sexta-feira, outubro 30, 2009

Conheci este blog e me encantei. Talvez porque as palavras desta pessoa, tenha caído como uma luva para mim. Se faz parte do meu destino, eu não sei. Sei que confundo muitas pessoas, pois realmente, é muito difícil me entender.. aqui vai textos maravilhosos escritos por ela: Mari Dutra.

PRENÚNCIO

"Eu não estranho que aqueles três dias tenham ficado em minha mente como se fossem o prenúncio de algo. É como se fossem os três primeiros dias de uma coisa maior, mas foram apenas.Volto pra casa ainda sem saber como tu tira tanta coisa da minha boca. Era pra sair só saliva, mas vem junto todo aquele sentimento, aquele xingamento, aquele não entendo. Num abraço me desarma e ninguém mais consegue isso – e nossas cabeças fazem que-não-que-não, mesmo que já não saibamos ao certo qual destino negamos. Então me olha e não se de onde tira esse olhar abraçado, que é bem mais que sexo, que foi bem mais que nós, que não diz três-dias. É um desses abraços de aeroportos, que a gente guarda em uma caixa no armário e tem pra sempre, mesmo que a pessoa se vá. E tu vai, como sempre vai, deixando só o eco infantil das tuas palavras.Eu gosto de ti – é, eu gosto de ti, repetindo assim, mais para si do que para mim, talvez por nunca haver pensado nisso antes e – pela estranheza causada – não pretender pensar nisso depois daquele momento. Se já o havia deletado do celular, não havia porque não deletá-lo de minha vida, tão pequeno, tão breve, tão cafajeste fora que eu queria mesmo acreditar que eram mentira aquelas palavras bonitas que esbarraram em mim. Quando tento entender, penso que talvez, nos relógios do universo, eu tenha me atrasado um pouco, ou andei demais na contramão. " - Mari Dutra - http://primeirafeira.blogspot.com/

