terça-feira, dezembro 29, 2009

Basta querer, e Glória Maria assinou embaixo!


Navegava por sites e blogs quando deparei com esta entrevista de Glória Maria para a revista Isto É Gente. O relato desta jornalista sobre a adoção de duas meninas é linda. Não sei se por ser mãe, se por imaginar que exista realmente coisas "que entre o céu e a Terra nossa filosofia nunca alcançará” ou sei lá, se é pelo inexplicável mesmo. Confesso, as palavras dela me levaram as lágrimas. Eu digo e repito: Basta querer para ser mãe! E Glória provou que é uma super mãezona! A mais completa! É a mãe de alma e coração! É a mãe que assume falhas e medos, mas acima de tudo: é uma mãezona das mais protetoras e guerreiras! Urra se puder pelas filhas. Abaixo(vou deixar o link da reportagem) trechos da Glória Maria que fala do suor e da persistência em provar que vale a pena esperar a fila de uma adoção:


O processo de adoção:

“Passei um Réveillon maravilhoso em Punta del Leste e quando cheguei resolvi fazer um trabalho social com crianças abandonadas. Vim para o festival de verão da Bahia e vi muitas crianças abandonadas nas ruas. Fui ao juizado de menores, pedi uma relação de abrigos, expliquei que tinha a intenção de fazer esse trabalho. Fui ao primeiro, segundo, terceiro e num deles eu encontrei a Maria. Quando vi aquela menina alguma coisa no meu coração se movimentou, comecei a olhar mais para ela e quis saber a história dela. Quando estava conversando com a assistente social, a Maria entrou no colo de uma mãe social. Eu a chamei e ela pulou no meu colo. Eu entendi que alguma coisa na minha vida tinha mudado ali, naquele momento. Não tive dúvidas de que aquela menina era minha.... Quando resolvi fazer o levantamento da história da Maria, para saber se ela estava livre para adoção, eu descobri que a outra, que eu também era apaixonada, era irmã dela. Então, comecei a fazer todo o trabalho de adoção direcionado para as duas, me habilitei, fiz tudo o que manda a lei, de uma maneira exaustiva, complicada, mas correta.”

Sobre o processo de adoção:

“... Comigo foi muito mais rigoroso porque eu sou uma pessoa pública, eles fizeram tudo com muito cuidado e demorou porque todos os prazos foram cumpridos. Mas adotar é uma coisa simples, se você tiver todos os pré-requisitos, se a criança estiver livre para a adoção, é um processo rápido. No caso das minhas não existia um documento dizendo que elas podiam ser adotadas, eu tive que fazer o termo de destituição paterna e cumprir toda a burocracia da lei, para tê-las para adoção, mas em geral é tudo muito simples. Eu dei sorte de conseguir as minhas filhas porque eu acho que elas já estavam ali para mim. É o presente mais lindo que Deus me deu. Eu moro no Rio, vi crianças prontas para adoção no mundo inteiro e nunca pensei, nunca me comovi com essa coisa de adotar, sempre me comoveu a história do abandono, mas A nunca pensei em adoção e a Maria e a Laura abriram uma porta no meu coração.”

A verdadeira mãe:

“Eu vou procurar o acompanhamento de uma psicóloga para atender a gente. Preciso disso até para o processo de contar para elas que são adotadas. Pelo meu coração eu não iria revelar nunca porque elas são minhas, da minha alma, do meu coração e acho até que do meu útero em outra vida, não tenho dúvida nenhuma disso. Mas acho que elas têm o direito de conhecer a historinha delas.”

A definição de uma nova Glória, como mãe:

“Estou muito mais tolerante e muito mais calma, não é uma calma de ser agitada porque isso eu sou, é meu. Eu adquiri uma calma interior, eu não tenho mais nenhuma inquietude dentro de mim, é muito engraçado. Tudo em mim flui de maneira natural, eu não tenho ansiedade nenhuma, nenhuma. Aprendi a esperar, eu não conseguia esperar, eu ia fazendo tudo. Eu adquiri uma calma interior que eu não tinha. Tudo em mim é em função delas. Eu sou uma mãezona, uma leoa.”Mais detalhes: http://www.terra.com.br/istoegente/edicoes/537/artigo158956-1.htm

Luar


Há dois dias tenho perdido o sono. Quatro, cinco da manhã meu despertador biológico dá boas vindas ao meu olhar. É com ele que fico petrificada olhando os raios do luar. Ali... ali... tudo corre, navega....muda...

Esta frase de Diogo Nogueira fala um pouco desta minha inquietude noturna...


“Ah, se eu contasse pra Lua
Tudo que eu trago no peito
Tudo que ainda magoa
Dor que me pega de jeito...”

segunda-feira, dezembro 28, 2009

Três urradas felina com direito a muito amor sob um cenário azul e branco!


Faltando alguns dias para acabar 2009 resolvi buscar e ler algo que fale do promissor 2010 que se aproxima. O que li, ouvi e vi foi exatamente isto: Três urradas felina com direito a muito amor sob um cenário azul e branco! 2010 terá estes símbolos: O ano do Tigre, o ano do planeta Vênus, o ano de Iemanjá e Oxalá e com a numerologia da casa 3!
No horóscopo Chinês promete um 2010 com direito a estrondo e um choramingo. Ou seja, nada será feito numa escala pequena, ou tímida. Assim se define o Ano do Tigre!!!
Tipo assim: “Tudo, bom e mau, pode e será levado aos extremos. As fortunas podem ser feitas e perdidas. Se você tiver uma possibilidade poderá agarrá-la mas nunca esqueça que tem grandes obstáculos pela frente. Será uma época de testar a sua diplomacia. Como o tigre, nós tenderemos a agir sem pensar e a terminar lamentando-nos pela pressa que tivemos.(é o velho ditado de ‘quem tem pressa; come cru”). O Ano do Tigre, segundo os chineses será um ano forte e vigoroso.

E na Umbanda? Quem já não pulou, ou mesmo assistiu, pessoas pularem as sete ondas numa praia movimentada em pleno revellion? Todos, correto? Correto. Todo mundo já presenciou este ritual ‘saramalenco das águas”. As oferendas à Iemanjá já virou tradição nas águas do litoral brasileiro. Pra apimentar, para florear mais ainda, 2010 será o ano dela! Sim, dela mesmo! O ano de Iemanjá, a dona dos mares e das águas salgadas da fartura e dos pensamentos traz para este promissor ano muita fartura, romantismo e fertilidade! Iemanjá governará 2010 junto com o orixá, pai de todos, Oxalá e pai Ode abrilhantando assim, mais ainda, com beleza, perfeição, evolução , amor e progresso. Este será, conforme os umbandistas, o ano de 2010!
E, na astrologia li que será um ano do Planeta Vênus. Os destaques serão as realizações de nossos desejos e tudo aquilo que condiz prazer e satisfação(Nossa, minha mente voou longe com esta profunda revelação). As palavras chaves, no mundo dos astros, serão: Recomeço, transformação e busca da identidade e valores. Será um ano de PAZ, de tratados e de solidariedade.
Na Numerologia será o número 3, número este que representa a força da expressão, da criatividade e da inspiração beneficiando trabalhos e estudos! Eitcha! E dá-lhe 3 na mega-sena que acumulou rsrs
São tantas notícias boas que estou num otimismo!!! Sabem por quê? Porque lembrei das revelações, para 2009, ano de Ogum, que li em sites e revistas. Nunca esquecerei este dizer: “O Ano de Ogum(2009) será um ano suado. Tudo que for conquistado terá um esforço, uma perseverança por trás. Nada será de mão beijada”. E né que foi assim mesmo? Pelo menos para mim foi. Então, espero que estes filósofos das religiões e misticismo em geral, cheguem ao comum acordo que 2010 será um ano de paz! Que palavra gostosa de falar, ouvir e escrever...PAZ! Assim eu desejo a todos um Feliz 2010 com muitas conquistas e realizações!
E se quiserem saber mais em forma de calendários, datas festivas entre neste site: http://pt.wikipedia.org/wiki/2010
Ou então revelações surpreendentes entre neste: http://www.constelar.com.br/constelar/122_agosto08/estadosunidos2.php


Assim espero! Sabemos que qualquer ano que venha é um ano de luta, de vitórias e de decepções. Sabemos que nesta escala terrena da qual vivemos, nada é fácil. O que não custa nada é pensar positivo! É assim que faço votos a todos: pensem positivo! 2010 será Dez!

terça-feira, dezembro 22, 2009

Só pode!


Tem uma agência, que prefiro não citar o nome, muito menos a sigla que, quando eu entro sinto um clima tão estranho. Aliás, é muito mais que estranhoa; é sadiamente dizendo: sinistro embora eu os conheça há alguns anos. Os funcionários da plebe, por exemplo, são também esquizóides - isto que já estagiaram vários naquela arena. Mas todos, sem exceção alguma agem num clima que me faz ter a sensação de que algo está sendo omitido ou sei lá, escondido. Ressalto para um detalhe: São extremamente educados! Nos tratam com muita praticidade. Isto! Práticos e rápidos! Porém, eles se olham o tempo todo e aquilo me intriga... Não pode ser coisa da minha cabeça!?! Não pode!
Eles se falam em códigos, não existe muito barulho, sabe? Mas os códigos, a ambiente quase vazio deixa uma sensação de suspense. Até o público que ali frequenta parece que recebe algum 'axé' na porta que acabam entrando no clima também. Cada olhar... Tudo um silêncio sinistro. Engraçado! São tão silenciosos que as vezes me perco no comportamento e "me pego" sussurrando com o funcionário. O chefe(a) mór é mais estranho(a) ainda! Tem uma pose de "Sinhosinho Malta" personagem do Lima Duarte que interpretou na novela Roque Santeiro! Só faltam as inúmeras pulseiras e o chicote. E tem um lado que é óbvio em muitos estabelecimentos públicos ou do comportamento humano(entre nós, lamentável): é entrar alguém, que provavelmente tem chip com centenas de cifras ou status que o tratamento é mais aberto, tem mais sorriso ou abrem-se mais as portas. Basta 'ter" se é que me entendem... Para mim uma aberração da conduta de cidadão. Fazer o quê. Esta é a vida! E aquela agência... Todos são estranhos. Acredito eu que são et's. Sim! Só pode! Eles são muito esquizitos!

Vontades...

Vontade de acordar num lugar destes, em que os sons permitidos sejam, somente, os quatro elementos da natureza. Vontade de abrir meus olhos e não lembrar de código de barras; de sinais de alertas. Que estas barras sejam esta imagem. Vontade de me desligar do mundo, vontade de não dar satisfação a nada... vontade de nada! Ficaria por horas neste cenário conversando somente com Deus. É disto que preciso. Alguns chamam de férias. Eu chamo de paz. Vontades....

Que venha do céu




As vezes tenho vontade de me desligar totalmente das notícias do mundo. Ficar offline, apagão, fora da área de cobertura enfim, abduzida mesmo de tudo! É uma enxurrada de notícias lamentáveis que leio e ouço quando me prendo a estes veículos de comunicação. Sim, já havia me queixado, por aqui, sobre o teor dos notíciárioas. Principalmente aquelas notícias que retratam as crianças como as vítimas. O caso do menino de dois anos que teve dezenas de agulhas introduzidas no seu frágil corpinho me deixou estarrecida. A confissão daquele escroto humano, daquele imbecíl e demente padrasto me fez ir as lágrimas vendo a sua confissão: matar a criança aos poucos para atingir a companheira. Tudo isto me enojou. Saber disto é o mesmo de depredar com a nossa alma. Eu evito falar mais sobre este monstro que fez isto com esta criança pois temo expor todas esta minha ira. Pois eu clamo pela justiça de Deus. Minha reza é que esta criança se recupere logo de todo este trauma - se há possibilidade de esquecer esta dor física e emocional. A mídia tem também que dar uma freada. Sempre fui contra a exposição em massa de uma notícia monstruosa desta. Noticiar demais gera alimentar a mente de outros psicopatas soltos por este mundo afora. A prova disto que já existe outro caso de menino com agulhas no corpo. Acho que tem que saber filtrar ou medir o que se publica. Agora, me resta rezar, como faço todos os dias, para que tudo fique em paz no coraçãozinho deste menino. E também vou tentar, por mim mesma, evitar ler algo sobre isto(se bem que eu tento e não consigo). E que venha do Céu a palavra e a justiça de Deus. Que venha Dele para confortar nossos corações, que venha do Nosso Senhor Jesus Cristo a proteção a estes inocentes.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Amor é movimento


“Cada amor tem uma história, e cada história de amor tem o seu próprio tempo. Às vezes, o amor começa aos poucos, outras vezes vem de repente. Pode demorar um instante ou durar para sempre. O importante é que o amor não pára no tempo. Está sempre em movimento”. Bingo! Movimento! É atração; é expansão. É vai e vem. Amor é movimento! Que bárbara esta frase! Eu sou uma incansável e birrenta atleta do amor! Só espero que Papai do Céu me dê um lindo Love story com final feliz. Estou começando a achar que nada na minha vida estagnou. Pelo contrário. Só clareou, só aumentou, só intensificou, embora eu esteja numa ferrenha análise de tudo. É que o agora, me move, a o-u-t-r-a-s órbitas das quais não poderei deixar para segundo plano devido a um amor... Mas o amor... Sabe aquele amor? É... aquele amor... Ele movimenta. Nunca parou. Espero que tudo na minha vida se elucide pois ninguém prestou atenção que sempre acenei a bandeirinha branca! Hoje eu não abro mão da paz que conquistei e da serenidade que sou. Me sentir escrava, submissa a um sentimento, de novo? Não... Algo foi desperto; e também admirado.

terça-feira, dezembro 15, 2009

Espero


Tudo bem, não sou eu a magrela aí da foto. A moça aí é Cris Berger, fotógrafa que capta a alma do momento. E por falar em alma do momento me peguei assim. Sentindo este vento que esta imagem me passou.
Sou uma mulher tão intensa que as vezes falo demais ou pior não me expresso quando tento fazer alguém entender uma situação. E se esta situação não tem como entender? Tem sentido. Na verdade pra tudo se tem uma resposta. Basta o tempo falar. Eu que ando que o senhor tempo esqueceu da minha ficha. Não me chama até agora? Pois estou sendo cercada de palavras lindas. Elas sobrevoam meus pensamentos, elas planam nos meus sonhos e elas também me atormentam pois estas palavras não sei se existem sombras nelas. Até onde vai a veracidade de uma palavra dita. Mesmo que seja olhando na menina dos teus olhos. O tempo passa e eu continuo ali, inerte sem poder urrar e ter a certeza que desta vez, tudo mudará. Tem fatos que acontecem comigo que me desnorteiam...me confundem... Ando feliz, mas ando chateada. Justamente por não ter esta certeza. Só o tempo me dirá. E até agora ele não me chama... Então, espero. Espero, o vento, a palavra e a sua alma. Se é que tem alma...
Foto: Cris Berger

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Laguna a vista!

Não vejo a hora de chegar janeiro de 2010! Meu pequeno retornará a terra do seu avô Daltinho; Laguna/SC. Vai brincar com os novos primos – psiu! Já tem uma tropa de elite Catarina - e curtir muitos passeios com a sua mamãe. Nestas fotos aí eu relembrei quando o João Vicente não tinha nem um aninho. Na época, o pediatra aconselhou em não dar banho de mar. Respeitei fazendo com o meu pitoco ficasse só curtindo a brisa, na sombrinha do carrinho enquanto eu mostrava tudo o que a terra de Anita Garibald oferecia: mar, os botos, a areia e os museus. Espero que este ano, já com dois anos e oito meses aproveite mais ainda esta terrinha tão abençoada pela natureza! Dando tudo certo, com a benção de nosso Senhor subiremos para Florianópolis também! Vai ser uma aventura!

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Shayene, minha linda sobrinha




Não tem coisa mais gostosa e vitaminada que ter crianças por perto! Esta é a minha sobrinha Shayene! Shay para os íntimos. Serena, na dela, quase não chora, curiosa... tudo de bom! Amo-te minha sobrinha lindaaaaa!


Espírito Natalino







Achei que este ano não consegueria suprir e liquidar com todos os meus abacaxis financeiros. Que nada. Aos poucos, homeopáticamente, vi eles sendo sanados. E estes abacaxis estarão decorando minha ceia de natal! rsrs Aquele sorriso amarelo de, não ter o que fazer, ou melhor, aquele Natal blecaute foi abolido do futuro. Graças a Deus tudo foi se encaixando na hora certa. Tem muita peleia pelo caminho. O sonho da casa própria já tem semente plantada. Agora é saber cultivar para não perder. 2009 foi um ano complicado, meio enroscado mas nada como o tempo para clarear tudo.
Faltam poucos dias para o Natal e já vejo o brilho nos olhos do meu filho questionar todos os ícones natalinos que ele enxerga! É comovente ver o brilho nos olhinhos de jabuticaba do meu pequeno. Ele já até conversa com o Papai Noel!!! E detalhe: Diz que o papai noel é seu amigo! Ter crianças numa casa é ter vida. E por falar em crianças foi esta semana que, olhando para trás que percebi o quão fui vitoriosa. Atraves de muita lábia, força de vontade e disposição que consegui realizar "muitos natais" em vários meses deste ano. Foi em doações para a Casa Acolhida Só Bebê que tive a certeza o que é ser feliz. Ver e saber que aqueles bebês tão inocente estão amparados de amor e carinho junto com toda uma estrutura educacional e de saúde confortou meu espírito.
Aliás, quem tiver doações, de comida mesmo, pode doar para Denise. Seu telefone é 51 -3029-2521
Os bebês que estão neste lar são todos vítimas de abandono e maus tratos. Eu já tive o meu Natal realizado. Foi na luta, na garra em manter eles melhor do que já estão que ajudou a me tornar um ser humano completo. Não existem valores surreais para dizer que o tal presente é o melhor. Natal é isto: união. E isto a minha família tem de sobra e o meu filho é doutrinado a dar e receber muito amor e carinho. É considerado o mais solidário da escolinha dele. Isto eu chamo de espírito natalino. Espírito natalino está na solidariedade com o próximo. Quem puder ajudar...Nossa... como ficaria feliz. Qualquer contato pode ser neste telefone do post ou mesmo meu e-mail fcf@tj.rs.gov.br
HO HO HO

Coisas que buscamos entender...


