojou. Saber disto é o mesmo de depredar com a nossa alma. Eu evito falar mais sobre este monstro que fez isto com esta criança pois temo expor todas esta minha ira. Pois eu clamo pela justiça de Deus. Minha reza é que esta criança se recupere logo de todo este trauma - se há possibilidade de esquecer esta dor física e emocional. A mídia tem também que dar uma freada. Sempre fui contra a exposição em massa de uma notícia monstruosa desta. Noticiar demais gera alimentar a mente de outros psicopatas soltos por este mundo afora. A prova disto que já existe outro caso de menino com agulhas no corpo. Acho que tem que saber filtrar ou medir o que se publica. Agora, me resta rezar, como faço todos os dias, para que tudo fique em paz no coraçãozinho deste menino. E também vou tentar, por mim mesma, evitar ler algo sobre isto(se bem que eu tento e não consigo). E que venha do Céu a palavra e a justiça de Deus. Que venha Dele para confortar nossos corações, que venha do Nosso Senhor Jesus Cristo a proteção a estes inocentes.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Amor é movimento


“Cada amor tem uma história, e cada história de amor tem o seu próprio tempo. Às vezes, o amor começa aos poucos, outras vezes vem de repente. Pode demorar um instante ou durar para sempre. O importante é que o amor não pára no tempo. Está sempre em movimento”. Bingo! Movimento! É atração; é expansão. É vai e vem. Amor é movimento! Que bárbara esta frase! Eu sou uma incansável e birrenta atleta do amor! Só espero que Papai do Céu me dê um lindo Love story com final feliz. Estou começando a achar que nada na minha vida estagnou. Pelo contrário. Só clareou, só aumentou, só intensificou, embora eu esteja numa ferrenha análise de tudo. É que o agora, me move, a o-u-t-r-a-s órbitas das quais não poderei deixar para segundo plano devido a um amor... Mas o amor... Sabe aquele amor? É... aquele amor... Ele movimenta. Nunca parou. Espero que tudo na minha vida se elucide pois ninguém prestou atenção que sempre acenei a bandeirinha branca! Hoje eu não abro mão da paz que conquistei e da serenidade que sou. Me sentir escrava, submissa a um sentimento, de novo? Não... Algo foi desperto; e também admirado.

terça-feira, dezembro 15, 2009

Espero


Tudo bem, não sou eu a magrela aí da foto. A moça aí é Cris Berger, fotógrafa que capta a alma do momento. E por falar em alma do momento me peguei assim. Sentindo este vento que esta imagem me passou.
Sou uma mulher tão intensa que as vezes falo demais ou pior não me expresso quando tento fazer alguém entender uma situação. E se esta situação não tem como entender? Tem sentido. Na verdade pra tudo se tem uma resposta. Basta o tempo falar. Eu que ando que o senhor tempo esqueceu da minha ficha. Não me chama até agora? Pois estou sendo cercada de palavras lindas. Elas sobrevoam meus pensamentos, elas planam nos meus sonhos e elas também me atormentam pois estas palavras não sei se existem sombras nelas. Até onde vai a veracidade de uma palavra dita. Mesmo que seja olhando na menina dos teus olhos. O tempo passa e eu continuo ali, inerte sem poder urrar e ter a certeza que desta vez, tudo mudará. Tem fatos que acontecem comigo que me desnorteiam...me confundem... Ando feliz, mas ando chateada. Justamente por não ter esta certeza. Só o tempo me dirá. E até agora ele não me chama... Então, espero. Espero, o vento, a palavra e a sua alma. Se é que tem alma...
Foto: Cris Berger

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Laguna a vista!

Não vejo a hora de chegar janeiro de 2010! Meu pequeno retornará a terra do seu avô Daltinho; Laguna/SC. Vai brincar com os novos primos – psiu! Já tem uma tropa de elite Catarina - e curtir muitos passeios com a sua mamãe. Nestas fotos aí eu relembrei quando o João Vicente não tinha nem um aninho. Na época, o pediatra aconselhou em não dar banho de mar. Respeitei fazendo com o meu pitoco ficasse só curtindo a brisa, na sombrinha do carrinho enquanto eu mostrava tudo o que a terra de Anita Garibald oferecia: mar, os botos, a areia e os museus. Espero que este ano, já com dois anos e oito meses aproveite mais ainda esta terrinha tão abençoada pela natureza! Dando tudo certo, com a benção de nosso Senhor subiremos para Florianópolis também! Vai ser uma aventura!

