domingo, agosto 27, 2006

Almas Gêmeas. Você acredita?

Certo dia, um amigo me disse: “Dessa pipa não sai vinho”.
Ta aí, não sai vinho e por quê?
Por vários motivos... Argumentos, baseado na antropologia masculina que, segundo uma, também, conhecida amiga minha, fundamenta a infidelidade masculina como uma “necessidade fisiológica de Sheik”, perante ao legado feminino(negando sempre, óbvio!). O certo,é que paixão não escolhe, o melhor, para nós... E o que dizem os poetas? Estes, adoram falar em alma gêmea. Eu, certa vez, achei que tinha encontrado a minha alma univetelina. E o tempo provou que não. Nossas almas eram bivetelinas. E por que, mesmo assim, tentamos, sempre encontrar a nossa ‘semelhança de carma”? Bom, ninguém quer viver sozinho, correto? Sim... Eu tinha visões lindas de uma vida repleta de tradições, como noivado, casamento, casa, filhos, netos... família. Hoje, lamento, por haver tantas cobranças em ‘ser diferente’. Estas arrecadações dos “deveres do destino” senão são surtadas por nós; são pelos outros. Ninguém aceita ser um “apenso à tradição”. Agora, confesso que nos meus sonhos tudo é lindo(e falei tudo! Sonhos...). Como diz Ennis Gibbs “Sonhos são gratuitos. Transformá-los em realidade tem um preço”
E no ressoar deste universo de linguagens freudianas à alma gêmea, que paramos para refletir que a Vida é um condão mágico. Ninguém sabe o que nos espera. Agimos inconscientemente o que se diz ‘correto’ em nossas leis ou estagnamos, no presente, sem ter forças ou razão para viver. Ninguém conquista a resposta certa! São os mistérios que invadem, feito avalanches, no nosso Eu. No kardecismo, falar de alma gêmea tem, como ótica, que ambos tiveram um passado, em comum. Um elo, uma ligação que vai além do conhecimento humano. Viveram a mesma vida noutra encarnação e, de alguma maneira, tentam se encontrar para este todo e sempre destino derradeiro. Transcende esta vida, entende?
Há físicos, que dizem que somos partículas de uma grande estrela que, um dia se partiu... Estas poeiras estrelares estão espalhadas por este mundo. Uma a uma procurando o seu par, enfim, o seu amor...sua metade.
Dizem que quando nos cruzamos com nossa alma gêmea, na hora, sabemos que há muito além da contemplação visual. O olhar diz tudo, a abdução ao ambiente presente faz parte e o deliciar de cada movimento prestado parece eterno. O mundo pára, literalmente.
Alguém já sentiu isto?
É um choque de imagens...
Eu passei por isto, certa vez e, confesso que esta pessoa mexe comigo até hoje. Isto que me corrói... Me castiga a esta submissão de carma. Ele não é para mim, não pertence a mim. Ambos se gostam, mas sabem que pertencem a universos diferentes...
E não adianta...
Num sopro de movimento, num local festivo cancelado ou num entremeio do destino, o encontro vem. É eu vê-lo na minha frente, que vem tudo de novo... Ambos não sabem explicar, até hoje, os motivos que levam a tanta atração, mesmo com tantas decepções.
Concordamos, em nossas visões, que o matrimônio é uma instituição falida... Em toda a conversa que colocamos, a par, o que sentimos sempre vem a confusão de não saber o porquê, que em pleno 2006, ainda, temos este ímã.
Desde que o reencontrei tentei fugir...escapar! "Patifei’, fui predadora, tentei namorar, achei ser apaixonada por outros personagens, que cruzaram meu enredo e, onde pararam, no final das histórias, os meus braços?
Nele...
Este mês está fazendo um ano que nos reencontramos.
Detalhe que “o choque” dos nossos encontros é sempre, da mesma forma. Hipnotiza, quebra protocolos, acaba confundindo a cabeça de um e de outro.
Únicos...
Que charada eu tenho que decifrar... Logo agora, que minha idade pesa em meus sonhos maternais??? Dizem que me precipito em meu relógio biológico...
Então inspiro e silencio.
Quieta e vulcânica nos meus pensamentos.
Por isto que falo tanto do presente, de viver o momento e curtir “o agora”...
O amanhã, ainda é uma incógnita...
Ainda busco o que ele me representa.
Sinto e lamento que se pelo orgulho, pelas normas, tradições deixemos que esta oportunidade nos passe.
Debatemos muito isto.
Mas se perdê-lo ou, eu mesma, largar fora deste sentimento, temo o pior...
Tem sinais que a vida lhe dá que, se perdido, jamais recuperaremos durante toda a vida.
Ainda mais numa segunda chance...
Iremos recordar a hipótese perdida, de ter sido feliz e, então, será preciso mais uma encarnação para que nossas almas se encontrem.

2 comentários:

BB disse...

é isso aí. vive o hoje, esquece o passado e não te preocupa com o amanhã. o hoje pode ser eterno, só depende da gente mesmo...
bjs de um BB abatido, seriamente abatido por um ontem que marcou e um hoje que chegou cheio de saudade do que passou.
BB

satélite abduzido disse...

entremeios do destino!