Foi com muita dor que neste sábado(5/12) que passou me despedi de uma figura maravilhosa. Pai de minha grande amiga Janaína, tio, avô consagrado e um baita festeiro. É. Um comovente festeiro. Valdir não agüentou a despedida de sua esposa para outro patamar e, em vinte e dois dias depois de sua morte resolveu partir também. A outra morada como é chamada pelo nosso Senhor Jesus Cristo está com os pais desta minha linda e guerreira amiga. Deixou em nós, a saudade e as indagações de o porquê uma vida roubada de forma tão brusca. A gente tenta entender, buscamos na palavra de Deus a forma de confortar estas mortes repentinas; tentamos entender no kardecismo algo que jamais entenderemos. Se aqui é uma passagem, saiba Valdir que sua ausência(sua e de nossa querida Jamile) é irreparável. Fica aqui, algumas palavras para amainar a ausência de vocês. E a ti, minha amiga-irmã Janaína(foto), minha ternura e devoção para esta nossa amizade que é madeira de Lei! Conta comigo amiga! A tua família continua aqui, em nossos corações!
Te amo, Fabiana

“ ... Apesar disso, nós não estamos preparados para a morte. Talvez o choque seja menor, mas a dor é a mesma. Então por tudo isso passei a estudar a doutrina espírita, que sempre nos ajudou muito. O espiritismo nos mostra de onde viemos, o porque de nossa luta aqui na Terra e para onde vamos. E hoje depois que ele partiu, sei que ele está bem, pois já recebemos muitas notícias dele. Existem alguns centros espíritas que fazem psicografia, acho que vale a pena ir atrás. Ser espírita ou não, isso não importa. O importante é acreditarmos que existe um DEUS que não erra e que tudo está certo como está. Mesmo assim a saudade é imensa. É o coração brigando com a razão. Existem muitos livros, como os romances espíritas, principalmente o Violetas na Janela e Vivendo no Mundo dos Espíritos, da Vera Lúcia Marinzek e os que trazem mensagens dos que partiram como: Jovens no Além, do Chico Xavier; Motoqueiros no Além, de Euríclides Formiga, que aliviam a nossa dor. Os livros de mensagens como: Um Minuto de Sabedoria, de Carlos Torres Pastorino e Gotas de Esperança, de Lourival Lopes; entre outros, ajudam a abrandar o nosso sofrimento, nos dando luz e esclarecimento. Eles nos mostram que a vida continua e hoje tenho certeza absoluta disso. O nosso desejo ao participar do grupo não é só de aliviar o nosso sofrimento, mas também ajudar as outras pessoas que passam pela mesma dor. Achei importante passar estas informações, porque só depois das notícias que tivemos, que o nosso coração acalmou e a ansiedade diminuiu....”

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Inesperado


Palavras ditas de uma forma nunca vista. A declaração mais sonhada; pedida a Deus para ouvir; estava ali, perante aos meus olhos....falando. Falando...falando...
É Xeque-mate!
Só pode!?!
Porque a vida é um legítimo tabuleiro de xadrez.... Palavras de todos os méritos ouvi. Silêncio. Não vibrei, não chorei, não fiquei brava nem feliz.... eu só me perguntei:
- Por quê?
Porque depois de tanto tempo?
Preciso de sinais....
Aí filosofando lembrei desta frase: “Uma relação nem sempre termina porque não é feliz. Às vezes termina para preservar a felicidade da memória.’
A memória, os bons momentos, as risadas, os abraços, as fugidas... nada esquecido; o oposto disto ficou calado também na memória... É a arte da reconquista; a arte de reconhecer também....Fabrício Carpinejar falou por mim com estes dizeres:
“O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa. Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever. O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.”

terça-feira, dezembro 01, 2009

Clique! MARAVILHOSO! PORTELA EM PLENA PORTO ALEGRE

http://www.youtube.com/watch?v=AN-Q4nFGp7w

Link sobre o show do Monarco na ZH, com vídeo!

http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&newsID=a2734735.xml&channel=13&tipo=1&section=Geral

Domingueira portelense


Foi com grande satisfação que prestigiei a voz mais célebre da Portela:
Mestre Monarco.
Onde?
Em plena esquina das ruas Riachuelo com a Gal. Salustiano – frente ao Gasômetro. Lá estava o nosso querido portelense que nos agraciou com a sua bela voz e simpatia com canções que são verdadeiros hinos da águia azul e branco. Fiquei extasiada, meu filho brincando e curtindo o show em plena pracinha que, também, fazia cenário do encontro de sambistas porto alegrenses! Foi maravilhoso. O legal foi também encontrar todos meu amigos sambistas! Nossa! Estavam todos lá! Cada um no seu “estado” de graça! Sol forte e tarde gostosa de um domingo perfeito. Foi assim que curti o melhor do samba! Monarco querido! Acho que o nosso mestre já está derretido pelo calor humano dos gaúchos! É cada vez maior a legião de fãs enfim, de seguidores de um bom samba de raiz. A prova tá aí deste meninos que promoveram esta ceia sambística. Iniciativa do Instituto Brasilidades(http://institutobrasilidades.blogspot.com/) onde mostram o lado bom do samba, do canto promovendo várias atividades culturais. Domingo maravilhoso com gosto e temperatura carioca!
Tudo de bom!

PS: a foto aí é uma misturinha de minhas recordações mais a foto do maravilhoso encontro de domingo com o pessoal do Instituto Brasilidades.

O Pandeiro - reeditando


Quando falo "tá aqui" o pessoal diz: " - Não achei Fabinha". Resolvi, portanto, encurtar. Reeditei o texto, O Pandeiro no qual eu conto como aprendi a tocar este maravilhoso instrumento.


O PANDEIRO


Com tantas barbáries de notícias do mundo afora nada melhor, para abrandar estes furacões de pessimismos sócio-econômicos do dia-a-dia do que quebrar, o clima, ouvindo uma boa música. No meu caso, o samba. Este, participa em todas as etapas de minha vida...A nanica, aqui, nos seus 13, 14 anos era presenteada, pelo meu pai, com LPs de Chico Buarque, Beth Carvalho, Martinho da Vila, João Nogueira e outros segmentos musicais, que não vem ao caso falar. Amava ouvir e ficar interpretando aquele som do cavaco, surdo e pandeiro. E por falar em pandeiro é a ele que vou falar neste post. A primeira vez que ousei tocar este instrumento foi em meados de 88/89. Não foi propriamente pelo samba e, sim, quando ingressei sorrateiramente na capoeira. Conheci um senhor, figuraça da capoeira de Angola que acompanhou minuciosamente meu encantamento pelo barulhinho das platinelas. Atencioso, foi com muita paciência me apresentando os inúmeros toques do pandeiro. Ali passei, sem perceber, que ele faria parte de minha vida e de minha musicalidade. Levou pouco tempo para eu adentrar no mundo da capoeira com muita dedicação no ano de 1993. Foram exatos sete anos de treinos a este esporte que junta luta, história da ânsia de liberdade do negro e músicas com verdadeiros relatos da Vida e da escravidão. Era iniciar a roda, no caso, se não estivesse jogando, que buscava o pandeiro para dar meus tapinhas sonoros de xequendém. E foi em 1999, quando abandonei, de vez, a capoeira que conheci o Mundo do Samba. Não tinha a menor idéia que, em Porto Alegre existiam tribos ferrenhas samba de raiz. Curiosa, como sempre, fui a legítima aprendiza do samba. Freqüentava uma roda daqui; outra dali, todos os finais de semana. E ali observava e, novamente, observava as leves batidas que alternavam o polegar do resto dos outros dedos. Como já tocava um pouquinho devido aos sete anos de capoeiragem fui, de mansinho, tendo de “apadrinhamento”, a amabilidade dos músicos da Velha-Guarda como a minha oficial escola. Inexplicavelmente eu estava entregue ao mundo da cultura negra. Até tentei em 1999 aprender Cavaquinho. Fiz sete gloriosos meses de aulas de cavaco com o professor Luiz, do Grupo Reminiscência e, também, na falida(falida sim, nem pagavam os professores!), Predigger. Em seguida, “abortei a missão” escolar das cordas. Confesso que sacudo os bolsos de moedas para voltar a tocar este gracioso instrumento. Haja dinheiro... Inclusive estou trabalhando a hipótese do Alemão Charles ser meu novo professor. Os anos passaram, alguns mais tênues, parcos na dedicação ao samba e, outros mais intensos. Meu retorno avassalador, “mulçumano” foi em 2005. Segundo os cariocas, Virou religião.Fico literalmente pazeada com o samba e sua riqueza musical. Não consigo nem ficar na babalize do dia seguinte pois, acordo e quero sempre mais. Empertiguei-me a tudo! Viciei em tocar o meu pandeiro, sempre. Enfim, tornou um vício cantar e tocar com os carinhosos Babalaôs do samba gaúcho.Ultimamente, esta minha dedicação tem me presenteado com retornos verbais de sambistas “de responsa”. Alguns músicos da velha-guarda Itinerante, João Sete Cordas são o exemplo deles... Eles andam elogiando ou, mesmo, se surpreendendo com a minha “fome em aprender”. Isto, para mim, é mais que fluoxetina das palavras, é alegria total! 2006 está bom demais! Toquei com a madrinha Beth Carvalho na mesa com a Banda Itinerante e, gradativamente, estou sendo reconhecida mais e mais como uma musicista do samba. Faz bem para o ego e, ao mesmo tempo, sinto uma certa vitória em prol das mulheres. Quebrei protocolos do machismo gaúcho de rodas de samba. Sim, isto, ainda é bem forte aqui no Sul, diferente do Rio de Janeiro e São Paulo onde é comum a emancipação feminina nas confrarias sambísticas. Escrevendo isto, acabo relembrando minhas primeiras manifestações pandeirísticas em rodas. Tudo era surpresa para os discípulos de Cartola ver eu tocando. Primeiro por ser branca; depois por ser mulher. No começo, eles não entendiam como aquele ‘pingo branco” se metia nas rodas...Agora isto não é mais problema! Inclusive, observo que tem surgido vez que outra, uma menina tocando pandeiro. Graças a Deus nunca houve rivalidade entre mulheres musicistas! Diferente de certas facções de grupos que se negam a integração de uma biota única.E o reconhecimento? É gratificante entrar num bar ou mesmo, numa quadra de escola de samba e ser cumprimentada, por seres nunca vistos, que chegam para mim, elogiando ou falando apenas um simples “e ae pandeirista!”!!! Compensador... O mês de maio e junho provou que algo mudou!É tocando meu pandeiro que me abduzo de tudo ruim.É com o meu pandeiro que extermino meus pensamentos negativos.É tocando e cantando que dou vazão a alegria e a paz orgásmica que vale a pena, SIM, viver!