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Shayene, minha linda sobrinha




Não tem coisa mais gostosa e vitaminada que ter crianças por perto! Esta é a minha sobrinha Shayene! Shay para os íntimos. Serena, na dela, quase não chora, curiosa... tudo de bom! Amo-te minha sobrinha lindaaaaa!


Espírito Natalino







Achei que este ano não consegueria suprir e liquidar com todos os meus abacaxis financeiros. Que nada. Aos poucos, homeopáticamente, vi eles sendo sanados. E estes abacaxis estarão decorando minha ceia de natal! rsrs Aquele sorriso amarelo de, não ter o que fazer, ou melhor, aquele Natal blecaute foi abolido do futuro. Graças a Deus tudo foi se encaixando na hora certa. Tem muita peleia pelo caminho. O sonho da casa própria já tem semente plantada. Agora é saber cultivar para não perder. 2009 foi um ano complicado, meio enroscado mas nada como o tempo para clarear tudo.
Faltam poucos dias para o Natal e já vejo o brilho nos olhos do meu filho questionar todos os ícones natalinos que ele enxerga! É comovente ver o brilho nos olhinhos de jabuticaba do meu pequeno. Ele já até conversa com o Papai Noel!!! E detalhe: Diz que o papai noel é seu amigo! Ter crianças numa casa é ter vida. E por falar em crianças foi esta semana que, olhando para trás que percebi o quão fui vitoriosa. Atraves de muita lábia, força de vontade e disposição que consegui realizar "muitos natais" em vários meses deste ano. Foi em doações para a Casa Acolhida Só Bebê que tive a certeza o que é ser feliz. Ver e saber que aqueles bebês tão inocente estão amparados de amor e carinho junto com toda uma estrutura educacional e de saúde confortou meu espírito.
Aliás, quem tiver doações, de comida mesmo, pode doar para Denise. Seu telefone é 51 -3029-2521
Os bebês que estão neste lar são todos vítimas de abandono e maus tratos. Eu já tive o meu Natal realizado. Foi na luta, na garra em manter eles melhor do que já estão que ajudou a me tornar um ser humano completo. Não existem valores surreais para dizer que o tal presente é o melhor. Natal é isto: união. E isto a minha família tem de sobra e o meu filho é doutrinado a dar e receber muito amor e carinho. É considerado o mais solidário da escolinha dele. Isto eu chamo de espírito natalino. Espírito natalino está na solidariedade com o próximo. Quem puder ajudar...Nossa... como ficaria feliz. Qualquer contato pode ser neste telefone do post ou mesmo meu e-mail fcf@tj.rs.gov.br
HO HO HO

Coisas que buscamos entender...


Foi com muita dor que neste sábado(5/12) que passou me despedi de uma figura maravilhosa. Pai de minha grande amiga Janaína, tio, avô consagrado e um baita festeiro. É. Um comovente festeiro. Valdir não agüentou a despedida de sua esposa para outro patamar e, em vinte e dois dias depois de sua morte resolveu partir também. A outra morada como é chamada pelo nosso Senhor Jesus Cristo está com os pais desta minha linda e guerreira amiga. Deixou em nós, a saudade e as indagações de o porquê uma vida roubada de forma tão brusca. A gente tenta entender, buscamos na palavra de Deus a forma de confortar estas mortes repentinas; tentamos entender no kardecismo algo que jamais entenderemos. Se aqui é uma passagem, saiba Valdir que sua ausência(sua e de nossa querida Jamile) é irreparável. Fica aqui, algumas palavras para amainar a ausência de vocês. E a ti, minha amiga-irmã Janaína(foto), minha ternura e devoção para esta nossa amizade que é madeira de Lei! Conta comigo amiga! A tua família continua aqui, em nossos corações!
Te amo, Fabiana