quinta-feira, outubro 29, 2009

Mulheres brasileiras e a imagem lá fora

A internet é a grande ferramenta do século! Está aí! Aproximando povos de diferentes culturas e também, unindo corações. Quantas histórias já foram contadas. O leque de opções variam com o grau de preferência do usuário. O Netlog veio assim: Com entrevistas, perfis de gostos e hábitos e o que se procura, objetivo e lema do participante. Surgem os visitantes interessados, sempre, seguindo o rigual: perguntando se há MSN para contato. Pessoas do mundo inteiro! Isto que achei um barato! Conhecer cidadãos de outros países. Porém, o que venho descobrindo com estes sites que, em um mês de Netlog(existem outros que eu sei. Cito este de exemplo) a imagem que nós, brasileiras, temos lá fora é assustadora. Isto já me aborreceu muito e me preocupou também em conversas no msn: a banalização pelo sexo. Atrás deste manto todo, existem rótulos sobre o meu país que gostaria de dividir isto com vocês!
Percebemos que, nos últimos anos, a sexualidade imperou na mídia. E, o seu espaço nestes veículos de comunicação ganharam uma força soberba. O que esqueceram é que para toda esta difusão faltou a ética e a coerência. A falta de bom senso tem influenciado tanto na mente dos expectadores que levaram, infelizmente a banalização pelo sexo deixando um lado vulgar e triste para a nossa realidade. Big Brother que o diga! Fazer ‘amor’ embaixo de um edredom, sabendo que milhões de telespectadores o assistiam, não levava a na-da no pudor dos protagonistas! É a própria inexistência da palavra, “respeito”. E aonde entra as brasileiras neste contexto? Bom, não preciso explicar para meus conterrâneos pois já sabem o nosso valor. Meu desabafo é para quem nos vê de fora. A fama vulgar é de doer a alma... A vigor da internet fortaleceu outro segmento: o do sexo virtual. Segundo pesquisadores é assustador o número de adeptos a esta ferramenta. Há todo um contexto de conduta, meio social e psicanálise do pisquê de quem vive ou sente prazer perante a uma tela! E nisto eu percebi em raros bate papos no MSN. Quando via que o assunto era esta, vetava na hora! Contato excluído na hora. Gente! Onde está o lado sinestésico da pele ou da troca de olhar?!! Cadê o toque? Sei lá...tanto cenário por trás que ficaria louca desvendando. O que não permito e o que não aceito é esta imagem que dizem de nós, brasileiras! Me parece que isto não tem fim. Não existe preocupação em estancar, em mudar a imagem do Brasil. Isto é um assunto que merece muito a atenção. Porque a sociedade perdeu os valores e princípios dos nossos tataravós? Por quê?, pergunto. Pela repressão da igreja? Porque depois das guerras surgiu o ‘paz e amor’ do Woodstock? Porque as mulheres resolveram serem iguais aos homens, abolindo, por exemplo, o estereótipo do ‘sexo frágil”? Porque o romantismo saiu da moda? Ou porque família é hoje uma instituição falida? Gente! Socorro! Cadê a Cinderela, a “Uma linda mulher” que conquistou o gélido coração de Richard Gere? Onde está o respeito e o romantismo? Jesus! Me abana porque é muito triste ver este desapego total aos princípios mais nobres que um homem poderia ter perante a uma mulher. Tenho nojo do que a mídia expõe de nós brasileiras. Odeio funk, tenho pavor daquelas saladas fúteis-humanas de frutas: Mulher Melancia, Mulher Moranguinho, Mulher Pêra! Ora bolas! O que é isto???? E o pior: é esta a nossa imagem vendida lá fora... É tem uma parcela, na intenet, triste de homens e mulheres que usam seu próprio corpo, para atingir sua “pseudoliberdade”. Ai! Quanta aberração!
A nossa imagem, lá fora se refere a: Samba, bunda, carnaval(traduzindo: festa da carne) e Pelé! Acordem! Temos muito mais que esta “cultura de banheiro”!
Se houvesse um processo de ética canalizando bem e filtrando, mais ainda, estes devaneios das fantasias, mesmo sendo virtuais, não teríamos esta lama de assuntos; a este tema: sexo. O ser humano está cada vez mais individualista.
Eu protesto e eu não aceito esta imagem de nós!!! Somos mulheres de garra, lutamos muito, somos de fibra, batalhamos muito para sobreviver, temos muito sentimentos, somos sensíveis, gostamos do que nos conforta e acalenta nosso coração. A maioria, deste meu imenso país chamado Brasil, são as mulheres que comandam um lar. Sim! Somos chefes de família! São elas, as guerreiras, o pai e a mãe em relação aos seus filhos. Somos, sim, inteligentes e, também somos comoventemente, ma-ra-vi-lho-sas! E ainda há hipocrisia de nos rotular como objetos do sexo sujo e idiota. Resumo, portanto, para vocês o mantra da brasileira: A verdadeira beleza de nós mulheres, está não só em nossas formas e misturas de raças. Está na personalidade, está nos nossos sonhos, em nossas habilidades e, principalmente na nossa história de vida.

Brasileira sim! Com muito orgulho e, acima de tudo, com muito RESPEITO!
“ O TEMPO DIZ TUDO,QUEBRA REGRAS,NOS PÕE A PROVA,NOS ABRE OS OLHOS E NOS FAZ ENXERGAR QUE NÃO EXISTE NADA MAIS IMPORTANTE QUE O AMOR”...

segunda-feira, outubro 26, 2009

Amizades novas, mundo novo e intrigante...


Ultimamente tenho participado de um site muito bacana. Cheio de amizades novas, pessoas interessantes e, principalmente conhecendo o modo de viver e pensar destes amigos virtuais de outros países! Portugal bate o record! E o mais bacana é descobrir as culturas, costumes, saber que eles são tão legais... Porém, nem tudo são rosas... Me preocupa saber da imagem que o povo brasileiro tem lá fora. Principalmente sobre comportamento socio-cultural. Aqui, eles acham que é tudo no oba-oba. Complicado dizer que um país tão grande como o nosso as culturas são pra lá de distintas. É muita riqueza de etnias! Mas eles não sabem...

Primeiro contato é sempre assim:
“ – Tens msn?”