segunda-feira, novembro 30, 2009

Mais descobertas e travessuras do João Vicente


Vou seguir as dicas da minha irmã. Fazer um livro de tudo que já escrevi sobre o meu pequeno João Vicente para um dia ler e rir de suas primeiras descobertas!
Que ele é um artista todos já sabem.
- “Se for ralhado por algo errado que fez, inesperadamente bate a “dor de coolbeça”, a “febe”, dor na boca, “ai minha bunda” e mais outros que inventa tudo isto seguido de um único discurso: “ – vovó braba”... Vovó, mamãe, vovô, tia Ivana...todo mundo “brabo”. Tudo para não levar o sermão.
Estratégias inteligentes....
- Novidades sempre surgem. Está com a mania de sumir com os objetos da casa. E quando indagamos onde estão eles, rapidamente fala: “DOIS GATO MAMÃE”!!!
Sim ‘dois gato’ comeram o sapato, a escova, a caneta e por aí vai... Antes, era o “o-gato-comeu”; agora são dois!!!
- Arremesso de roupas, canetas e calçados janela afora. Sim! Adora atirar tudo que vê pelas janelas da casa.
- Foi exatamente neste sábado(28/11) que passou, que o João Vicente aprendeu de vez, a usar chinelos de dedos. Olha, levou muito tempo para ele aceitar. Não entendia como aquela borracha ficava entre os seus dedinhos. Sempre se negou a usar! Agora anda pela casa todo exibido de chinelos, e... havaianas!!!!
- Contemplar os felinos que freqüentam o pátio da casa já virou uma tarefa do turno da manhã. Só vai conferir os gatos no quintal se for acompanhado de sua avó Vera. Ambos, munidos de vassouras e bolachas rsrs Ao mesmo tempo em que querem afugentar os gatos com ‘Sai gato” na vassoura; João Vicente quer, também, alimentar. Haja teorias...
Ontem(29/11) experimentou, pela primeira vez, um belo banho de mangueira! Enquanto eu lavava o carro num sol de 33C° na moleira, meu pequeno tentava parar a mangueira de sair água com sua própria mãozinha. Não preciso dizer que os espirros aquáticos eram para todos os lados. Largava tudo e disparava numa corrida frenética, tipo ‘volta olímpica’ na grama de casa! Faceiro, peladinho e risonho! Ele e o primo Mateus! Ambos festejando o banho de mangueira que simulava uma deliciosa chuva!
Palavras são apenas fragmentos de imagens que guardarei lá no meu coração. É por estas e outras do meu filho que digo o quão sou feliz!

PS: Esta foto montagem é em homenagem ao meu O Pequeno Príncipe! O tema do seu próximo aniversário. Em preto e branco é o ator do clássico e nas outras fotos...rsrs meu pingo lindo!

quarta-feira, novembro 25, 2009

Minhas palavras estão evoluindo para o silêncio


“Minhas palavras estão evoluindo para o silêncio”. Mais uma vez Fabrício Carpinejar falou por mim. Acho que voltarei a sobrevoar com meu satélite abduzido por um longo tempo, sem aterrizar. Depois de ontem e de hoje sinto que devo, sim, manter-me na conchinha! Tá aí! Vem dezembro, férias, aquela viagem esperada. Pois a safenada aqui, tá precisando de um colo, de uns mimos, de rosas, de proteção e muitos carinhos! Quem pode fazer isto? Meu filho, somente. Pois no momento, algo que foi acenado com o tempo deu sinais de ser passageiro justamente por acreditar que o verbo e o tato não pertencem aos contos românticos. Existe algo muito mais sincero do que eu poderia entender. O lado bom foi a alegria que deu sinais a mim quando descobri em minhas próprias pegadas, que eu era livre não só pelas razões mas pelos sentimentos de um passado pesado de mágoas e decepções! Sim! Sou livre! E eu me apeguei a toda esta força... Valeu por tudo...

terça-feira, novembro 24, 2009

Exemplo de beleza e cidadania



Há tempos que tenho vontade de falar sobre ela. Brigitte Bardot. Foi símbolo sexual dos anos 60 e 70 - para mim uma diva! Completa! Estes tempos recebi um e-mail que contava, em parcas palavras, a trajetória dela. Eu a olhava e pensava: “- Como era linda”.
Eu me inspiro nela pelos seus cortes e penteados de cabelo. Aí podem pensar: “ ah, mas ela tá uma velha!”
Aí digo. Ela é a única atriz de cinema que nunca correu atrás dos bisturis; nunca lutou contra o tempo. E isto eu não chamo de desleixo; eu chamo de autenticidade. Uma mulher que assumiu cada ruga do seu rosto, assim como assumiu os seus amores e desamores. Envelheceu com dignidade ocupando seu tempo com causas nobres como em prol dos animais. Brigitte...é tudo!
Abaixo um pouco do que li sobre ela:
Chamada pela mídia sensacionalista de 'devoradora de homens' pela rapidez com que terminava seus relacionamentos e pela quantidade deles, Brigitte Bardot teve quatro casamentos: o primeiro aos dezoito anos com Roger Vadim, o cineasta que a descobriu e lançou ao estrelado. Vadim, um descobridor de talentos femininos e mulheres bonitas, também foi casado com Jane Fonda e Catherine Deneuve. O segundo, em 1959, com o ator Jacques Charrier, do qual teve seu único filho, Nicolas-Jacques Charrier. O terceiro, entre 1966 e 1969, com o playboy e multimilionário alemão Gunter Sachs. O quarto e último foi em 1992, aos 58 anos, com Bernard d'Ormale, ex-conselheiro do político francês Jean-Marie Le Pen e que perdura até hoje.”



Hoje me acordei com cara de tamanca. Pela sei lá que ranking eu já me encontro estou, novamente, (alouu! Imunidade, acorda por favor!) gripada. Por tabela, João Vicente meu anjo dourado, também, todo ranhento. Não sei se foi por sábado ter ido a praça e pego o famoso ‘vento atravessado’ para quem estava suado de tanto gladiar e brincar com seu amigo Boo ou se foi porque era para pegar mesmo. Porque é impossível descobrir qual da “coahb de vírus da gripe” se alojou na gente. O negócio é repouso... E o trabalho? E o filho? Impossível repousar. Para reverter a cara de tamanca da semana, vou adotar os famosos cremes infantis e também as pomadinhas para outras utilidades. Para hidratar o lábio – li estes dias – nada melhor que passar bepantol antes de dormir. Acorda com a boca perfeita sem ficar ressecada. As olheiras, para as mais engajadas em truques de maquiagens, estas já sabem – vou passar aquela pomadinha para hemorróida(sim, para hemorróida!). É um verdadeiro milagre santificado na aparência saudável. Ando inspirada também em manter o look “Anos 60” nos penteados! Atualizei minhas madeixas em reflexos dourados pois aquele cabelo estilo surfista escrachada tava o “ó-do-borogodó”! Fiz, neste fim de semana que passou, um corte mais em camadas o que dá para jogar em coques e penteados temáticos, Corretivos, pós, delineadores, um blush pra dar o ar de saúde e um batonzinho cor de boca. Deu. Torcida enganada! Agora é esperar este vírus sair de mim. Chazinho, cama...faltava um cafuné. Ah! Sim! Tenho do meu filho que do nada, ultimamente, olha para mim num sorriso e diz: “ – Te amooo!”!

Dieta já!


Tá indo. Amanhã uma semana já de dieta. Espero ter palavra em cumprir algo que é cheio de regras e exceções! Regimão. Cortei todos os prazeres adocicados na semana. Nem refrigerantes. Aff! Que loucura. Tenho bebido água mesmo sem vontade! E confesso, tem me feito um bem enorme! Em breve vou relatar esta minha batalha contra a balança!

sexta-feira, novembro 20, 2009

Bem me quer....

