segunda-feira, maio 17, 2010

Será um sinal?

Hoje acordei com um aperto no coração. Era um sonho muito do louco, meio sem pé nem cabeça, sabe? E neste enredo estava uma amiga que não a vejo há muito tempo. Não porque moramos distantes, ou porque um dia deixamos de nos falar, simplesmente porque aquela amizade doce, colorida com cheiro de bergamota em bate-papos na calçada de casa acabaram(ou deram um tempo... tudo é muito confuso pra mim). Até regamos por muitos anos os nossos laços afetivos mas algo aconteceu para que isto mudasse. Vida adulta? Talvez...sempre tive meus tics de adolescente. Lembro que sempre ríamos que o mundo podia acabar mas a nossa amizade sempre sobrevivia a tudo e todos.
Só que de um tempo para cá eu percebi que tudo havia mudado; que aquela fé em manter a fidelidade de ligações, e-mails e encontros se foi por questões matrimoniais dela e eu por questões maternais minhas. Parece que o tempo não cedeu tempo para nós ou algo pior aconteceu. E isto que eu temo. Bem vindo ao mundo dos adultos! Ah, isto eu sei...
A vida nos impõe regras, horários e compromissos. Não podia romper assim. Mas eu sou da premissa, mesmo sendo amizade, que devemos deixar nossos entes queridos voaram. Voarem pra longe, mesmo que não voltem. Liberdade é tudo. Então, homeopaticamente passei a não ligar mais, não mandar e-mails... não procurar ter contatos até para ver se isto geraria um impacto. E só eu sei como isto me dói.
E não rsrs
Findou mesmo. Não tive mais sinais! Que loucura!
O que não impede que eu tenha um mega carinho por ela. Mato a saudade nos sonhos ou em fotos! Amizade é importante. Fora isto ou melhor, aliado a isto, surgem novos personagens, outros amigos, velhos(também) amigos que deixaram uma sementinha de amor em nossos corações. É destes que troco idéias, que compartilho momentos bacanérrimos e vivo em paz amenizando esta ausência. Só nada impede, no entanto, a saudade que sinto desta minha amiga que hoje, surgiu em meus sonhos. Será algum sinal?

3 comentários:

Eduardo Montanari disse...

Esse seu texto me deprimiu. Eu tenho uma dificuldade grande em me desapegar de amigos de quem gosto muito, ou amo. Por muito tempo tive a ilusão de que o amor e as amizades são eternas, mas hoje perdi essa esperança. Não fico mais esperando amigos do passado. Cada um segue seu rumo. Por mais que procure entender que isso é natural, não consigo deixar de ficar magoado.

satélite abduzido disse...

Ai Eduardo, please...não fica assim. Eu também tenho esta dificuldade de desapego a amizades. Fui forçadamente a aprender com a vinda do meu filho. Isto mudou muito. Aliás, é notório nas mães relatarem isto 'passei a enxergar a minha vida de outra forma depois que meu filho nasceu". É mais ou menos por aí. A amizade é como uma rodoviária. Uns partem; outros chegam... triste. mas penso assim. Alías, aprendi a pensar assim...

Sonia Pires disse...

Eu penso que tem algumas amigas que mesmo distantes ou que a gente fale poucas vezes, quando a gente revê tudo volta: a intimidade, o carinho, então nem sempre a amizade se perde pela distância e quando se perde é porque não era tão grande assim. Ou de fato os caminhos e as estradas da vida fazem as diferenças aparecem.
Beijosss