sexta-feira, novembro 20, 2009

Bem me quer....

Tenho algumas amigas engraçadas. Cada um com seu psique, com seu autimsmo contemporâneo. E o interessante que conheço uma(e este post é para ela) que vive encafifada com os relacionamentos cômicos, estranhos e doidos que já vivenciou. E ela vive se questionado. Acho que o travesseiro dela deve cheirar a encéfalos queimados; de tanto que pensa. Busca, alucinadamente entender o universo masculino. Já leu, já viveu, já degustou, já beijou a lona e já se revoltou com suas experiências. E em nada ela busca a resposta exata... Vive se perguntando o porquê o mundo é redondo. Aliás, esta gaja faz trabalhos voluntários em prol da natureza. Recicla tudo; menos o seu passado. Eu não sou uma exemplar ‘persona’ no quesito amor para lhe ensinar; porém aprendi um pouco com o universo masculino.
Um pouco; não tudo.
Os homens tem uma essência básica: não gostou; puxa mesmo. Puxa a oculta carta na manga. Homens não dão ponto sem nó; mulheres enchem de nó um só ponto. Mulheres casam achando que vão mudar o marido; já os homens casam achando que a mulher não vai mudar... E mudamos rsrs
Esta praticidade deles aparentemente fria fez com que eu perdesse um pouco aquela nuance cor-de-rosa que enxergava da Vida. Vez que outra é bom ser turva e misteriosa nas relações. Abrir o jogo é como se disser o final de um filme ainda não visto. Na real, o jogo nunca poderá, por total, ser aberto. E é a isto que garimpo com ela. Um pouco de sal no doce e um pouco de açúcar no salgado!
Ela se questiona tanto que até eu me infecto com ela. Volte e meio saio de nossas perguntando coisas insondáveis. Se ela falasse com Freud, este provavelmente botaria fogo no divã dele.
Tem coisas que negamos pra si; já tem outras que criamos em nossos próprios fantasmas. Tudo para não enxergar que a realidade, o juiz de tudo, está dentro de nós. Libertemos das neuras adiposas, das neuras do passado. E isto que falo a ela. Temos que ser simples e diretas também. Sem, lógico, assustar. Temos que desencanar com pecuinhas que, nós mulheres, inventamos de buscar origem e solução. Usemos, portanto a lógica, o estalar dos dedos, o sorriso no rosto, o humor negro(isto é fato, faz bem vez que outra ser sarcástica) e também a serenidade de que lá adiante; o próximo, será bem melhor! A esta amiga eu peço apenas que sorria para a vida. Tanta gente casada que arrota uma felicidade tão escusa e falsa, gente que se esconde atrás de uma tela apenas para desafogar os entulhos de uma relação supostamente desgastada. O risco que se corre é ser divã virtual destes seres que perambulam em sites de relacionamentos. Eu já a alertei sobre isto. Aí que tá o risco. Bom mesmo é ser molecona, mostrar que é fêmea quando tem que ser, cidadã integral, mãe de todas as horas com todas as bençãos e, principalmente ser humana com os sentimentos mais nobres que possamos usufruir para quem nos faz o bem. Não entendeu? Repito: Digo a ela para Lapidar os sentimentos a quem nos mereça e não a quem nos intriga e nos desgasta. Bem vinda a vida amiga! Viva, esqueça estas perguntas... arregaça aquela manga,sabe? Talvez tu achas algo melhor ainda!
Faça como eles; puxe o zíper e saia fora. Tem coisas muito mágicas do que ficar a catar-caçar interrogações na solidão! Acenda aquela luz que tem dentro de ti e dance! Cante! Viva! Viva! Apenas, viva... É tudo que te peço.
Lembre-se de sua infância: Bem me quer; mal me quer! rsrs

Tereza Cristina, célebre interprete de grandes sambas de raiz diz isto(Aliás, uma boa dica terapêutica e musical ouvir e procurar ter este mp3 cantarolando em nossos ouvidos):


“Eu não troco, não vendo, não empresto nem dou
A paz no coração pelas juras de amor
Quem quiser meu carinho
Terá que provar, amor, provar
Em aventura, benzinho
Eu não vou me arriscar
Só atraco meu barco em porto seguro
Em canoa furada não vou no escuro
Aos meus dezoito anos
Vivi trinta e seis
Chorei, chore
No oceano da vida quase naufraguei
Eu não troco, eu não vendo ....”

Um comentário:

Sonia Pires disse...

Oiii muito legal o texto, gostei. Acho que sei que amiga é essa!!
Beijos