Tenho algumas amigas engraçadas. Cada um com seu psique, com seu autimsmo contemporâneo. E o interessante que conheço uma(e este post é para ela) que vive encafifada com os relacionamentos cômicos, estranhos e doidos que já vivenciou. E ela vive se questionado. Acho que o travesseiro dela deve cheirar a encéfalos queimados; de tanto que pensa. Busca, alucinadamente entender o universo masculino. Já leu, já viveu, já degustou, já beijou a lona e já se revoltou com suas experiências. E em nada ela busca a resposta exata... Vive se perguntando o porquê o mundo é redondo. Aliás, esta gaja faz trabalhos voluntários em prol da natureza. Recicla tudo; menos o seu passado. Eu não sou uma exemplar ‘persona’ no quesito amor para lhe ensinar; porém aprendi um pouco com o universo masculino.
Um pouco; não tudo.
Os homens tem uma essência básica: não gostou; puxa mesmo. Puxa a oculta carta na manga. Homens não dão ponto sem nó; mulheres enchem de nó um só ponto. Mulheres casam achando que vão mudar o marido; já os homens casam achando que a mulher não vai mudar... E mudamos rsrs
Esta praticidade deles aparentemente fria fez com que eu perdesse um pouco aquela nuance cor-de-rosa que enxergava da Vida. Vez que outra é bom ser turva e misteriosa nas relações. Abrir o jogo é como se disser o final de um filme ainda não visto. Na real, o jogo nunca poderá, por total, ser aberto. E é a isto que garimpo com ela. Um pouco de sal no doce e um pouco de açúcar no salgado!
Ela se questiona tanto que até eu me infecto com ela. Volte e meio saio de nossas perguntando coisas insondáveis. Se ela falasse com Freud, este provavelmente botaria fogo no divã dele.
Tem coisas que negamos pra si; já tem outras que criamos em nossos próprios fantasmas. Tudo para não enxergar que a realidade, o juiz de tudo, está dentro de nós. Libertemos das neuras adiposas, das neuras do passado. E isto que falo a ela. Temos que ser simples e diretas também. Sem, lógico, assustar. Temos que desencanar com pecuinhas que, nós mulheres, inventamos de buscar origem e solução. Usemos, portanto a lógica, o estalar dos dedos, o sorriso no rosto, o humor negro(isto é fato, faz bem vez que outra ser sarcástica) e também a serenidade de que lá adiante; o próximo, será bem melhor! A esta amiga eu peço apenas que sorria para a vida. Tanta gente casada que arrota uma felicidade tão escusa e falsa, gente que se esconde atrás de uma tela apenas para desafogar os entulhos de uma relação supostamente desgastada. O risco que se corre é ser divã virtual destes seres que perambulam em sites de relacionamentos. Eu já a alertei sobre isto. Aí que tá o risco. Bom mesmo é ser molecona, mostrar que é fêmea quando tem que ser, cidadã integral, mãe de todas as horas com todas as bençãos e, principalmente ser humana com os sentimentos mais nobres que possamos usufruir para quem nos faz o bem. Não entendeu? Repito: Digo a ela para Lapidar os sentimentos a quem nos mereça e não a quem nos intriga e nos desgasta. Bem vinda a vida amiga! Viva, esqueça estas perguntas... arregaça aquela manga,sabe? Talvez tu achas algo melhor ainda!
Faça como eles; puxe o zíper e saia fora. Tem coisas muito mágicas do que ficar a catar-caçar interrogações na solidão! Acenda aquela luz que tem dentro de ti e dance! Cante! Viva! Viva! Apenas, viva... É tudo que te peço.
Lembre-se de sua infância: Bem me quer; mal me quer! rsrs

Tereza Cristina, célebre interprete de grandes sambas de raiz diz isto(Aliás, uma boa dica terapêutica e musical ouvir e procurar ter este mp3 cantarolando em nossos ouvidos):


“Eu não troco, não vendo, não empresto nem dou
A paz no coração pelas juras de amor
Quem quiser meu carinho
Terá que provar, amor, provar
Em aventura, benzinho
Eu não vou me arriscar
Só atraco meu barco em porto seguro
Em canoa furada não vou no escuro
Aos meus dezoito anos
Vivi trinta e seis
Chorei, chore
No oceano da vida quase naufraguei
Eu não troco, eu não vendo ....”

O lado musical do meu filho

Música é terapia isto, todos sabemos. E a importância da música no meu dia-a-dia é excepcional! Vivo, respiro música o tempo todo. Não pensem, não, que vivo somente de um gênero musical. Errado. Curto de tudo um pouco. Só confesso que tenho pavor de rock pesado e funk. Do resto ouço numa boa. E, o que não é novidade para ninguém; sobre a minha pessoa; é esta minha essência melódica pelo samba de raiz. Acho que de tanto escutar e de tocar caiu como uma luva aquele ditado:
‘ A fruta nunca cai longe do pé’. Refiro-me ao meu filho, João Vicente. Este não pode ver um instrumento musical que corre para tocar e curtir o barulhinho bom. Estes tempos foi assim. Viu um mar de tambores no salão e não pensou duas vezes em correr para apreciar. Orquestrou do seu jeito e na sua linguagem bons momentos de satisfação pessoal. E, quando o vejo assim, deduzo lembrando da minha gravidez. Toquei muito em rodas de samba e talvez, lá no ínterim, junto com a sinfonia de meu corpo ele cristalizou uma Sapucaí cheia de melodias que pertencem somente ao seu mundinho!

Surf no Dilúvio de Porto Alegre

Olha, não tem coisa mais insolente que perambular pela casa e apertar o botão dos eletroeletrônicos ou eletrodomésticos e não funcionar. De querer ver algo, de ouvir, de acender e não poder. Falo da falta de luz que assolou o cotidiano de muita gente, como a minha família. Falo do apagão que este temporal causou desde ontem(19/11), em Porto Alegre. Aquecimento global, ciclone sei lá o que foi... mas causou mortes, transtornos nas vias e muitos estragos como destelhamento de casas e árvores caídas. No entanto., o que chamou a minha atenção, hoje, nos jornais do país foi destes gaúchos aí: Ricardo Dullius, Nelson Pinto e Juliano Didonet. As pinta surfaram literalmente no Arroio Dilúvio de Porto Alegre. A água mais podre que já vi na minha vida...
E porque a loucura?
Pra tudo tem um enredo por trás. A loucura ‘aquática-gosmenta’ veio de um propósito publicitário – inclusive já está a venda camisetas ‘Surf no Dilúvio”. Olha, na minha opinião, uns baita corajosos. Segundo eles tão tomando banho com saponáceo, sarnacocen(Ai! Sei lá os nomes) entre outros e até tomaram vermífugos! Co-ra-gem!
Deviam estar previamente antecipados, as consultas dermatológicas e avaliações com especialistas em infectologia para desbravar este mar de bactérias e orgias químicas. Haja coragem. Mas deu certo! Viraram capa de vários jornais!

quinta-feira, novembro 19, 2009

Gororóba Climática

Fazer a malinha da escola do meu filho tem sido um jogo de opções. Roupas para o frio e roupas para o calor.
Não existe mais estação.
Nosso Estado virou uma gororoba climática. Fiquei espantada, hoje, logo após o meio-dia o cenário assombrador que ficou o céu de Porto Alegre. Estava em meu trabalho e, repentinamente tudo ficou escuro. Estouros de geradores, raios, ventos era um caos literalmente.
O que sobrou depois desta mudança climática repentina?
Vários estragos na cidade...
Já soube que não há luz em minha casa. Que desafio para o meu pimpolho João Vicente que adora uma casa iluminada; ainda mais que a vovó já se adiantou em decorar a casa com detalhes natalinos. Fica aqui o registro desta seqüela da natureza devido ao aquecimento Global! Estamos colhendo o que plantamos... Este alerta vem de décadas...

terça-feira, novembro 17, 2009

Coisas sem respostas...


"Ela acreditava em anjos e, porque acreditava, eles existiam." Clarice Lispector
Clarice disse tudo nesta frase. Basta acreditar! E existem mesmo. Há momentos em nossas vidas que buscamos resposta e parece que nada explica ou justifica o que estamos passando e sentindo. Porém, o mais hilário sou eu vendo e reavaliando esta foto. Este registro foi de um momento sambístico. Foto de três anos de história. Loucura sou eu a olhar para este retrato e pensar, hoje, que a vida é surpreendente mágica e misteriosa. Dá vontade de falar tudo neste blog, mas não posso - devo puxar meus freios verbais. Senão faria uma declaração ao mundo! Criei, por exemplo, este blog para falar de tudo que já passei e vivi. É uma espécie de “divã-blogueiro”. Aqui, assumi meus erros, meus impulsos negativos e minha fraquezas; como também vibrei com minhas conquistas, sorri pelo nascimento do meu filho e já relatei muitos fatos engraçados que já vivi. No entanto, no início deste ano apresentei uma certa estafa de tudo que me cercava. Procurei alternativas no setor administrativo de minha vida, supliquei a “extrema unção” de um passado que me cercava, fiz promessas, e cumpri dificuldades que achava que não conseguiria. Assumi a responsabilidade de meus atos e isto me ajudou, e muito. E então, algo do nada surgiu. Não só com gestos, mas com as palavras exatas e os questionamentos interiores certeiros. Há poucos dias não faço isto sozinha. Divido com alguém. E este alguém veio de uma sabedoria e de um modo tão sorrateiro que resgatou de mim algo que já havia adormecido há muito tempo: paz, esperança...serenidade. De braços abertos sorvi com a alma e o coração. Sou do verbo, sou romântica e graças a Deus, sou realista. Eu sei onde piso. Já falei e repito: A gente só tem esta vida para dizer o que sentimos. E é isto que faço! Se sinto; falo! Qual o vergonhoso se declarar e dizer que se apegou? A outra parte desta história quem decide é Deus! Eu sou, e quero mais! Sou feliz e busco lapidar mais ainda a minha felicidade! Estou ouvindo o meu coração ajuizar o que é melhor para mim. Chega de ser safenada! Estou assumindo meus medos, meus fantasmas e valorizando mais ainda meus sentimentos e princípios. Não interessa o quesito de é amor, amizade, parceria! O que importa foi o carinho e a confiança. Isto eu jamais vou esquecer. E termino com esta comentário de Zíbia Gasparetto:
“Se você que ser feliz, mande embora seu "severo juiz", ouça seu coração. Valorize o que sente e seja uma pessoa verdadeira. Assuma seus sentimentos. Só diga sim depois de sentir o que realmente quer. Não tenha receio de dizer não. Viver uma verdadeira experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida. Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um. Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades
enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente.Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão. Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdadeiro o que deve fazer. Confie em seus critérios. Você pode!
Experimente.”
Eu estou experimentando!

segunda-feira, novembro 09, 2009

Invertendo os papéis


Sabe aqueles dizeres que falam que temos muito em aprender com nossos filhos?
Pois então!

Meu filho tem me dado cada momento nestas andanças que me pergunto:
- Em que mundo estou!?!
E o João Vicente está sempre me surpreendendo. Louco de esperto dá sempre o seu show! Se faz algo errado já puxo para a conversa e digo, questiono que ele errou. Tipo:

" - Tu sabe que errastes, né?:"
Ele entende como uma luva o meu diálogo. No entanto, antes de pedir 'desculpas", se atira no chão; ou mesmo coloca a mão na cabeça alegando-dizendo:
" - Dor de coolbeça";

Ou melhor, coloca a sua mãozinha no testa e larga:
' - Ai mãe, febe! Febe! Emédio. Emédio"
Tudo para desviar sua conduta errada. Estes são um dos exemplos. Mas a última dele foi a de ontem.
Já onze e meia da noite passada, todo mundo dormindo na casa e o "sr. Jotavê" acordado. Quarto escuro, abajour ligado com lâmpada bem fraquinha, o dvd portátil dele com som baixinho, ao lado da cama e ele ali, um corujão atento. Já eu, exausta do dia, com uma dor de cabeça terrível me virei para ele, de olhos fechados e supliquei:
"- Pelo amor de Deus João Vicente, vamos dormir!"
E nada...

Então, com a falência de minhas forças maternas, fui desabando naquele ambiente preferido de nossas casas - que é o nosso quarto - e fui relaxando e relaxando quando, do nada, uma surpresa. Ouvi a vozinha dele bem baixinha, susurrando e dizendo:
"- Dorme mamãe! Dormiiii mamãeee!"; soava o meu baixinho.
Num momento quase "alfa" de sono, com aquela vozinha, estava praticamendo entrando na fenda de meus sonhos se não fosse o objeto sendo colocado em minha boca.

Na minha boca?

Sim!

Na minha boca...
Meu filho enquanto falava "dormii mamãe, dorme" me colocava, na boca, uma das suas várias chupetas.
Gente, eu hoje lembro e tenho que rir!!!!
Os papéis foram invertidos literalmente!!!

Ele que me fez dormir e não eu!?!
Depois desta?

Desabei no sono mesmo! Tenho um anjinho da guarda pra lá de especial!

Filhos... sempre nos surpreendendo

sexta-feira, novembro 06, 2009

Não tenho mais estrutura...

Se tem uma coisa que me deixa muito mal, nos noticiários de hoje em dia é ver matérias que abordam crianças. Definitivamente não tenho mais estrutura emocional para ver esse tipo de assunto. Estes tempos, no programa Repórter Record (http://www.r7.com.br/) as equipes de jornalismo abordaram o tema sobre Crianças Desaparecidas. E foram tantos relatos que assisti em que, todos, me deixaram chocada e impressionada. Praticamente perdi o sono naquela noite. Quase não dormi. Fiquei pensando como existem pessoas más neste mundo e, infelizmente, o alvo delas são as crianças. A maioria dos casos, o sumiço da criança foi de forma irônica: sempre há metros de casa; há metros das escolas. Crianças que voltavam do colégio ou mesmo esperavam o ônibus chegar. A outros exemplos, casos de motivo passional, de seqüestro, vingança...tudo... E a maioria dos casos, até hoje, sem solução. Crianças que hoje, se estiverem vivas, estão com 20, 30, 40 anos... Ver o relato e a dor daquelas mães nas entrevistas foi algo pior que tortura física e espiritual para mim. Não sei se é porque hoje sou mãe e tenho um pingo loiro lindo que é tudo para mim nesta vida ou se ando sensível demais que acabei me arrasando. Acho que tá na hora de filtrar as coisas que leio, assisto e ouço. Gosto muito de noticiários, jornais e muitos e muitos documentários... Porém, tá na hora de pensar em mim. Eu me abalo, não tem jeito. Outro exemplo foi o caso Isabella Nardoni, as gêmeas siamesas nigerianas que morreram na cirurgia para tentar separá-las. Tudo me arrasou. Tá na hora de ver cores, de ver filmes de histórias da amor, comédia enfim, de colher o que é melhor para mim. O mundo tá muito cruel e devemos administrar o que o dia-a-dia nos oferece e julgar o que é melhor para nós. É muita loucura. E hoje, sou muito mais manteiga derretida que antigamente.

quinta-feira, novembro 05, 2009

Quem são eles?



Tenho me espantado com a quantidade de autores e escritores que são anônimos com seus blogs na Era Internet! Gente! Cada poesia cada aprofundamento num sentimento que fico embasbacada. E são gente com a gente... todo mundo com suas chagas afetivas, com suas revoltas trabalhistas ou com aquele salgado humor negro! Fabrício Carpinejar que soube, com suas sábias palavras, definir:
" É mais difícil morrer anônimo com a internet."

O hoje

Já passei muito tempo me perguntando o porquê certas coisas aconteceram comigo nos últimos anos. Fatos que me fizeram crescer embora tenham me marcado. Isto me deixou tão angustiada. Muitas indagações e muitas vezes nenhuma resposta.
Aí pensamos:
“- Simples! Bem-vinda à vida!
E esta semana, novamente(definitivamente) fui incisiva; categórica de quem sabe o que fez. É bom ter a sensação de fortaleza! Eu estou assim. Minha auto-estima saiu da UTI e tenho prevalecido desta arma para enfrentar meus fantasmas. Já espantei tantos...
E, nesta atribulações de sentimentos, decisões e loucuras(que não convém falar) alguém me perguntou:
“ – Fabi, você pretende morar só tu e teu filho?”
Aquilo despertou como um sino. Alguém questionou o que quero do meu futuro. Mesmo me deixando surpresa com a interrogação fui rápida na resposta:
“ – Com certeza, eu, meu filho e alguém que nos ame muito!”
Cá entre nós, não existe mulher deste universo que diga: “Eu quero viver sozinhaaa”
Ter alguém ao lado que te ame, que te respeite e zele por ti é de suma importância. Já disse e repito há muito tempo: Estou cansada se ser super heroína, Joana Dark, Chiquinha Gonzaga ou Anita Garibalde. Quero flutuar um pouco. Quem sabe ser princesa? Até soa engraçado. Esta pessoa, na qual conversava aproveitou o que respondia e disse:
“ – Você acredita em príncipes encantados?’
Era mais fácil eu responder que não. Pois tem muito território ai cheio de sapos e eu a própria anfíbia! Então, em minha filosofada argumentei que estava generalizando falando em príncipes. O príncipe que explicava é daquele que Roberto Carlos canta:
“ Aquele que ainda manda flores, aquele amante apaixonado... que curte fantasia dos romances e fica olhando o céu de ... sonhando, abraçando a namorada. Eu sou do tipo de certas coisas, que já não são comuns nos dias de hoje; As cartas de amor, o beijo na mão muitas manchas de batom, daquele amasso no portão; apesar de todo o progresso, conceitos e padrões atuais; sou do tipo que na verdade sofre por amor e ainda chora de saudades; PORQUE SOU AQUELE AMANTE A MODA ANTIGA DO TIPO QUE AINDA...MANDA FLORES!”
Este sim seria o ideal.
Tá! Deixa eu sonhar?
Foi partindo disto que concluo: “Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.”
Não há uma explicação; há um objetivo(futuro), uma força(o presente) e a vontade(na benção de Deus) que faz com que nosso cenário seja mais digno de sorrisos e realizações!
Eu busco mais e mais a minha felicidade... Sempre...

quarta-feira, novembro 04, 2009

Bagagens da Vida...

Coração tem que estar aberto e a alma tem que fluir. É disto que ando comemorando! Saber e aprender a viver melhor! Isto tem me dado novos horizontes tão agraciados pelo momento que ando comemorando. Problemas no meio de meu caminho, imprevistos, saber enterrar um adeus, todo mundo tem – e eu sei que passei por isto. No entanto, o que falo aqui, é o do novo! Sim! O do novo! Se permitir ao novo que acena! Estou serena disto e feliz. O que converso com esta pessoa que conheci é que alçar na idade que chegamos(a casa dos 30) e dizer que não existiu um passado na vida da gente, seria uma grande inocência, não acham?
Sim. Correto. Ninguém chega a nossa idade sem nenhuma carga por trás de amores inesquecíveis, de amores mal sucedidos ou mesmo, uma insatisfação pessoal interior de achar que a perfeição existe.
Então, partindo desta bagagem de experiências que muitas pessoas andam buscando unir suas forças, juntar suas experiências que a vida é uma só e não há o porque perder tempo em florear Freud, por exemplo!!
Isto é bárbaro! Tenho visto tantos corações frustrados, insatisfeitos e, também, machucados. Uns de comover... mas fazer o quê? Bem vindos a Vida! Do resto, estou amando olhar, falar... Deus sabe o caminho....

terça-feira, novembro 03, 2009

Existo; insisto! Humpf...



Penso, logo existo. No meu caso, penso; logo insisto! Pombas! Que diacho que insisto em insistir, em acreditar, em voar em sonhos que já não são mais sonhos, muito menos utopia! Curtir o momento? E eu tenho cara de ser borboleta com 24 horas de vida? Sim, as borboletas vivem 24 horas. Eu sou gente, meu time tem pressa, minha alma pede paz e eu vivo o hoje, pensando sempre no bem-estar do meu filho e de minha vida!
Quero dividir meus momentos com alguém não, somente, de verdade; mas com alguém que queira a verdade acima de tudo!
Tá aí a diferença! Pra mim chega? Não sei... não entendo este meu existo-insisto. Estou tão brava hoje...

