quarta-feira, agosto 02, 2006

O da década!!!!





Carro...
Engraçado... há pouco tempo lembrava de minha faculdade, na Famecos. Aulas de redação com o saudoso Leonan... O assunto era a profissão escolhida, por nós, futuros projetos de jornalistas... Foi quando, numa de suas conversas didáticas e maravilhosas, largou a pérola:
“Jornalista não tem o carro do ano; jornalista tem o carro da DÉCADA!”
Era uma forma, homeopática, de preparar o nosso futuro com o acirrado mercado de trabalho. E, né que tinha razão? Claro que “toda regra tem a sua exceção”... Alguns parcos profissionais da área se deram bem (e põe bem nisto!) no retorno financeiro jornalístico. Embora, tenha ouvida histórias lamentáveis de muitos amigos e colegas, de 'peleia", sobre a forma exploradora e escassa do Jornalismo em geral.
E o carro da década! ahahahah Quem diria rsrs Com esta frase eu tive que me reportar ao meu Walter! Grande professor Leonan...
Que booocaaa! rsrs
Walter...que dá trabalho... mas tem sido parceiro para tudo!
Waltinho meu retrô satélite-móvel, eu te adoro!

4 comentários:

Porta Voz disse...

Não fui aluna do Leonan, mas como boa filha da FAMECOS também, dou mão a palmatória. Ele tinha toda razão. E comigo não foi um Walter, e sim três, prá me enlouquecerem, para me tornarem uma expert em oficina mecânica, graxas e afins!
Mas que saudade das minhas fusquetas, de ter que levantar os pés cada vez que passava em uma poça d'água (assoalho podre acho que é destino de todo fusca), de ter que levantar a saia, sair do salto, toda produzida prá noite, para ter que empurrar o queridinho que resolvia molhar as velas e empacar, de ter que trocar pneu em plena estrada (ninguém pára!) de tão carecas os coitadinhos! Mas foram eles que me apresentaram o mundo da liberdade de ir e vir, e a eles eu agradeço de todo o coração!

BB disse...

Eu tive o famoso "cerejinha". Bahn, tempo bom! Uma vez, apenas uma vez estávamos eu + algumas amigas em plena função na cidade baixa quando o cereja sucumbiu. Havia rebentado a correia e passou um carro lotado de guris que riram da nossa cara e mandaram a gente se virar. Tirei a meia-calça e pus no lugar da correia (manha pensada pelo meu mecânico, que me ensinava a concertar o cereja). Levei todas em casa e ainda cheguei a zsul incólome. Fomos atrás dos engraçadinhos que nos olharam impressionados. Não se aguentaram e perguntaram como conseguimos sair dali. "Com inteligência. Mané que nasceu mané não viram homem nunca." e fomos embora, com direito a cachorrogratis do tio da republica que viu a cena e nos acolheu. E ainda teve o pauzinho de picolé no cabo do acelerador. Coisas que só quem teve fusca sabe resolver...com humor e criatividade! Ai meu cerejaaaaaaaaa.

Porta Voz disse...

Nunca trocou uma bobina tbm Bebê?
E dia de chuva que a criatura ficava sem freio (presta atenção Satélite!!!) e a gente tinha que ir acelerando e freiando ao mesmo tempo até secar as balacas???
Mas depois de várias peripécias e aprendizados comecei a dar prejuízo para os mecânicos! Mas em compensação, agora, carro eletrônico dá baile até em mecâncio experiente! Saudades!

satélite abduzido disse...

Cara! eu só ri com estes comentários ahahahahah vocês são muito engraçadas! adoro minhas minas!