quinta-feira, novembro 05, 2009

O hoje

Já passei muito tempo me perguntando o porquê certas coisas aconteceram comigo nos últimos anos. Fatos que me fizeram crescer embora tenham me marcado. Isto me deixou tão angustiada. Muitas indagações e muitas vezes nenhuma resposta.
Aí pensamos:
“- Simples! Bem-vinda à vida!
E esta semana, novamente(definitivamente) fui incisiva; categórica de quem sabe o que fez. É bom ter a sensação de fortaleza! Eu estou assim. Minha auto-estima saiu da UTI e tenho prevalecido desta arma para enfrentar meus fantasmas. Já espantei tantos...
E, nesta atribulações de sentimentos, decisões e loucuras(que não convém falar) alguém me perguntou:
“ – Fabi, você pretende morar só tu e teu filho?”
Aquilo despertou como um sino. Alguém questionou o que quero do meu futuro. Mesmo me deixando surpresa com a interrogação fui rápida na resposta:
“ – Com certeza, eu, meu filho e alguém que nos ame muito!”
Cá entre nós, não existe mulher deste universo que diga: “Eu quero viver sozinhaaa”
Ter alguém ao lado que te ame, que te respeite e zele por ti é de suma importância. Já disse e repito há muito tempo: Estou cansada se ser super heroína, Joana Dark, Chiquinha Gonzaga ou Anita Garibalde. Quero flutuar um pouco. Quem sabe ser princesa? Até soa engraçado. Esta pessoa, na qual conversava aproveitou o que respondia e disse:
“ – Você acredita em príncipes encantados?’
Era mais fácil eu responder que não. Pois tem muito território ai cheio de sapos e eu a própria anfíbia! Então, em minha filosofada argumentei que estava generalizando falando em príncipes. O príncipe que explicava é daquele que Roberto Carlos canta:
“ Aquele que ainda manda flores, aquele amante apaixonado... que curte fantasia dos romances e fica olhando o céu de ... sonhando, abraçando a namorada. Eu sou do tipo de certas coisas, que já não são comuns nos dias de hoje; As cartas de amor, o beijo na mão muitas manchas de batom, daquele amasso no portão; apesar de todo o progresso, conceitos e padrões atuais; sou do tipo que na verdade sofre por amor e ainda chora de saudades; PORQUE SOU AQUELE AMANTE A MODA ANTIGA DO TIPO QUE AINDA...MANDA FLORES!”
Este sim seria o ideal.
Tá! Deixa eu sonhar?
Foi partindo disto que concluo: “Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.”
Não há uma explicação; há um objetivo(futuro), uma força(o presente) e a vontade(na benção de Deus) que faz com que nosso cenário seja mais digno de sorrisos e realizações!
Eu busco mais e mais a minha felicidade... Sempre...

Um comentário:

Sonia Pires disse...

Aii Fabinha todo mundo faz essa avaliação. Eu tenho feito muito isso. Adorei o texto...Muito bom!! Bjs