Segundo contato:

" – Aceita a web cam”

Querem ver de cara teu fisiquete, saber se é você mesma que está ali atrás da tela, saber se és linda, espelta enfim: Uma Brigitte Bardot
Logo eu? Rsrs Eu não pertenço a nenhum padrão de beleza feminino universal. Tá. Tudo bem, reconheço que sou fotogênica, mas gente...eu sou gorda!!! Rsrs Gordinha, carinhosamente dizendo. Tem gosto pra tudo. Mas isto eu fico intrigada com a vontade da galera de se ver. Teve um mais ousado nas perguntas que mandou, estes tempos, eu me afastar para me ver inteira. Achei aquilo como se eu fosse um produto do Imetro para ser avaliado nas medidas padronizados. Já digo! Não sou! Agora, o que não falta é vontade de conhecer mais e mais amigos. Coração? Ah, isto é um departamento complicado de explicar aqui. Chegar aos 37 anos e não ter histórico só se eu fosse múmia. Todo mundo tem uma carga. Mas por trás de uma tela sempre tem “N” máscaras. E isto fica complicado desvendar, tudo. Algumas coisas com o tempo mato a charado: ou fica mesmo meu amigo ou descarto na hora. Deleto!
E estou adorando esa novidade virtual! Cada amizade. Alguém que conquistou e cativou meu coração..tudo... Sei da minha realidade, de distâncias...Fica tudo muito claro que, o que vale é conhecer pessoas tão bacanas mas que estão do outro lado do mundo ou da cidade... O que remexe são os enredos. Muitos segredos! Já eu não. Não escondo nada. Falo o que sinto, o que penso e principalmente, o que não espero! Tá aí! Internet aproxima muita gente bacana.
O resto?
Como diz a cantora Simone que anda fazendo sucesso com a música “Migalhas”:

“ - Sinto muito mas não vou medir palavras... Não se assuste com as verdades que eu disser quem não percebeu a dor do meu silêncio, não conhece o coração de uma mulher... Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor quero ser feliz; Quem começa um caminho pelo fim...Perde a glória do aplauso na chegada ... Como pode alguém querer cuidar de mim...Se de afeto esse alguém não entende nada... Quero ser feliz, não quero migalhas do seu amor!”

Bem o resto...
fica por aqui...
Deus é que sabe...
E você?
O que acha de tudo isto?

segunda-feira, outubro 19, 2009

Um alerta

Olha, eu já vinha há um tempo querendo contar isto no blog só que sempre protelava. Era para confessar este meu medo da loucura que anda o trânsito de minha cidade. Também, pensava em relatar o que despertou em mim de tanto ler em jornais. E hoje, em pleno jornal Zero Hora leio o que vem chamando a atenção das autoridades de trânsito:
A crescente queda de veículos no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre.
Só este ano foram nove carros. A maioria(óbvio), associado ao excesso de velocidade. Isto tem me levado a ter uma certa trava, ou mesmo, me levar a manter meu carro sempre distante do lado do arroio. Estes tempos dirigia bem encostada na via do Dilúvio. Olhei pelo retrovisor e vi meu anjo dormindo na cadeirinha. Do nada, a imaginação de ver meu carro voando para o arroio e eu desesperada tentando tirar o cinto da cadeirinha do meu filho fez eu ter uma falta de ar muito sinistra. A cena que rodava em minha mente foi tão angustiante que me senti mal e passei imediatamente para o outro lado. Agora, graças a Deus, existe um projeto de implantar mais cinco pardais e instalar guard-rails nos pontos mais críticos. Está feia a coisa!

quarta-feira, outubro 14, 2009


Hoje estou saudosa. Tenho acompanhado o crescimento de minha sobrinha Shayene e acabo relembrando meus tempos com o meu pequeno João Vicente. Ontem, ele dormia e eu o zelava. Pensei:
" - Nossa, meu bebê cresceu!"
Como é rápido o tempo, como ele tá lindo, querido e agradeço, sempre, a Deus por ter me dado tamanha felicidade. Só não admito ver ele sofrer. E como já vi isto acontecer só eu sei o dor que senti. Mães sempre querem carregar o sofrimento de nossos filhos. Farei o possível e o impossível por ele.
E estes percalços?
Faz parte!
Bem vindo a Vida!
PS: Numa destas fotos está ele ao lado do irmão dele, Rodrigo. Na outro meu anjo dormindo.

