quinta-feira, maio 13, 2010

Enosados


Coisas que eu sei – advinho - sem este alguém sequer te me confessado. Há fatos que são óbvios numa situação que vivi este mês. Existem pessoas e pessoas; gregos e troianos. Cabeça e sentimentos pensantes(sim! Os sentimentos também confabulam). Homens e mulheres procuram ludibriar com palavras, frases vagas, sem posição alguma justamente com medo de se expor ou com medo de realmente falar a verdade. Até porque a sinceridade dói em algumas situações.
Muitas vezes, doer não é para aquele que verbaliza e, sim, para aquele que está sedento a ouvir uma resposta do porquê de tantas indagações. O passado realmente é uma caixa de surpresas. E quem espera ouvir a resposta exata, correta para afogar, de vez, todas as dúvidas que adormeceram enterradas com a história que findou uma nova fagulha, vem, do nada, uma nova fagulha. É lançada uma nova dúvida.
Destino, amor? O quê será? Se soubesse....Estaria comemorando... E não sei... Como me dói isto. Como confunde!
Eu esperei pela resposta e esta não me foi dita. Infelizmente. Talvez porque a verdade dói? Viver já é uma aventura, amar mais ainda! Não há ser humano que não tenha se machucado quando ousou em amar.
Há seres que entrelaçam dedos, que estalam ossos, que melindram em frases homeopaticamente pausadas ou olham para horizontes buscando uma fuga. A psicologia explica o dito pelo não dito. Mistérios de um divã virtual que deixo aqui exposto.
Fica a pergunta:
Porque certos destinos são tão enosados? Somos nós a agulha para alinhavar o que ‘achamos’ por correto ou somos insistentes aprendizes que persistem em fatos sem respostas. Nossa, fui profunda hoje. Mas tenho tanta dúvida sobre isto! Porque não formaliza com o arroz com feijão do tipo: “ - Seguinte, eu te quero e pronto!
Mulheres que são complexa e que são profundas! Mas como não ir a fundo para tanto mistério?
Chama Nossa Senhora Desatadora então!
Socorro.
Destinos são tão complicados; tão ‘enosados’!
Juro. Não sei o que falar! Porque este passado sobressalta do nada?
Eu sou de carne e osso, eu sou uma mulherona que adora ser menina que se embala num balanço. Eu sou Joana Dar'C mas também sou conto de fada. Eu acredito no simples. Somente isto...no simples. Será que fui clara?

Um comentário:

Anônimo disse...

Fabi,
a resposta p/ esta e tantas outras dúvidas e indagações está no autoconhecimento! Bjs e desejos de progresso em todos os campos da tua vida,
Tua mana! (*_*):-)