quinta-feira, junho 14, 2007

FOI COISA DE DEUS







Tem fatos e atos que, sem haver alguma justificativa, não soubemos explicar. Porto Alegre, 14 de junho de 2007. Completando o nono dia de chuva. Tanta chuva que fez minha paciência de ficar somente em casa fosse para as cucuias...
Fui almoçar, junto com meu filho, na casa de meus pais para depois ir passear.
Passear? Nesta chuva? Com um pequenino nos braços?
Louca...
E quis sair...
Passear...
Fiz isto por dois dias seguidos.
Fui advertida devido ao meu bebê.
"- Tá louca sair neste tempo?", me xingavam.
Foi o que mais ouvi.
Hoje era para eu ficar em casa.
Mas não.
Quis sair.
Para a minha companhia e de meu amado João Vicente, chamei a dinda Patrícia.
E né que deu problemas?
Houve discussão e me 'proibiram' de ir ao shopping com o João Vicente.
Não sabia explicar a teimosia de querer sair...
Para evitar uma briga, minha irmã, no silêncio, tomou a chave do carro e disse:
"- Vamos Fabi, que vou te levar para a tua casa!"
Sem o que fazer, calei-me e obedeci.
Que nada!
No carro ela disse:
"- Não costumo fazer isto. Mas vamos passear e comprar aquilo que tu tanto queres!"
E fomos!
Minha teimosia e a contundência de minha mana fez com que, várias vezes no carro, houvessem minutos de silêncio absoluto. Mateus, astuto sobrinho, também estava junto.
E a chuva mandando, de balde, a água.
Silêncio.
Ninguém explicava o porquê de teimarmos nossos pais. Nem eu sabia porque 'cargas d'água' eu inventei de almoçar nos meus pais se o tempo tava tão fechado, úmido. E fui.
Ao voltar o susto.
NO MESMO ANDAR, DO MEU BLOCO, UM INCÊNDIO CONSUMIA O APARTAMENTO DE UM CONHECIDO MEU.
PÂNICO GERAL ENTRE OS VIZINHOS.
NEM TIREI O JOÃO VICENTE DO CARRO.
NÃO ACREDITAVA NO QUE VIA.
O FOGO DEFENESTRAVA UM APARTAMENTO E ATINGIA OS DE CIMA.
RESOLVI NÃO FICAR POR HOJE LÁ. A FUMAÇA FOI ENORME, O ESTRAGO MAIS AINDA.
A CAUSA?
UMA MESMA TOMADA COM VÁRIOS FIOS INTERLIGADOS E UM COMPUTADOR FUNCIONANDO. DETALHE. O MORADOR, PROPRIETÁRIO DO APARTAMENTO NÃO ESTAVA NO LOCAL. MAS HAVIA DEIXADO LIGADO O SEU PC.
CHEGOU AO LOCAL EM ESTADO DE CHOQUE.
ISTO FEZ COM QUE REDOBRASSE A ATENÇÃO ÀS FIAÇÕES ELÉTRICAS E O ESPÍRITO DE CONSCIÊNCIA ENTRE OS VIZINHOS.
EU E MINHA IRMÃ NOS OLHAMOS E FALAMOS JUNTAS:
"- FOI COISA DE DEUS!"
HÁ MISTÉRIOS ENTRE O CÉU E A TERRA EM QUE A NOSSA VÃ FILOSOFIA NÃO ALCANÇA.
Não soube explicar ter deixado minhas janelas abertas(isto ajudou a tirar o cheiro de queimado do meu apartamento).
Não sabia explicar a urticária em querer sair.
Nem a minha irmã em ser conivente à minha teimosia...

Foi coisa de Deus...



5 comentários:

barata disse...

omg como isso PC?

q doidera :S

Tio Rogs disse...

Oi querida! Muito bom te ver bem, lindo filhote, sadio!
Eu sou cético quanto a intervenção de Deus na vida humana. Cético como uma galinha, como um peixe, que acham que tudo na vida é milho e isca.

Tio Rogs disse...

Ah, tem o carinho, um beijo, com amor fraternal, pra vc e pro pimpolho!!
O amor é um remédio pra todos e pra tudo!
:)

satélite abduzido disse...

Raiar! que felicidade te ver escrever aqui! foi o computador ligado! que horror, né? bju

satélite abduzido disse...

Viu tio Rogs! tens que visitar para ver o meu pixote inocente! saudades, FAbi