quinta-feira, abril 05, 2007

Pequenos atos, grandes prazeres




Depois de alguns contratempos, que me fizeram tirar a paz interior, resolvi brindar o que muitas vezes, nem conseguimos expressar o quão são valiosos. Foram fatos que me fizeram parar pra reavaliar – mais uma vez – algumas questões.


Passei, então, a perceber pequenos e habituais prazeres da vida...


Percebi o quão é gratificante, depois de um dia tórrido da Forno Alegre, chegar em casa e tomar um bom banho gelado para depois, curtir deitada vagando com um controle remoto, os canais televisivos.


Adormecer, na sua própria cama, enlaçada com vários travesseiros... Algo ‘muito nosso’!


Bater a vontade de comer ‘aquela comida’ e ir para a cozinha fazer(a realização gastronômica é bárbara!).


Beijar a boca mais intrigante e sensual do mundo. Sentir, junto a esta alquimia salivar, as mãos percorrendo seu rosto, elevando simultaneamente os cabelos para sustentar, aquilo, que chamamos de desejo a um beijo único e raro!


Algo sem regras numéricas de tempo...


Até porque, são nestas horas que o tempo pára, literalmente...


Ahhh... os cinco sentidos... Todos tem o seu valor...Ouvir, cheirar, provar, sentir e ver... Interaja eles num só momento sublime pra ver que sensação surreal transmite. É inexplicável!


Rever um álbum da infância( o pensamento vira um Trem Bala)!


Eu poderia ficar horas pensando sobre outras coisas assim. Só que to assim hoje... melancólica... zumbizinho da noite... saudosa... Por enquanto sou eu e o silêncio. Dentre alguns dias terei outras sinfonias, outros momentos que ocuparão o que chamo de curto-circuito da razão. Preciso valorizar o que ta a minha volta e não a distância.


Mas um dia serei ‘grande, o suficiente’ e não reclamarei de pequenos problemas...


Grandes felicidades eu já tenho e lembro-me sempre de agradecer a Deus por elas.


Obrigada, Senhor, sou feliz.




2 comentários:

Paula disse...

Fabi! Passei aqui rapidinho só pra espiar uma foto tua barriguda q a Anete me disse q tinha! nem li nada! hahaha mas depois eu leio! eu tô com quase 36 semanas, queria marcar alguma coisa pra gente se encontrar, o povo bebê cervejin e nóis suquin! q tu acha? eu fico imaginando a gente comentando as caimbras horríveis e doloridas no meio da noite, as espetadas de agulha na bixiga e se matando de rir!eclaro,falando da sensação maravilhosa de ter um "serzinho" se mexendo dentro da gente! se for gatão,quero elepra genro!!! beijo, beijo!

Porta Voz disse...

Só espero que essas duas não inventem de parir no mesmo dia! Haja coração!!!!