sexta-feira, outubro 09, 2009



Nos últimos dias meu filho passou por um quadro de conjutivite. Problema pequeno perto e comparado de quem já teve pneumonia, catapora entre outras mazelas da infância. Não sei explicar. Algo me aborreceu de tal forma que até em mim aflorou minha bronquite. Dormi a semana inteira de nebulizador. Foi a gota d'água para mim. Tanto cuido, tanto protejo meu pequeno João Vicente e tenho a impressão, as vezes, que de que nada adianta cuidar...cuidar... Aí é que pega. Então, procurei uma benzedeira esta semana. Chegando ao local descobri mais uma informação de que esta Sra das ervas(sim, durante a pronúncia dos conjuros sentia um cheiro gostoso de natureza mesmo. Arruda! Ararutaaa!). Ao final esta senhora me diz:
" - Tudo que fizerem pra ti; teu filho que pega, sabia? Cuide muito bem do que você fala. Tem muito inveja pra cima de ti"
Portanto, a benção das palavras foram para mim e para o meu filho. Entendo. Há quem não acredite, porém, para mim benzedeiras são aquelas senhoras que mantêm a tradição aprendida no interior. Da reza de expurgar o olho gordo...de tudo, na verdade. Buscam curar os males que atingem corpo e mente de quem crê na força da oração. Cada um com sua fé! Eu fui atrás da minha! Todas evocam algum santo para tal enfermidade ou quebrante. Para nós religiosos: "Maior que qualquer santo é a fé de quem procura a bênção". ISTO É PREMISSA! A inveja é o maior mal do mundo. Tá na Bíblia!
Diz os mais velhos que a benzedeira enxerga o mal que atormenta os outros. Se fortalecer espiritualmente é se sentir, automaticamente, completa! Busco isto últimamente.
Meu pequenino tem o Santo Guerreiro, São Jorge, como seu protetor. Nosso SÃO JORGE. Depois da benzedeira tá na hora dele ir na Casa de Nosso Deus. Ele adora ir lá(vejam, nesta foto, que anjos sempre se sentem em casa no lar de Deus). Vou este finde na São Jorge. Agradecer! Pedir a benção e conversar muito com o meu guerreiro. Preciso de sua força a partir de agora; mais ainda.

Melhor para mim


Queria ter a certeza de que, apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou e não porque quer que eu seja. Não consigo, não sou, não posso, não quero. Será que respirarei de novo? O para sempre; sempre acaba.
Ouvi esta música. Espero que seja um reforço de tudo que venho buscando: A minha paz. Mais uma etapa. Até quando isto persistirá? A música fala: Mudaram as estações. E eu digo: Mudaram minhas forças. Me tornei chata mas fiz isto por mim e pelo meu filho. E vai doer. Ai... Azar, já passei por tantas coisas. Uma a mais não fará eu entrar em desatino. Meu amor de mãe fala tão alto.... Olho para tras e vejo todos os percurssos que vivi sempre com um grau de dificuldade. Faz parte! Está dentro do quadro! Inclusive teve algumas situações que achei que era uma derrota. Hoje já não enxergo assim. Na verdade veio para me proteger. Um destes exemplos é ficar um tempo na casa de meus pais. Depois de quase cinco anos morando sozinha ter o calor humano deles junto com a felicidade do meu filho tem um preço de conforto na alma. Mas lá dentro de mim há algo que culmina, que queima, que verbaliza, sindicaliza e - porque não - chora. Hoje sei que foi o melhor para mim. Araruta!

