terça-feira, novembro 03, 2009

Os sábios em esquecimento

Não é de agora que as pesquisas apontam um crescente percentual no aumento de idosos em diversas nações do mundo inteiro. Este rápido envelhecimento da população é a mais nova cara do planeta. E mesmo assim, com tanta relevância na terceira idade, ainda encontramos o déficit na valorização e nos direitos humanos dos idosos como previdência, saúde, direito a cultura e lazer. A longevidade humana certamente é o grande conquista do homem porém as falhas apontam fatos preocupantes neste diagnóstico do envelhecimento.
Bernard Shaw foi célebre em sua frase: “ O maior pecado contra nossos semelhantes não é o de odiá-los, mas de ser indiferentes para com eles”. Esta indiferença social engloba as páginas dos jornais e de vários veículos de comunicação em que abordam, relatam e divulgam o descaso com o idoso. São vários casos de abandono e maus tratos. A delegacia do Idoso é um destes órgãos que contam fatos assombrosos do descaso humano e, muitas vezes, envolvendo integrantes da próprio meio familiar do idoso. São inúmeras denúncias de abusos e lesões corporais. A palavra ‘respeito’ é sempre o sentimento de esquecimento quando se trata deste assunto. Até porque “idoso” reporta a isto: invalidez, problemas e doenças. É disto que faz lembrar a terceira idade. E quando se fala de maus tratos sabemos que não só nos referimos à violência física, mas sim, à violência oculta. A violência do descaso da que martiriza também na abalo psicológico do idoso. E é daí que brota a negligência e a omissão a estes cidadãos tão frágeis. A memória e a ética da sociedade está totalmente distorcida. Esquece-se que todos nós envelhecemos a cada dia.
Lamentamos que, hoje em dia, a sociedade não está preparada para esta realidade. Isto é fato. Hoje se vive mais porém, sem a qualidade exata de vida. Falta qualidade; falta respeito. Isto tem que vir do berço, ensinar desde cedo o respeito ao idoso e saber que, também, um dia, seremos um deles. Vivemos numa sociedade que vibra o estopim de uma juventude. A sociedade do novo e do moderno. Do digital; da informatização. E esquecem que aquela sabedoria dos nossos mestres, ou seja, dos nossos velhinhos, mostram, a cada ruga adquirida a vivência de um modo ‘artesanal’ de que a vida é feita de coisas simples. Temos direito a isto. Ninguém é lixo. E o que se vê são lixeiras da terceira idade. Isto é lamentável. Por mais leis que se criem falta a fiscalização! Falta a cobrança que estes senhores da sabedoria tem direitos e eles devem ser cumpridos. De nada adianta existir o Estatuto do Direito do Idoso se, na atualidade, não há prática! Alternativas existem, basta exercê-las! Envelhecimento é um fato mundial.

E eu... eu quero ser feliz para sempre com este lindo casal de velhinhos! Será que serei assim? rsrs

Nenhum comentário: