quarta-feira, agosto 02, 2006

Meus gatos e o frio






Meus gatos sentiram o frio de uma forma avassaladora nestes últimos congelantes dias. Barthô, que sempre foi sisudo e orgulhoso, nunca se aproximou da minha cama à noite. Agora, vítima da mudança climática, aproxima-se da cama, se acomodando com sua ioga carocol antes mesmo de me deitar. Por sua vez, Mizy, meu gato azul-russo, sempre o rei de minha cama, fica angustiado com a presença do irmão em “seu trono noturno”, perambula pela casa angustiado. No ápice da madrugada, mia todo choroso. E como mia!!! Mizy, mia como se fosse o último felino da face da Terra. Aliás, falando em “miar” isto lembra meus amigos que ultimamente dizem que ando miando... Me chamam de manhosa, dengosa... Será que é a convivência com felinos? Sei lá, não duvido nada... Inclusive ando me identificando muito com esta espécie! O desenho do gato negro acima é um projeto de tatuagem que farei em meu braço direito. Não é lindinho?
Bom, voltando ao meu carinhoso Mizy, para abrandar seu ‘suposto sofrimento”, foi a segunda vez, como nesta madrugada, que levanto para pegá-lo no colo e levo-o para a minha cama. Para mantê-lo perto de mim, o abraço até este relaxar. Quando se sente seguro em meus afagos e, principalmente, quentinho mergulha rapidamente embaixo dos cobertores e dorme, feito um bebê, abraçado em minha perna... Um amor... Segunda noite que faz isto...é o frio que tanto reclamei que não vinha!

7 comentários:

BB disse...

Ahãm.
Tudo tranquilo em BB City.
Podes adormecer teu sono sonhado franjado de estrelas.
Nada te perturbará mais do que o silêncio dos teus próprios pensamentos.
Acordei profunda hoje...
BB

Porta Voz disse...

Mas teu Mizy já te trocou uma noite, lembras do teu ciúme???

Anônimo disse...

Oi pombinha! Vai uma migalha ai? haha bjss
rogs migalha's man

SM - lisergia todo dia disse...

caraca, não acredito... eu tenho uma gata preta tauada na perna... não viste aquele dia?!

Anônimo disse...

Eu também tinha uns gatos. Três. Dormiam todos comigo. Mas aí eu bebia feito uma vaca, que vacas bebem muito, saibam vocês. Teve um dia, então, que se deu o que se deu. Um pesadelo horrendo. Eu corria, esbaforido. E o vulto me perseguindo. E como corria, o vulto. De repente, o muro. Alto pra dedéu. E o vulto chegando. Como chegam rápido, esses vultos. Não me restava uma mísera chance. Avancei sobre a garganta dele. Apertei com toda a gana... Ele urrou, esganiçou um chiado de perdão. Segui apertando, que esses vultos custam pra morrer. Acordei com pêlos voando pra tudo quer era lado. Fidel, esse era o nome do tadinho. Os outros dois, assim como os vultos, nunca mais os vi. Tadinhos!

satélite abduzido disse...

Nossa! Que prazer receber meus amigos blogueiros! Pois é BB e Rogs migalha... durmo o sono dos anjos... Mas Rogs, dá um jeito de não se migalha...um já basta! ahahaha Sem condições!
Gata preta? Sério amiga! Pois é...to querendo colocar um gatinho no braço! gostastes deste desenho?
E o comentarista debaixo? hummm ...deixo ter certeza de quem fez esta atrocidade com o felino para falar seriamente... deixo ver...quem será ...

BB disse...

Só pode ter sido algum anfíbio, que apavorado pelo felino ameaçador, esganou o coitado antes que ele fizesse o banquete, oras?!?
eu mereço....