quarta-feira, outubro 07, 2009

República Federativa do Brasil! UHUUUU



Eitchaaa! Uhuuuu! Somos nós! É a hora! 2016 à vista! Lula se emocionou e não era pra menos. Vai ser a menina dos olhos para muitos horizontes como, na área de economia e turismo. As Olimpíadas, que ocorrem a cada quatro anos, ganhou de braços abertos não só a alegria do Cristo Redentor como a da nação inteira brasileira. Como se não bastasse, mesmo sendo para 2016 já borbulha em todos os segmentos que possamos imaginar o empenho, o esforço, o trabalho e também um toque de humor(porque somos o povo mais alegre do mundo- veja a foto) sobre este evento. Empresas de Informáticas, por exemplo, já são requisitadas sobre programas para os jogos olímpicos, filhos de medalhistas esportivos buscam o espelho de seus pais, crianças e jovens anônimos estão suando a camisa para dar mais orgulho em serem brasileiros! E eu aqui, como amo o meu país deixo um pedacinho da minha felicidade no meu satélite! Quem sabe até lá o João Vicente estará com seus 10 anos de vida(Araruta) e eu não estarei trabalhando de voluntária no Rio de Janeiro! Ninguém sabe do amanhã! Rsrs Tem que ser voluntaria, né? Pois para atleta....”quanta” diferença...

É nós Brasil!

segunda-feira, outubro 05, 2009

Palavras


Eu não me escondo nas palavras, moro dentro delas.(Carpinejar)

sábado, outubro 03, 2009

Perfume d’alma



Pedi a permissão! Li a homenagem que o nosso amigo Aquino fez para a Confraria do Samba. Ele tem um feeling tão mágico que expressou nestas lindas palavras. Divido com vocês:

Perfume d’alma

" Pense aí num adjetivo para felicidade!
Não se espante se as palavras lhe faltarem à cabeça. Porque não são as palavras que nos ajudam nessa resposta.
Felicidade é um estado de espírito, um momento, uma música, um abraço, uma volta ou uma partida. Para quem chegasse ali pelos arredores do Parque Alim Pedro, no coração do IAPI, sábado, 26, veria um quadro com contornos de felicidade:
amigos, música e churrasco.
O afeto, o lúdico e o alimento, síntese perfeita do bem viver.Há quem possa dizer: sim, mas tudo isso é efêmero, dali a pouco aquela realidade não mais existirá. Não estaria errado, não fosse por um detalhe. Alegria é feito perfume, que ainda que borrifado em gotículas tem a capacidade de aromatizar muitos ambientes, por onde quer que o perfumado ande.
E tal qual o perfume, quem não o usa, aspira o dos outros. Foi assim que, ao final da tarde, ainda que espantados pela chuva, todos saíram felizes debaixo dos majestosos angicos que enfeitam a Calçada da Fama. Foi nesse clima que se reuniu mais uma vez a Confraria do Samba, que por mais de sete horas borrifou jatos de essência da mais pura felicidade nos corações que ali se juntaram em busca de alegria.
Mas ainda pode ter quem diga: ah, isso tudo é superficial, dali a pouco cada um irá pro seu lado, levando suas dores e rancores, que toda alma guarda seus segredos. Com certeza, o fardo será menos pesado. Que não há pânico nem aflitos eternos quando nossas almas estão perfumadas."
Aquino

Banda Itinerante – a velha guarda do samba gaúcho






Com muita satisfação publico aqui o documentário da Banda Itinerante – a velha guarda do samba gaúcho. Trabalho inédito que aborda o samba no Rio Grande do Sul. Produzido e dirigido pelo jornalista Luiz Fernando de Aquino, este vídeo tem 70 minutos onde relata a história da Banda Itinerante. Esta, criada em abril de 1997 pelo saudoso mestre de bateria Irajá de Almeida Gutierres, falecido em setembro de 2004.
O filme mostra arquivos da banda e história de sambistas e pessoas envolvidas com a música. O lançamento do documentário será ainda neste mês! Aguardamos sedentos para assistir! Sou fã da Banda Itinerante. Foi nela que conheci o samba e abrendi muito com a velha guarda gaúcha. E foi nela, também, que conheci muitos e muitos amigos enraizados até hoje em meu coração. Conheci a Itinerante em 1999 em um bar pra lá de pitoresco. O nome? Pega Leve!
Portanto, nascente de grandes amigos, um grande amor e a música! QUE MISTURA PARA UM FADO HÊIM!?!
Divido com vocês o post do Luiz Fernando de Aquino. Vejam o teaser da banda clicando aqui.