“ ... Apesar disso, nós não estamos preparados para a morte. Talvez o choque seja menor, mas a dor é a mesma. Então por tudo isso passei a estudar a doutrina espírita, que sempre nos ajudou muito. O espiritismo nos mostra de onde viemos, o porque de nossa luta aqui na Terra e para onde vamos. E hoje depois que ele partiu, sei que ele está bem, pois já recebemos muitas notícias dele. Existem alguns centros espíritas que fazem psicografia, acho que vale a pena ir atrás. Ser espírita ou não, isso não importa. O importante é acreditarmos que existe um DEUS que não erra e que tudo está certo como está. Mesmo assim a saudade é imensa. É o coração brigando com a razão. Existem muitos livros, como os romances espíritas, principalmente o Violetas na Janela e Vivendo no Mundo dos Espíritos, da Vera Lúcia Marinzek e os que trazem mensagens dos que partiram como: Jovens no Além, do Chico Xavier; Motoqueiros no Além, de Euríclides Formiga, que aliviam a nossa dor. Os livros de mensagens como: Um Minuto de Sabedoria, de Carlos Torres Pastorino e Gotas de Esperança, de Lourival Lopes; entre outros, ajudam a abrandar o nosso sofrimento, nos dando luz e esclarecimento. Eles nos mostram que a vida continua e hoje tenho certeza absoluta disso. O nosso desejo ao participar do grupo não é só de aliviar o nosso sofrimento, mas também ajudar as outras pessoas que passam pela mesma dor. Achei importante passar estas informações, porque só depois das notícias que tivemos, que o nosso coração acalmou e a ansiedade diminuiu....”

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Inesperado


Palavras ditas de uma forma nunca vista. A declaração mais sonhada; pedida a Deus para ouvir; estava ali, perante aos meus olhos....falando. Falando...falando...
É Xeque-mate!
Só pode!?!
Porque a vida é um legítimo tabuleiro de xadrez.... Palavras de todos os méritos ouvi. Silêncio. Não vibrei, não chorei, não fiquei brava nem feliz.... eu só me perguntei:
- Por quê?
Porque depois de tanto tempo?
Preciso de sinais....
Aí filosofando lembrei desta frase: “Uma relação nem sempre termina porque não é feliz. Às vezes termina para preservar a felicidade da memória.’
A memória, os bons momentos, as risadas, os abraços, as fugidas... nada esquecido; o oposto disto ficou calado também na memória... É a arte da reconquista; a arte de reconhecer também....Fabrício Carpinejar falou por mim com estes dizeres:
“O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever. O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.”

terça-feira, dezembro 01, 2009

Clique! MARAVILHOSO! PORTELA EM PLENA PORTO ALEGRE

http://www.youtube.com/watch?v=AN-Q4nFGp7w

Link sobre o show do Monarco na ZH, com vídeo!

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&newsID=a2734735.xml&channel=13&tipo=1&section=Geral

Domingueira portelense


Foi com grande satisfação que prestigiei a voz mais célebre da Portela:
Mestre Monarco.
Onde?
Em plena esquina das ruas Riachuelo com a Gal. Salustiano – frente ao Gasômetro. Lá estava o nosso querido portelense que nos agraciou com a sua bela voz e simpatia com canções que são verdadeiros hinos da águia azul e branco. Fiquei extasiada, meu filho brincando e curtindo o show em plena pracinha que, também, fazia cenário do encontro de sambistas porto alegrenses! Foi maravilhoso. O legal foi também encontrar todos meu amigos sambistas! Nossa! Estavam todos lá! Cada um no seu “estado” de graça! Sol forte e tarde gostosa de um domingo perfeito. Foi assim que curti o melhor do samba! Monarco querido! Acho que o nosso mestre já está derretido pelo calor humano dos gaúchos! É cada vez maior a legião de fãs enfim, de seguidores de um bom samba de raiz. A prova tá aí deste meninos que promoveram esta ceia sambística. Iniciativa do Instituto Brasilidades(http://institutobrasilidades.blogspot.com/) onde mostram o lado bom do samba, do canto promovendo várias atividades culturais. Domingo maravilhoso com gosto e temperatura carioca!
Tudo de bom!

PS: a foto aí é uma misturinha de minhas recordações mais a foto do maravilhoso encontro de domingo com o pessoal do Instituto Brasilidades.

O Pandeiro - reeditando


Quando falo "tá aqui" o pessoal diz: " - Não achei Fabinha". Resolvi, portanto, encurtar. Reeditei o texto, O Pandeiro no qual eu conto como aprendi a tocar este maravilhoso instrumento.