Os sábios em esquecimento

Não é de agora que as pesquisas apontam um crescente percentual no aumento de idosos em diversas nações do mundo inteiro. Este rápido envelhecimento da população é a mais nova cara do planeta. E mesmo assim, com tanta relevância na terceira idade, ainda encontramos o déficit na valorização e nos direitos humanos dos idosos como previdência, saúde, direito a cultura e lazer. A longevidade humana certamente é o grande conquista do homem porém as falhas apontam fatos preocupantes neste diagnóstico do envelhecimento.
Bernard Shaw foi célebre em sua frase: “ O maior pecado contra nossos semelhantes não é o de odiá-los, mas de ser indiferentes para com eles”. Esta indiferença social engloba as páginas dos jornais e de vários veículos de comunicação em que abordam, relatam e divulgam o descaso com o idoso. São vários casos de abandono e maus tratos. A delegacia do Idoso é um destes órgãos que contam fatos assombrosos do descaso humano e, muitas vezes, envolvendo integrantes da próprio meio familiar do idoso. São inúmeras denúncias de abusos e lesões corporais. A palavra ‘respeito’ é sempre o sentimento de esquecimento quando se trata deste assunto. Até porque “idoso” reporta a isto: invalidez, problemas e doenças. É disto que faz lembrar a terceira idade. E quando se fala de maus tratos sabemos que não só nos referimos à violência física, mas sim, à violência oculta. A violência do descaso da que martiriza também na abalo psicológico do idoso. E é daí que brota a negligência e a omissão a estes cidadãos tão frágeis. A memória e a ética da sociedade está totalmente distorcida. Esquece-se que todos nós envelhecemos a cada dia.
Lamentamos que, hoje em dia, a sociedade não está preparada para esta realidade. Isto é fato. Hoje se vive mais porém, sem a qualidade exata de vida. Falta qualidade; falta respeito. Isto tem que vir do berço, ensinar desde cedo o respeito ao idoso e saber que, também, um dia, seremos um deles. Vivemos numa sociedade que vibra o estopim de uma juventude. A sociedade do novo e do moderno. Do digital; da informatização. E esquecem que aquela sabedoria dos nossos mestres, ou seja, dos nossos velhinhos, mostram, a cada ruga adquirida a vivência de um modo ‘artesanal’ de que a vida é feita de coisas simples. Temos direito a isto. Ninguém é lixo. E o que se vê são lixeiras da terceira idade. Isto é lamentável. Por mais leis que se criem falta a fiscalização! Falta a cobrança que estes senhores da sabedoria tem direitos e eles devem ser cumpridos. De nada adianta existir o Estatuto do Direito do Idoso se, na atualidade, não há prática! Alternativas existem, basta exercê-las! Envelhecimento é um fato mundial.

E eu... eu quero ser feliz para sempre com este lindo casal de velhinhos! Será que serei assim? rsrs

sexta-feira, outubro 30, 2009

Conheci este blog e me encantei. Talvez porque as palavras desta pessoa, tenha caído como uma luva para mim. Se faz parte do meu destino, eu não sei. Sei que confundo muitas pessoas, pois realmente, é muito difícil me entender.. aqui vai textos maravilhosos escritos por ela: Mari Dutra.

PRENÚNCIO

"Eu não estranho que aqueles três dias tenham ficado em minha mente como se fossem o prenúncio de algo. É como se fossem os três primeiros dias de uma coisa maior, mas foram apenas.Volto pra casa ainda sem saber como tu tira tanta coisa da minha boca. Era pra sair só saliva, mas vem junto todo aquele sentimento, aquele xingamento, aquele não entendo. Num abraço me desarma e ninguém mais consegue isso – e nossas cabeças fazem que-não-que-não, mesmo que já não saibamos ao certo qual destino negamos. Então me olha e não se de onde tira esse olhar abraçado, que é bem mais que sexo, que foi bem mais que nós, que não diz três-dias. É um desses abraços de aeroportos, que a gente guarda em uma caixa no armário e tem pra sempre, mesmo que a pessoa se vá. E tu vai, como sempre vai, deixando só o eco infantil das tuas palavras.Eu gosto de ti – é, eu gosto de ti, repetindo assim, mais para si do que para mim, talvez por nunca haver pensado nisso antes e – pela estranheza causada – não pretender pensar nisso depois daquele momento. Se já o havia deletado do celular, não havia porque não deletá-lo de minha vida, tão pequeno, tão breve, tão cafajeste fora que eu queria mesmo acreditar que eram mentira aquelas palavras bonitas que esbarraram em mim. Quando tento entender, penso que talvez, nos relógios do universo, eu tenha me atrasado um pouco, ou andei demais na contramão. " - Mari Dutra - http://primeirafeira.blogspot.com/

quinta-feira, outubro 29, 2009

Mulheres brasileiras e a imagem lá fora

A internet é a grande ferramenta do século! Está aí! Aproximando povos de diferentes culturas e também, unindo corações. Quantas histórias já foram contadas. O leque de opções variam com o grau de preferência do usuário. O Netlog veio assim: Com entrevistas, perfis de gostos e hábitos e o que se procura, objetivo e lema do participante. Surgem os visitantes interessados, sempre, seguindo o rigual: perguntando se há MSN para contato. Pessoas do mundo inteiro! Isto que achei um barato! Conhecer cidadãos de outros países. Porém, o que venho descobrindo com estes sites que, em um mês de Netlog(existem outros que eu sei. Cito este de exemplo) a imagem que nós, brasileiras, temos lá fora é assustadora. Isto já me aborreceu muito e me preocupou também em conversas no msn: a banalização pelo sexo. Atrás deste manto todo, existem rótulos sobre o meu país que gostaria de dividir isto com vocês!
Percebemos que, nos últimos anos, a sexualidade imperou na mídia. E, o seu espaço nestes veículos de comunicação ganharam uma força soberba. O que esqueceram é que para toda esta difusão faltou a ética e a coerência. A falta de bom senso tem influenciado tanto na mente dos expectadores que levaram, infelizmente a banalização pelo sexo deixando um lado vulgar e triste para a nossa realidade. Big Brother que o diga! Fazer ‘amor’ embaixo de um edredom, sabendo que milhões de telespectadores o assistiam, não levava a na-da no pudor dos protagonistas! É a própria inexistência da palavra, “respeito”. E aonde entra as brasileiras neste contexto? Bom, não preciso explicar para meus conterrâneos pois já sabem o nosso valor. Meu desabafo é para quem nos vê de fora. A fama vulgar é de doer a alma... A vigor da internet fortaleceu outro segmento: o do sexo virtual. Segundo pesquisadores é assustador o número de adeptos a esta ferramenta. Há todo um contexto de conduta, meio social e psicanálise do pisquê de quem vive ou sente prazer perante a uma tela! E nisto eu percebi em raros bate papos no MSN. Quando via que o assunto era esta, vetava na hora! Contato excluído na hora. Gente! Onde está o lado sinestésico da pele ou da troca de olhar?!! Cadê o toque? Sei lá...tanto cenário por trás que ficaria louca desvendando. O que não permito e o que não aceito é esta imagem que dizem de nós, brasileiras! Me parece que isto não tem fim. Não existe preocupação em estancar, em mudar a imagem do Brasil. Isto é um assunto que merece muito a atenção. Porque a sociedade perdeu os valores e princípios dos nossos tataravós? Por quê?, pergunto. Pela repressão da igreja? Porque depois das guerras surgiu o ‘paz e amor’ do Woodstock? Porque as mulheres resolveram serem iguais aos homens, abolindo, por exemplo, o estereótipo do ‘sexo frágil”? Porque o romantismo saiu da moda? Ou porque família é hoje uma instituição falida? Gente! Socorro! Cadê a Cinderela, a “Uma linda mulher” que conquistou o gélido coração de Richard Gere? Onde está o respeito e o romantismo? Jesus! Me abana porque é muito triste ver este desapego total aos princípios mais nobres que um homem poderia ter perante a uma mulher. Tenho nojo do que a mídia expõe de nós brasileiras. Odeio funk, tenho pavor daquelas saladas fúteis-humanas de frutas: Mulher Melancia, Mulher Moranguinho, Mulher Pêra! Ora bolas! O que é isto???? E o pior: é esta a nossa imagem vendida lá fora... É tem uma parcela, na intenet, triste de homens e mulheres que usam seu próprio corpo, para atingir sua “pseudoliberdade”. Ai! Quanta aberração!
A nossa imagem, lá fora se refere a: Samba, bunda, carnaval(traduzindo: festa da carne) e Pelé! Acordem! Temos muito mais que esta “cultura de banheiro”!
Se houvesse um processo de ética canalizando bem e filtrando, mais ainda, estes devaneios das fantasias, mesmo sendo virtuais, não teríamos esta lama de assuntos; a este tema: sexo. O ser humano está cada vez mais individualista.
Eu protesto e eu não aceito esta imagem de nós!!! Somos mulheres de garra, lutamos muito, somos de fibra, batalhamos muito para sobreviver, temos muito sentimentos, somos sensíveis, gostamos do que nos conforta e acalenta nosso coração. A maioria, deste meu imenso país chamado Brasil, são as mulheres que comandam um lar. Sim! Somos chefes de família! São elas, as guerreiras, o pai e a mãe em relação aos seus filhos. Somos, sim, inteligentes e, também somos comoventemente, ma-ra-vi-lho-sas! E ainda há hipocrisia de nos rotular como objetos do sexo sujo e idiota. Resumo, portanto, para vocês o mantra da brasileira: A verdadeira beleza de nós mulheres, está não só em nossas formas e misturas de raças. Está na personalidade, está nos nossos sonhos, em nossas habilidades e, principalmente na nossa história de vida.

Brasileira sim! Com muito orgulho e, acima de tudo, com muito RESPEITO!
“ O TEMPO DIZ TUDO,QUEBRA REGRAS,NOS PÕE A PROVA,NOS ABRE OS OLHOS E NOS FAZ ENXERGAR QUE NÃO EXISTE NADA MAIS IMPORTANTE QUE O AMOR”...

segunda-feira, outubro 26, 2009

Amizades novas, mundo novo e intrigante...