Banda Itinerante – a velha guarda do samba gaúcho

"O genial Paulinho da Viola costuma dizer que não sente saudades, que não consegue se imaginar em um tempo que não o presente. Diz até que acha engraçado quando alguém lhe fala sobre emoções de um tempo que não viveu ao deparar com determinada obra – música, neste caso. E o próprio Paulinho explica: talvez não seja saudade o que você sinta, mas uma forma de reação emocional à obra, independentemente do tempo em que ela tenha sido composta. Ou seja, a obra é presente.Parece complicado? É não. Ainda segundo o nosso sambista-pensador, a saudade anula o tempo. Fantástisco! Não é à toa que o cara é o cara. E o que é saudade, então? Lembranças de um tempo que não volta mais? E o que é tempo, fora da mera percepção cronológica? Normalmente, alinhamos os fatos na vertical, é preciso que ordenemos as coisas em um antes, durante e depois. Mas se a saudade anula o tempo, no que eu fecho com o mestre Paulo César, o que fazemos das lembranças esparsas pelo tempo?Toco no assunto por conta deste 25 de setembro. Há cinco anos, morria o criador da Banda Itinerante, Irajá de Almeida Gutierres, o Mestre Irajá. Partiu ainda no vigor dos 59 anos e com um projeto a realizar, o braço social da Banda Itinerante. Já aviso logo que não se trata de comparação. As coisas tomam o rumo que precisam tomar. A vida e a fila andam, a despeito de nossas idéias e/ou vontades.A Banda Itinerante tem hoje um outro perfil, sem conceito de mérito. Uns imaginavam de um jeito, outros, de outro. Prevalece, sempre, a vontade de quem faz, de quem toma a iniciativa. E as diferenças precisam se acomodar em um processo de diálogo, de convívio, de exposição franca dos pontos de vista, sempre no âmbito do respeito e da cordialidade. Afinal, cada um faz a sua história. Quem não faz, conta a história dos outros. Eu, como tantos, conheci a Itinerante ao redor daquela grande mesa espichada, bicando que alguém deixasse uma caixeta de lado para, então, atrapalhar o samba. Foi na Praiana a primeira vez, em 2000, se não me engano, levado pelo Renato Dorneles. Nossa, aquilo era um sonho! O samba de roda, aberto, rodando pela cidade. No comando de tudo, Mestre Irajá, de uma nobre fidalguia. Recebia a todos como se fosse a sala da própria casa.As coisas mudam, evoluem, ficam diferentes. Alguns, nostálgicos (ou conservadores mesmo, no fino sentido do termo), preferem o modelo antigo ao moderno. Um dos sonhos do Irajá era uma sede para a banda. A banda tem uma bela sede, um ótimo espaço. Mérito das pessoas que o sucederam. Agora, por esses dias, será lançado o documentário “Banda Itinerante – a velha guarda do samba gaúcho”. Será também uma ótima oportunidade para todos se reencontrarem com os princípios que alimentaram a iniciativa do Mestre Irajá.Ainda que refratário à ideia de saudade, vou me socorrer (de novo) do genial Paulo César: “Eu não vivo no passado, mas o passado vive em mim”. Luiz Fernando Aquino


sexta-feira, outubro 02, 2009

Finde e luz


Se tem uma coisa gostosa de fazer quando chega o final de semana é pegar o carro, colocar tudo o que uma criança gosta(brinquedos, carrinhos, motocas, cavalinhos, bolas de futebol, bebidas, frutinhas e comidinhas) e passear pela cidade ou melhor, para um sítio! Meu filho ama passeios! As vezes, ele mesmo pede para nanar no carro. Ligo o som e como o vidro é fumê acaba deixando um ambiente gostoso para sonhar. Faço isto sempre. Fim de semana é sagrado para mim onde aprecio sentir o sol e sentir o vento. Evito no que eu posso os shoppings. Estes, só durante a semana - e quando consigo ir... Foi-se o meu tempo destes cenários de consumo. Aliás, agora, nas minhas férias que fiz estes passeios pelo Barra Shopping e pelo Praia de Belas. Calma, tranquila, João Vicente fazendo readaptação na creche e eu ‘fazendo’ tempo nas compras. Um luxo. Pois é muito bom ter a tranquilidade num lugar de comércio. Este promete! Junção com as comadres, com gente que amo, de verdade!