O PANDEIRO


Com tantas barbáries de notícias do mundo afora nada melhor, para abrandar estes furacões de pessimismos sócio-econômicos do dia-a-dia do que quebrar, o clima, ouvindo uma boa música. No meu caso, o samba. Este, participa em todas as etapas de minha vida...A nanica, aqui, nos seus 13, 14 anos era presenteada, pelo meu pai, com LPs de Chico Buarque, Beth Carvalho, Martinho da Vila, João Nogueira e outros segmentos musicais, que não vem ao caso falar. Amava ouvir e ficar interpretando aquele som do cavaco, surdo e pandeiro. E por falar em pandeiro é a ele que vou falar neste post. A primeira vez que ousei tocar este instrumento foi em meados de 88/89. Não foi propriamente pelo samba e, sim, quando ingressei sorrateiramente na capoeira. Conheci um senhor, figuraça da capoeira de Angola que acompanhou minuciosamente meu encantamento pelo barulhinho das platinelas. Atencioso, foi com muita paciência me apresentando os inúmeros toques do pandeiro. Ali passei, sem perceber, que ele faria parte de minha vida e de minha musicalidade. Levou pouco tempo para eu adentrar no mundo da capoeira com muita dedicação no ano de 1993. Foram exatos sete anos de treinos a este esporte que junta luta, história da ânsia de liberdade do negro e músicas com verdadeiros relatos da Vida e da escravidão. Era iniciar a roda, no caso, se não estivesse jogando, que buscava o pandeiro para dar meus tapinhas sonoros de xequendém. E foi em 1999, quando abandonei, de vez, a capoeira que conheci o Mundo do Samba. Não tinha a menor idéia que, em Porto Alegre existiam tribos ferrenhas samba de raiz. Curiosa, como sempre, fui a legítima aprendiza do samba. Freqüentava uma roda daqui; outra dali, todos os finais de semana. E ali observava e, novamente, observava as leves batidas que alternavam o polegar do resto dos outros dedos. Como já tocava um pouquinho devido aos sete anos de capoeiragem fui, de mansinho, tendo de “apadrinhamento”, a amabilidade dos músicos da Velha-Guarda como a minha oficial escola. Inexplicavelmente eu estava entregue ao mundo da cultura negra. Até tentei em 1999 aprender Cavaquinho. Fiz sete gloriosos meses de aulas de cavaco com o professor Luiz, do Grupo Reminiscência e, também, na falida(falida sim, nem pagavam os professores!), Predigger. Em seguida, “abortei a missão” escolar das cordas. Confesso que sacudo os bolsos de moedas para voltar a tocar este gracioso instrumento. Haja dinheiro... Inclusive estou trabalhando a hipótese do Alemão Charles ser meu novo professor. Os anos passaram, alguns mais tênues, parcos na dedicação ao samba e, outros mais intensos. Meu retorno avassalador, “mulçumano” foi em 2005. Segundo os cariocas, Virou religião.Fico literalmente pazeada com o samba e sua riqueza musical. Não consigo nem ficar na babalize do dia seguinte pois, acordo e quero sempre mais. Empertiguei-me a tudo! Viciei em tocar o meu pandeiro, sempre. Enfim, tornou um vício cantar e tocar com os carinhosos Babalaôs do samba gaúcho.Ultimamente, esta minha dedicação tem me presenteado com retornos verbais de sambistas “de responsa”. Alguns músicos da velha-guarda Itinerante, João Sete Cordas são o exemplo deles... Eles andam elogiando ou, mesmo, se surpreendendo com a minha “fome em aprender”. Isto, para mim, é mais que fluoxetina das palavras, é alegria total! 2006 está bom demais! Toquei com a madrinha Beth Carvalho na mesa com a Banda Itinerante e, gradativamente, estou sendo reconhecida mais e mais como uma musicista do samba. Faz bem para o ego e, ao mesmo tempo, sinto uma certa vitória em prol das mulheres. Quebrei protocolos do machismo gaúcho de rodas de samba. Sim, isto, ainda é bem forte aqui no Sul, diferente do Rio de Janeiro e São Paulo onde é comum a emancipação feminina nas confrarias sambísticas. Escrevendo isto, acabo relembrando minhas primeiras manifestações pandeirísticas em rodas. Tudo era surpresa para os discípulos de Cartola ver eu tocando. Primeiro por ser branca; depois por ser mulher. No começo, eles não entendiam como aquele ‘pingo branco” se metia nas rodas...Agora isto não é mais problema! Inclusive, observo que tem surgido vez que outra, uma menina tocando pandeiro. Graças a Deus nunca houve rivalidade entre mulheres musicistas! Diferente de certas facções de grupos que se negam a integração de uma biota única.E o reconhecimento? É gratificante entrar num bar ou mesmo, numa quadra de escola de samba e ser cumprimentada, por seres nunca vistos, que chegam para mim, elogiando ou falando apenas um simples “e ae pandeirista!”!!! Compensador... O mês de maio e junho provou que algo mudou!É tocando meu pandeiro que me abduzo de tudo ruim.É com o meu pandeiro que extermino meus pensamentos negativos.É tocando e cantando que dou vazão a alegria e a paz orgásmica que vale a pena, SIM, viver!