Ultimamente tenho participado de um site muito bacana. Cheio de amizades novas, pessoas interessantes e, principalmente conhecendo o modo de viver e pensar destes amigos virtuais de outros países! Portugal bate o record! E o mais bacana é descobrir as culturas, costumes, saber que eles são tão legais... Porém, nem tudo são rosas... Me preocupa saber da imagem que o povo brasileiro tem lá fora. Principalmente sobre comportamento socio-cultural. Aqui, eles acham que é tudo no oba-oba. Complicado dizer que um país tão grande como o nosso as culturas são pra lá de distintas. É muita riqueza de etnias! Mas eles não sabem...

Primeiro contato é sempre assim:
“ – Tens msn?”

Segundo contato:

" – Aceita a web cam”

Querem ver de cara teu fisiquete, saber se é você mesma que está ali atrás da tela, saber se és linda, espelta enfim: Uma Brigitte Bardot
Logo eu? Rsrs Eu não pertenço a nenhum padrão de beleza feminino universal. Tá. Tudo bem, reconheço que sou fotogênica, mas gente...eu sou gorda!!! Rsrs Gordinha, carinhosamente dizendo. Tem gosto pra tudo. Mas isto eu fico intrigada com a vontade da galera de se ver. Teve um mais ousado nas perguntas que mandou, estes tempos, eu me afastar para me ver inteira. Achei aquilo como se eu fosse um produto do Imetro para ser avaliado nas medidas padronizados. Já digo! Não sou! Agora, o que não falta é vontade de conhecer mais e mais amigos. Coração? Ah, isto é um departamento complicado de explicar aqui. Chegar aos 37 anos e não ter histórico só se eu fosse múmia. Todo mundo tem uma carga. Mas por trás de uma tela sempre tem “N” máscaras. E isto fica complicado desvendar, tudo. Algumas coisas com o tempo mato a charado: ou fica mesmo meu amigo ou descarto na hora. Deleto!
E estou adorando esa novidade virtual! Cada amizade. Alguém que conquistou e cativou meu coração..tudo... Sei da minha realidade, de distâncias...Fica tudo muito claro que, o que vale é conhecer pessoas tão bacanas mas que estão do outro lado do mundo ou da cidade... O que remexe são os enredos. Muitos segredos! Já eu não. Não escondo nada. Falo o que sinto, o que penso e principalmente, o que não espero! Tá aí! Internet aproxima muita gente bacana.
O resto?
Como diz a cantora Simone que anda fazendo sucesso com a música “Migalhas”:

“ - Sinto muito mas não vou medir palavras... Não se assuste com as verdades que eu disser quem não percebeu a dor do meu silêncio, não conhece o coração de uma mulher... Nem um pouco do muito de um prazer ao seu dispor quero ser feliz; Quem começa um caminho pelo fim...Perde a glória do aplauso na chegada ... Como pode alguém querer cuidar de mim...Se de afeto esse alguém não entende nada... Quero ser feliz, não quero migalhas do seu amor!”

Bem o resto...
fica por aqui...
Deus é que sabe...
E você?
O que acha de tudo isto?

segunda-feira, outubro 19, 2009

Um alerta

Olha, eu já vinha há um tempo querendo contar isto no blog só que sempre protelava. Era para confessar este meu medo da loucura que anda o trânsito de minha cidade. Também, pensava em relatar o que despertou em mim de tanto ler em jornais. E hoje, em pleno jornal Zero Hora leio o que vem chamando a atenção das autoridades de trânsito:
A crescente queda de veículos no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre.
Só este ano foram nove carros. A maioria(óbvio), associado ao excesso de velocidade. Isto tem me levado a ter uma certa trava, ou mesmo, me levar a manter meu carro sempre distante do lado do arroio. Estes tempos dirigia bem encostada na via do Dilúvio. Olhei pelo retrovisor e vi meu anjo dormindo na cadeirinha. Do nada, a imaginação de ver meu carro voando para o arroio e eu desesperada tentando tirar o cinto da cadeirinha do meu filho fez eu ter uma falta de ar muito sinistra. A cena que rodava em minha mente foi tão angustiante que me senti mal e passei imediatamente para o outro lado. Agora, graças a Deus, existe um projeto de implantar mais cinco pardais e instalar guard-rails nos pontos mais críticos. Está feia a coisa!

quarta-feira, outubro 14, 2009


Hoje estou saudosa. Tenho acompanhado o crescimento de minha sobrinha Shayene e acabo relembrando meus tempos com o meu pequeno João Vicente. Ontem, ele dormia e eu o zelava. Pensei:
" - Nossa, meu bebê cresceu!"
Como é rápido o tempo, como ele tá lindo, querido e agradeço, sempre, a Deus por ter me dado tamanha felicidade. Só não admito ver ele sofrer. E como já vi isto acontecer só eu sei o dor que senti. Mães sempre querem carregar o sofrimento de nossos filhos. Farei o possível e o impossível por ele.
E estes percalços?
Faz parte!
Bem vindo a Vida!
PS: Numa destas fotos está ele ao lado do irmão dele, Rodrigo. Na outro meu anjo dormindo.

sexta-feira, outubro 09, 2009



Nos últimos dias meu filho passou por um quadro de conjutivite. Problema pequeno perto e comparado de quem já teve pneumonia, catapora entre outras mazelas da infância. Não sei explicar. Algo me aborreceu de tal forma que até em mim aflorou minha bronquite. Dormi a semana inteira de nebulizador. Foi a gota d'água para mim. Tanto cuido, tanto protejo meu pequeno João Vicente e tenho a impressão, as vezes, que de que nada adianta cuidar...cuidar... Aí é que pega. Então, procurei uma benzedeira esta semana. Chegando ao local descobri mais uma informação de que esta Sra das ervas(sim, durante a pronúncia dos conjuros sentia um cheiro gostoso de natureza mesmo. Arruda! Ararutaaa!). Ao final esta senhora me diz:
" - Tudo que fizerem pra ti; teu filho que pega, sabia? Cuide muito bem do que você fala. Tem muito inveja pra cima de ti"
Portanto, a benção das palavras foram para mim e para o meu filho. Entendo. Há quem não acredite, porém, para mim benzedeiras são aquelas senhoras que mantêm a tradição aprendida no interior. Da reza de expurgar o olho gordo...de tudo, na verdade. Buscam curar os males que atingem corpo e mente de quem crê na força da oração. Cada um com sua fé! Eu fui atrás da minha! Todas evocam algum santo para tal enfermidade ou quebrante. Para nós religiosos: "Maior que qualquer santo é a fé de quem procura a bênção". ISTO É PREMISSA! A inveja é o maior mal do mundo. Tá na Bíblia!
Diz os mais velhos que a benzedeira enxerga o mal que atormenta os outros. Se fortalecer espiritualmente é se sentir, automaticamente, completa! Busco isto últimamente.
Meu pequenino tem o Santo Guerreiro, São Jorge, como seu protetor. Nosso SÃO JORGE. Depois da benzedeira tá na hora dele ir na Casa de Nosso Deus. Ele adora ir lá(vejam, nesta foto, que anjos sempre se sentem em casa no lar de Deus). Vou este finde na São Jorge. Agradecer! Pedir a benção e conversar muito com o meu guerreiro. Preciso de sua força a partir de agora; mais ainda.

Melhor para mim


Queria ter a certeza de que, apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou e não porque quer que eu seja. Não consigo, não sou, não posso, não quero. Será que respirarei de novo? O para sempre; sempre acaba.
Ouvi esta música. Espero que seja um reforço de tudo que venho buscando: A minha paz. Mais uma etapa. Até quando isto persistirá? A música fala: Mudaram as estações. E eu digo: Mudaram minhas forças. Me tornei chata mas fiz isto por mim e pelo meu filho. E vai doer. Ai... Azar, já passei por tantas coisas. Uma a mais não fará eu entrar em desatino. Meu amor de mãe fala tão alto.... Olho para tras e vejo todos os percurssos que vivi sempre com um grau de dificuldade. Faz parte! Está dentro do quadro! Inclusive teve algumas situações que achei que era uma derrota. Hoje já não enxergo assim. Na verdade veio para me proteger. Um destes exemplos é ficar um tempo na casa de meus pais. Depois de quase cinco anos morando sozinha ter o calor humano deles junto com a felicidade do meu filho tem um preço de conforto na alma. Mas lá dentro de mim há algo que culmina, que queima, que verbaliza, sindicaliza e - porque não - chora. Hoje sei que foi o melhor para mim. Araruta!

quarta-feira, outubro 07, 2009

República Federativa do Brasil! UHUUUU



Eitchaaa! Uhuuuu! Somos nós! É a hora! 2016 à vista! Lula se emocionou e não era pra menos. Vai ser a menina dos olhos para muitos horizontes como, na área de economia e turismo. As Olimpíadas, que ocorrem a cada quatro anos, ganhou de braços abertos não só a alegria do Cristo Redentor como a da nação inteira brasileira. Como se não bastasse, mesmo sendo para 2016 já borbulha em todos os segmentos que possamos imaginar o empenho, o esforço, o trabalho e também um toque de humor(porque somos o povo mais alegre do mundo- veja a foto) sobre este evento. Empresas de Informáticas, por exemplo, já são requisitadas sobre programas para os jogos olímpicos, filhos de medalhistas esportivos buscam o espelho de seus pais, crianças e jovens anônimos estão suando a camisa para dar mais orgulho em serem brasileiros! E eu aqui, como amo o meu país deixo um pedacinho da minha felicidade no meu satélite! Quem sabe até lá o João Vicente estará com seus 10 anos de vida(Araruta) e eu não estarei trabalhando de voluntária no Rio de Janeiro! Ninguém sabe do amanhã! Rsrs Tem que ser voluntaria, né? Pois para atleta....”quanta” diferença...

É nós Brasil!

segunda-feira, outubro 05, 2009

Palavras


Eu não me escondo nas palavras, moro dentro delas.(Carpinejar)