quarta-feira, agosto 16, 2006

Cosmopolitas do Samba














Sexta-feira, 11 de agosto. Local? House Pastelaria, em pleno bairro Santana! Era um dia de festa que comemorava o aniversário do carismático Cecé. Um encontro de cosmopolitas do samba portoalegrense. Na minha chegada uma surpresa. O Walter desmaiou em sua picareta bateria. Carga detonada. Diagnosticada por Alemão Charles que, segundo ele, era o provável motivo do espasmo do pobre Walter. Passado o contratempo fui assistindo a chegada dos convidados. A mesa de samba, previamente montada, recebia solidariamente grandes sambistas da capital. Um a um, chegava, sentava e dava a sua canja. Todos, emprestavam sua voz ou o seu dom musical homenageando grupos e cantores como Quinteto, Candeia, Beth entre outros terminando, sempre, com a verbalização da união, amizade e saudação ao samba, como tótem do evento. Deixou claro que era uma noite especial. Sim! Foi diferente pois, em muitos momentos, tive a impressão de estar em uma espécie de “sessão espírita do samba”! A imortabilidade dos ancestrais do samba estava presente naquela noite... Algo surreal e, para quem tem esta afinidade com a música, percebeu a magia de algo que, nem “o céu e a terra faria com que a nossa vã filosofia alcançasse”. Me arrepiava em muitos momentos nesta homenagem ao universo popular carioca. Percebi, certas ‘abduções’ dos músicos, alguns em transe; já outros na maior adrenalina musical. Uma corrente tão forte que fez com que, aquela ceia sambística não parasse, um minuto sequer, por quase seis horas... Nasceu meu primeiro cálo em minhas mãos! Só queria tocar. A gente se surpreende a cada dia com alguma coisa nova. Foi bom! Na saída, Walter já restabelecido, funcionou. Ganhei algumas dicas do Alemão e fui para casa! As cinco da manhã, cansada porém, feliz!
PS: Recebi algumas fotos de Porta-voz! Escolhi estas quatro, bem no início da festa. Eram quase onze horas... tudo prometia...! Vaidades de Satélite, na escolha da fotinho...se pudesse colocaria as 200 registradas...e não dá... Presença de Michael, voz e pandeiro, Alemão Charles no cavaco, Max no violão, Cecé no tãn tãn, Porta-voz no tamborin entre dezenas de ilustres tribos de sambistas..

2 comentários:

Anônimo disse...

Imagino que ocê seja essa mulher linda que toca esse pandeiro, é não?

satélite abduzido disse...

quem escreve? hum...